ÚLTIMOS 8 LIVROS DESEJADOS PARA INSPIRAÇÃO PROFISSIONAL

quarta-feira, junho 29, 2016


É costumeiro o destrinchar de livros motivacionais e/ou sobre temáticas que englobam criatividade e produtividade a cada nova wishlist ou listagem de obras literárias feitas aqui. Reflexões que podem, desde a sua base, impulsionar releituras internas e descobertas de metodologias próprias são sempre encorajadas. Nas últimas semanas, tenho descoberto diversos desenrolares que prometem muitas dessas teses, para inspirar, abrir portas e elevar visões através de cada entrelinha. Então, fiz o compilado dos oito livros que ocuparam os últimos locais nos meus desejos, sendo eles cabíveis para quaisquer profissionais e/ou estudantes. Cada um serve como forma literal ou metafórica (ou, ainda, ambas) para que mais alcances sejam visados e captados. A ideia não é digerir os fatores de maneira fiel, mas leal. Não é para que tópicos sejam seguidos à risca. É para que a partir de cada indicação, uma fórmula própria venha a surgir, gerando mais particularidades. Observação: os exemplares não estão em ordem de (possíveis) favoritos.


1. Mais Rápido e Melhor (Charles Duhigg) 

Confesso que ao ler o título fiquei receosa, já que a ideia do 'mais rápido' pode, em muitos casos, distorcer noções agigantadas de maiores importâncias (exemplo: os motivos de fazer, como o primeiro vídeo da postagem de palestras do TED nos emite) e, ainda, acresce os riscos de impulsionar os teores de ansiedade e pressa, causando bloqueios criativos e muros perante as maiores inspirações. Porém, por ser encantada pelo livro O Poder do Hábito, do mesmo autor, pesquisei mais afundo e o interesse ganhou corpo com facilidade. O 'mais rápido' de Charles realmente acompanha a ideia do 'melhor', do 'não fazer por fazer' ou 'não fazer logo o que deve ser feito', mas sim do expelir de maneira mais dinâmica e conteudista, tendo somas dos meios para aprofundar os pontos desejados. Em "Mais Rápido e Melhor", Charles Duhigg faz um exploração inovadora da ciência da produtividade e das teses que firmam que, no mundo de hoje, como você pensa é mais importante do que o que você pensa. Com base nas últimas descobertas da neurociência, psicologia e economia comportamental Duhigg explica que as pessoas, empresas e organizações mais produtivas não apenas agem diferente, elas veem o mundo de modos profundamente diferentes. Elas sabem que produtividade tem a ver com fazer escolhas. A maneira como tomamos decisões; as grandes ambições que colocamos em primeiro lugar e as metas fáceis que ignoramos; a cultura que estabelecemos para estimular a inovação; o modo como interagimos com as informações que temos diante de nós: é isso é o que separa os simplesmente ocupados dos genuinamente produtivos. O livro tem um compilado de histórias que acompanham os capítulos e exemplificam como podemos ser mais produtivos. Um leve toque de spoilers  Motivação: O primeiro capítulo agrega fatos sobre um general americano que conseguiu motivar Fuzileiros a serem mais produtivos, usando a motivação como canalizador. Traz ainda outras duas histórias que demonstram como solicitar que sua equipe decida, o que também a torna mais motivada e, consequentemente, mais produtiva. Equipes: Esse capítulo traz histórias do Google e suas pesquisas pela equipe de alta performance. Aborda sobre como surgiu o Saturday Night Live, um programa de sucesso na TV americana e, em resumo, emite dicas sobre melhoria de trabalhos em grupos, o que pode, acima de tudo, impulsionar angulações individuais, como estímulos de liderança (ser melhor cativador e afins). O bacana é encaixar cada tópico na realidade da sua vida, os visando como metáforas. Exemplo: se o seu trabalho condiz com internet e público virtual, a 'equipe' do capítulo seria uma representação de tais 'clientes'.  Prosseguindo nas divisões, a próxima a do Foco: Destrincha sobre 'mapas mentais' (uma técnica que o autor deixa como indicação) e riscos calculados. Aqui, a história do voo da Air France 447 Rio - Paris que veio a cair e os motivos dos erros comparados com o voo da Qantas 32 que conseguiu pousar em condições bem piores que o da Air France, está em prioridade. A resposta, claro, está no Foco, ou seja, focar no problema sem deixar que o caos o contamine. E, assim por diante, a sequência de capítulos vai sendo repleta de metologias para aplicar à sua maneira e de casos motivadores. Determinação de Metas; Gestão de Pessoas;Tomada de Decisão; Inovação: Para quem é amante dos filmes da Disney, traz a história de como foi a criação do desenho Frozen. O objetivo é mostrar que uma inovação nasce em sua grande maioria de ideias já existentes, mas que são utilizadas de maneira diferentes. Outra mensagem é de que as respostas podem estar nas nossas experiências passadas; Absorção de Dados: A etapa final utiliza a história de uma escola-problema em Cincinnati-USA que passa a ser exemplo de sucesso. O que fizeram? Passaram a utilizar dados estatísticos de performance dos alunos para mudar as maneiras de dar aula. O principal enfoque era de que os professores colocassem em papel os dados, mesmo eles estando disponíveis em computador. Isso impulsiona os professores a escreverem e, de tal forma, a entrarem em contato com a informação, evitando a chamada "cegueira informacional". Por fim, o autor tenta resumir tudo em um apêndice onde deixa uma receita de como ser mais frutuoso. Não dá vontade de captar mais rápido e melhor todas as entrelinhas?

2. Super Apresentações: Como Vender Ideias e Conquistar Audiências (Joni Galvão e Eduardo Adas)

Posso arriscar dizendo que é o meu menos favorito da lista até então, mas não deixa de ter os seus quesitos especiais e fundamentais. Sócios-fundadores da SOAP, a maior empresa de apresentações do Brasil, Eduardo Adas e João Galvão tratam sobre táticas e importâncias das apresentações na comunicação corporativa e nos momentos decisivos de qualquer negócio. Em suas páginas, eles revelam em detalhes a metodologia que utilizam para criação de apresentações no estado da arte, capazes de encantar audiências, transmitir conceitos com propriedade e atuar em prol da adesão desejada pelo apresentador. O livro trata de diversos assuntos relacionados a apresentações: Como as apresentações podem beneficiar suas ideias, propostas e produtos; Estratégias para elaboração de apresentações fora de série; A arte de contar histórias nas apresentações; Orientações para criação de roteiros coerentes e bem estruturados (o que pode servir como representação de quaisquer trabalhos escritos mais cativantes que deseje produzir); Dicas para elevar a atenção da audiência; A importância do domínio do roteiro e o treinamento do apresentador; Linguagem visual: como usar ao seu favor; Particularidades das apresentações virtuais e autoexplicativas. O mais interessante, assim como na obra discorrida acima, é visualizar cada indicação em encaixes perante o que deseja amplificar, na área de desempenho próprio. Tudo pode ser mais poético e metafórico. Nos casos em que as apresentações forem focadas em discursos presenciais, por exemplo, captar as analogias do que pode servir como meio de enriquecimento para o seu tipo de enfoque, é o segredo. A ordem de base que o livro nos deixa para produzir melhor um conteúdo cativante conta com: Diagnóstico; Roteiro; Divisão do conteúdo; Confecção e Treinamento. Os roteiros podem ser baseados em recursos narrativos, entre eles: direto ao ponto, metáfora, suspense, surpresa, conflito X solução, humor, questionamento, drama, tom provocativo. Ressalta-se, no entanto, que a escolha do recurso narrativo deve estar alinhado com a audiência e com o objetivo central da apresentação. A divisão do conteúdo: após a conclusão do roteiro, divida-o em pequenos trechos, tendo em mente uma mensagem central para cada trecho, ou cada slide. A partir dessa mensagem central, você poderá se utilizar de recursos visuais e "tags" para otimizar sua apresentação. Entre tantos outros pontos, o finalizador é "o treinamento": conta com a preparação do apresentador/produtor em si. Em qualquer tipo de apresentação, é estritamente necessário que este tenha o domínio pleno do material que irá apresentar e das mensagens que irá falar. Os autores oferecem um roteirinho para o treinamento. Dentro dele, o 'Registro e Avaliação' está presente, no qual os autores sugerem que você grave em áudio e/ou grave em vídeo e depois assista ou escute o seu treino, para poder avaliar sua própria apresentação e perceber se negligencia informações importantes ou se pode retirar informações desnecessárias e assim, limpar sua fala. Cada ponto pode servir como representação para os que trabalham com área de escrita: a dica que podemos agregar, por exemplo, é enviar o e-mail profissional de resposta para nós mesmos e, após um dia ou dois (se possível), reler, para após ajustar e enviar, podendo analisar melhor os pontos, o que é mais dificultoso logo após a finalização da escrita.

3. Criativo Por Acaso (Todd Henry)

Você vai trabalhar todos os dias com a tarefa de inventar soluções brilhantes que atendem a objetivos específicos em prazos determinados. Se fizer isso de forma bem-sucedida, pode ficar com seu emprego. Se não, pode atualizar seu currículo. Assim que começar a trocar os seus esforços criativos por dinheiro, entrará em um mundo onde terá que ser brilhante quando mais importa. Todd Henry explica como soltar seu potencial criativo. Seja o leitor um criativo por profissão ou um 'criativo por acaso', o livro lhe ajudará a integrar novas ideias em sua vida de forma mais eficaz. Nascido da consultoria e do podcast de Todd, a obra oferece um método prático para descobrir seu ritmo criativo pessoal, seja você um gerente, um consultor, um designer ou um artista. Não encontrei muito além em pesquisas sobre o livro, porém a curiosidade está batendo na porta. Afinal, pausar e reler o mundo de todas as formas, sem procrastinar nenhuma quando há chances e espaço para tempo (vendo filmes, livros, séries, saindo de casa, conversando com diferentes pessoas, entre outros pontos) é o que nos abre alas para inspirações variadas, mas o que nos impulsiona a produzir melhor é imensamente relativo para cada um. Portanto, encontrar técnicas para testar é a única maneira de realmente encontrar desvendar o próprio caminho, já que ele sempre será mesclagem de vários: para quem permite a pausa, a releitura e o novo teste. Para encontrar mais obras sobre a temática, clique aqui.

4. Negócios Digitais (Alan Pakes)

Deseja montar um negócio on-line, mas não consegue dar o primeiro passo porque não sabe por onde começar? Tem vontade de utilizar o real poder da internet para alavancar os seus sonhos? Para o empreendedor digital Alan Pakes, organizador da obra, a maioria das pessoas que usam a web hoje para vender produtos, serviços e ideias está fazendo da maneira errada. O autor traz um mundo completamente novo, no qual é possível criar negócios rentáveis com pouquíssimos recursos iniciais. E mostra que essa possibilidade está ao alcance de qualquer pessoa empreendedora. O time vencedor de 17 empreendedores que Alan Pakes montou para escrever com ele no livro, compartilha suas experiências bem-sucedidas nos negócios digitais para inspirar você a criar novas oportunidades na rede. Você vai descobrir: O mindset dos empreendedores; Como e por que construir sua Lista de e-mails e cuidar bem dela; Como transformar seu conhecimento em produto; Como conquistar audiência pelo Google e pelo Facebook; Como se relacionar com seu público; Como criar um script de vendas on-line; Como monitorar seu trabalho para saber se está no caminho certo; Como fazer um ano de vendas em sete dias e muito mais! Para ir além dos aprofundamentos da obra literária, visite o site e tenha acesso a um curso gratuito. Descubra também os cursos exclusivos que são bônus para os compradores do Negócios Digitais. Os autores, mais do que ajudar e incentivar o leitor a ser um empreendedor bem-sucedido, também explicitam sobre desenvolvimento pessoal: necessidade de equilibrar carreira, lazer, saúde, amigos e família, além da importância de desenvolver um trabalho e um produto que ajude as pessoas, já que somente com as pausas podemos nos inspirar e ter insights maiores e somente fazendo algo que ajude a outros, estamos caminhando para uma compreensão de autoconhecimento real em conjunto e, assim, saberemos de maneira mais alargada o que é imprescindível e o que deve ser abdicado. Negócios Digitais não é uma obra que incentiva apenas o sucesso financeiro, mas também a responsabilidade social e a felicidade. Para escritores e quaisquer produtores de conteúdos que muito utilizam da escrita, façanhas também estão inclusas.


5. Marketing Boca a Boca: Como As Empresas Inteligentes Levam As Pessoas a Falar Delas (Andy Sernovitz)

'Marketing Boca a Boca' ensina como transformar uma empresa no empreendimento extraordinário que as pessoas querem recomendar aos amigos. Com sugestões objetivas e bem-humoradas, o especialista em marketing Andy Sernovitz mostra como as empresas mais respeitadas e lucrativas do mundo conquistaram seus melhores clientes e usaram o poder do boca a boca para se tornar um enorme sucesso. O livro revela os "cinco passos essenciais" para fazer o boca a boca funcionar, e como os blogs, as comunidades, o e-mail viral e o buzz marketing podem alavancar um negócio. Apresenta também histórias sobre como esses cinco passos transformaram o negócio de muitos leitores, ensina como interromper o boca a boca negativo, e traz dez estudos de caso adicionais e cinco planilhas para que você crie os seus próprios planos de marketing. Algumas das bases do livro são  Clientes felizes são grandes propagandistas e isso pode não depender somente do produto. Quando as pessoas gostam de você, elas também compartilham isso com os amigos. Se algo 'surpreendente'/incomum ocorre de positivo, como uma humildade extrema que passe, elas vão comentar. Vão desejar ajuda-lo e apoiar a sua empresa, querendo que os amigos desfrutem do que você oferece; Um centavo poupado é um centavo queimado: Planilhas são ruins para o marketing boca a boca. O que fica bem nelas, preços dissimulados, menores garantias, serviço mais barato para os clientes, quase sempre prejudica a sua disseminação boca a boca. Por exemplo, muitas empresas tentam economizar centavos prestando um serviço ao consumidor mais barato. Isso não funciona. No final das contas, você percebe que qualquer queda na qualidade do serviço ao cliente é um desastre de marketing. Pense no que acontece com cada pessoa que desliga o telefone com um problema não resolvido. Ela fica com raiva e conta isso para os seus amigos. A disseminação boca a boca começa e isso não é bonito de se ver. A cada dia que o problema persiste sem solução começa uma nova onda de disseminação boca a boca negativa. Qual será o custo de substituir esses clientes?; Se você não for respeitado, você não obterá disseminação boca a boca: Seja sempre uma empresa honrada. Faça a ética ser parte de tudo o que você faz e demonstre essa ética, deixando claro qual o seu diferencial por segui-la. Seja bom para os seus clientes. Fale com eles e satisfaça as suas necessidades. Deixe as pessoas orgulhosas de contar a sua história (da sua empresa) para os amigos e para todos os conhecidos; As pessoas de verdade não repetem os seus jargões de marketing: As pessoas não falarão sobre você se você não der a elas algo para dizer. Mas, grandes assuntos podem ser difíceis de enxergar para profissionais do marketing tradicional. Eles violam as regras do marketing, eles não fazem um planejamento adequado, eles não são corporativos e raramente eles são os representantes oficiais (porta-vozes) da empresa. É uma exceção quando pessoas de verdade repetem o jargão de marketing de uma empresa, ou um tema cuidadosamente por elas preparado. Ao invés disso, as pessoas fazem o inesperado. Ao invés de repetir as declarações de missões das grandes corporações, pense na incrível política de devolução da Zappos, nas deslumbrantes embalagens da RedEnvelope, e em como Lou Mitchell de Chicago oferece aos seus clientes aperitivos frescos e algo para beber enquanto eles esperam por uma mesa; Não abandone o que está dando certo: Isso você precisa observar. Uma vez que você obteve sucesso com alguma coisa, que está gerando boa disseminação boca a boca, você tem que continuar fazendo. O seu compromisso em continuar fazendo isso vai fazê-lo sobressair tanto quanto o aquilo que deu certo. Se você deixar de fazer isso, as pessoas irão notar e o costume maior, nesses casos, é simplesmente deixar de falar sobre; A melhor ferramenta para começar a disseminação boca a boca é a mais óbvia: A primeira e mais importante ferramenta para criar disseminação boca a boca é a mais fácil e a mais óbvia: peça educadamente. A maioria das pessoas não falará até que você peça que elas façam isso. Portanto, peça sempre e peça em todos os lugares. E à medida que você pedir, você descobrirá que as pessoas gostam de falar. Mas, o desafio não é necessariamente encontrar gente disposta a falar, é desencadear a ação. Frequentemente, o cumprimento implícito de pedir aos clientes para ajudar é o que inicia o falatório. E não seja tímido, convide os seus clientes a espalhar a notícia de forma que pareçam estar bem informados a seu respeito. Tenha um cartão de visita, dê brindes, faça sorteios, e ao dar algo para a pessoa, peça, como um retorno e não um favor solto. Você estará as fazendo felizes e não dará a impressão errada de estar "usando" daquele cliente; Resolver problemas é o marketing mais poderoso que você pode fazer: Para cada pessoa com quem um cliente satisfeito fala, um cliente insatisfeito fala com cinco. Mas, um cliente insatisfeito, que se tornou satisfeito, fala com dez. Pense nisto por um minuto. Transformar um cliente insatisfeito em satisfeito vale dez vezes mais disseminação boca a boca que satisfazer um cliente pela primeira vez. Esse é provavelmente um comentário sobre a triste situação do serviço ao consumidor nos dias atuais, quando as pessoas ficam tão surpresas quando são bem tratadas que correm para contar a todo mundo o que aconteceu. É uma grande oportunidade para você. Além desses pontos, diversos outros, ainda mais singulares, são abordados, nos levando a refletir sobre caminhos profissionais que abrem alas para muitos pessoais e para analogias diversas em quaisquer âmbitos de vida.

6. A Tríade do Tempo: Um Modelo Comprovado Para Organizar Sua Vida, Aumentar Sua Produtividade e Seu Equilíbrio (Christian Barbosa)

Tenho a enorme impressão de que esse é o livro mais clichê de toda a lista. Muito voltado para a premissa que sempre ratifico (de que não merece o fundamental quem não sabe abrir mão do trivial), a obra nos deixa juras que ficam a circundar teores batidos que agregam noções de prioridades que qualquer ser humano com o mínimo de responsabilidade pode ter, porém, não negaria a leitura por simples julgamento prévio. Afinal, ler o clichê também é reler mais de si, e reler é sempre descobrir e inovar. Ademais, o livro é bastante elogiado. Considerado o maior especialista em gestão do tempo no Brasil, Christian Barbosa oferece uma solução definitiva para quem deseja uma vida mais equilibrada, voltada para a realização dos seus sonhos. Com base em uma pesquisa realizada com mais de 42 mil pessoas em todo o mundo, ele apresenta um inovador método de planejamento pessoal que vai ajudar você a organizar sua vida e se tornar mais produtivo. A partir do conceito de que o tempo se divide em três esferas – importante, urgente e circunstancial –, o autor ensina como equilibrá-las para melhorar seu desempenho e como agir caso você esteja desperdiçando energia demais na esfera errada. A prática dessa metodologia, já testada e aprovada por milhares de pessoas, vai permitir que você encontre um momento para respirar entre uma tarefa e outra e consiga se dedicar ao que é realmente importante para sua vida. A Tríade do Tempo traz ferramentas modernas que podem ser colocadas em prática tanto por quem utiliza agendas convencionais quanto por quem prefere soluções tecnológicas. Além disso, com o livro, você vai: Aprender efetivamente a equilibrar vida pessoal e profissional; Identificar em que atividades está desperdiçando seu tempo; Realizar projetos baseados em seus planejamentos; Definir metas e estabelecer prazos para executá-las; Evitar reuniões desnecessárias e outros compromissos inúteis; Gerenciar seu e-mail e informações de uso pessoal; Descobrir novas ferramentas para gerenciamento de equipes.

7. O Dilema da Inovação:  Quando As Novas Tecnologias Levam Empresas Ao Fracasso (Clayton Christensen)

O livro assume a posição radical de que grandes empresas fracassam exatamente porque fazem tudo certo. Ele demonstra por que boas empresas, mesmo mantendo sua antena competitiva ligada, ouvindo os clientes e investindo agressivamente em novas tecnologias, perderam sua liderança no mercado quando se confrontaram com mudanças tecnológicas de ruptura e incrementais na estrutura do mercado. E conta como evitar um destino semelhante. Usando as lições de sucesso e fracasso de companhias líderes, 'O Dilema da Inovação' apresenta um conjunto de regras (que, obviamente, servem como base para novos meios e não obrigação endurecida) para capitalizar o fenômeno da inovação de ruptura/incremental. Esses princípios ajudarão os administradores a determinar quando é certo não ouvir os clientes, quando investir no desenvolvimento de produtos com menor desempenho que prometem margens menores e quando buscar mercados menores às custas daqueles aparentemente maiores e mais lucrativos. Muitas empresas – sejam de bens de consumo ou serviço, tecnologia de ponta ou não, ou competidores que atuam em ambientes corporativos de mudanças rápidas ou de evolução lenta – enfrentam agora o dilema da inovação. Manter-se próximo do cliente é imprescindível para o sucesso, mas o crescimento e o lucro de longo prazo frequentemente dependem de uma fórmula de gestão muito diferente. "O Dilema da Inovação" ajudará os administradores a antever as mudanças com que poderão se deparar e como responder para alcançar o sucesso. Lembrando que sucesso é algo relativo, que para cada um é preenchido por diferentes vírgulas, portanto a cada metodologia, a busca deve ser para o encaixe que seja voltado para a sua noção da palavra. O único ponto nela errôneo é quando os únicos quesitos são voltados para pontos financeiros sem visar o "após da conquista". Só é válido investir de fato (quando há possibilidade de escolhas desde o início) naquilo que sabe que continuará causando esperas.

8. Sobre A Escrita: A Arte em Memórias (Stephen King)

Um livro para quem já é escritor, para quem tem pretensão de tornar-se um profissional da área ou para qualquer pessoa que trabalha com escrita e/ou tem paixão por expurgamentos em palavras. Eleito pela Time Magazine um dos 100 melhores livros de não ficção de todos os tempos e vencedor dos prêmios BRAM STOKER e LOCUS na categoria Melhor Não Ficção, "Sobre a escrita — A arte em memórias" é uma obra extraordinária de um dos autores mais bem-sucedidos de todos os tempos, uma verdadeira aula sobre a arte das letras. O livro também não deixa de lado as memórias e experiências do mestre do terror: desde a infância até o batalhado início da carreira literária, o alcoolismo, o acidente quase fatal em 1999 e como a vontade de escrever e de viver ajudou em sua recuperação. Com uma visão prática e interessante da profissão de escritor, incluindo as ferramentas básicas que todo aspirante a autor deve possuir, Stephen King baseia seus conselhos em memórias vívidas da infância e nas experiências do início da carreira: os livros e filmes que o influenciaram na juventude; seu processo criativo de transformar uma nova ideia em um novo livro; os acontecimentos que inspiraram seu primeiro sucesso: 'Carrie, a estranha'. Pela primeira vez, eis uma autobiografia íntima, um retrato da vida familiar de King. Ao mesmo tempo um álbum de memórias e uma aula apaixonante, "Sobre A Escrita" irradia energia e emoção no assunto predileto de King: literatura. Para fãs, escritores e qualquer um que goste de uma história bem-contada, que somente assim é quando repleta de sinceridades e mensagens no decorrer. Mesmo para quem não é tão apreciador do gênero de terror (como é o meu caso), a obra deixa diversas promessas válidas, já que o seu enfoque é a arte, a escrita, a forma com que podemos e devemos utilizar cada experiência como fruto para uma nova criação. Um livro motivacional com dicas explicitas tanto quanto embutidas. Leia a história enquanto sentir que pode escrevê-la.

  • Extras! 

9. Negocie Qualquer Coisa com Qualquer Pessoa (Eduardo Ferraz)


Saber negociar é a competência número 1 para o crescimento em qualquer área. Uma dificuldade em negociar resulta em grandes prejuízos financeiros e emocionais. A verdade é que fazer acordos ruins prejudica o trabalho, os relacionamentos e o cotidiano de qualquer um. Eduardo Ferraz demonstra na sua obra maneiras de negociar muitas situações delicadas. Por exemplo: Como dizer não sem ofender? Como expor seus talentos sem parecer arrogante? Como aumentar seus ganhos? Como lidar com pessoas difíceis? Como definir uma remuneração justa? Como reagir a uma proposta absurda? Como evitar conflitos? Como agir em relacionamentos problemáticos? Você terá acesso a técnicas práticas para obter ótimos resultados — profissionais e pessoais – em pequenos e grandes acordos ao negociar qualquer coisa com qualquer pessoa. Segundo Eduardo, "Negociar bem não significa ganhar sempre, mas chegar a acordos mutuamente vantajosos. Um bom acordo pode ser recusar a proposta de sociedade de um grande amigo, sem magoá-lo, ou convencer o cônjuge que ronca alto a procurar um tratamento. A realidade é que saber negociar o básico se tornou questão de sobrevivência". Além de um teste para medir a sua capacidade de negociação, o autor dedica uma boa parte do livro ao estudo da contraparte da negociação: seu chefe ou sua chefe, namorado(a), vizinho(a), etc. As premissas da obra lembraram muito, para mim, teores firmados no texto "A tentativa não é tentar" e foi o que achei mais bacana.

10. Criatividade Empática (Bia Lombarde)

Em 'Criatividade Empática', o leitor terá acesso a um entendimento diferenciado de como o cérebro criativo funciona, sendo ele um não privilégio de "poucas almas abençoadas". A obra transmite a noção de como fazer para que mais criatividade e inovação invadam a sua vida a partir do momento em que o seu suporte para que isso ocorra com quem está ao seu redor, seja fincado. A criatividade aqui proposta é de um movimento empático. Ela não busca a autossatisfação ou fama como resultado primário, apesar de poder chegar como consequência. A base é o legado (como muito firmado na análise que você pode conferir clicando aqui: no primeiro clipe). Afinal, a tese é de que o que emitimos, colhemos mais rápido. Se estimulamos alguém a algo, o tal alguém vai poder ainda mais nos estimular em retorno. Se damos uma oportunidade para alguém, mais mergulho ele vai ter para nos molhar ao nos abraçar fora da piscina. São pontos que parecem básicos, mas não captam somente a ideia de que 'gratidão gera gratidão', é mais afundo. É a noção de que impulsionamento gera impulsionamento, querendo o outro nos impulsionar tanto da mesma forma ou não. Sem ler a obra, já pude refletir sobre alguns pontos bem bacanas, então creio que o aprofundar após a leitura seria imensamente produtivo.

11. Autor David Allen

David Allen (nascido em 28 de Dezembro de 1945) é um consultor e instrutor em produtividade. Ele é o criador do Getting Things Done (GTD), um método de gerenciamento de tempo. Cresceu em Shreveport, Louisiana, Estados Unidos, onde ele atuou e ganhou um campeonato estadual de debate. Foi para a faculdade New College, agora conhecida como New College of Florida, em Sarasota na Flórida. A sua carreira profissional inclui empregos como mágico, garçom, instrutor de caratê, instrutor de desenvolvimento pessoal e gerente de uma agência de viagens. Ele diz ter tido 35 profissões antes de ter 35 anos. Ele começou a aplicar sua perspectiva em produtividade com negócios na década de 1980, quando ganhou um contrato para projetar um programa para executivos e gerentes na Lockheed Corporation. É o fundador da David Allen Company, que é focada em produtividade e treinamento executivo. O método GTD faz parte dos seus esforços como instrutor. Ele também é um dos fundadores da Actioneer, uma companhia especializada em ferramentas de produtividade para o Palm pilot. Allen escreveu diversos livros, como o já indicado por aqui: A Arte de Fazer Acontecer.

O último livro do Allen que estive desejando é o Produtividade Pessoal: No mundo atual, em que a comunicação e a responsabilidade crescem exponencialmente, os métodos de ontem para permanecer na crista da onda simplesmente não funcionam mais. O veterano consultor e treinador em administração David Allen reconhece que a "administração do tempo" se torna inútil, a partir do momento em que sua agenda é interrompida; "estabelecer prioridades" não é relevante, quando o seu correio cai; e "adiar soluções" não vai ajudar, se suas metas não estiverem claras. Em vez disso, Allen divide com os leitores as estratégias de sucesso comprovado que ele introduziu em seminários que apresentou em grandes organizações, como a Microsoft, a Lockheed e o Departamento de Justiça dos Estados Unidos. A premissa de Allen é simples: nossa capacidade de ser produtivos é diretamente proporcional à nossa capacidade de relaxar. Só quando nossas mentes estão claras e nossos pensamentos organizados é que podemos atingir a produtividade sem estresse e liberar o nosso potencial criativo. Allen nos ensina a: Aplicar a regra "fazer, delegar, adiar, largar" para esvaziar a caixa de entrada; Administrar e-mails, papéis e as demandas inesperadas através de um sistema de auto-gerenciamento independente; Reavaliar metas e permanecer focado em mudar situações; Superar sentimentos de confusão, ansiedade e derrota; Sentir-se bem em relação às coisas que ainda não estão feitas. Desde os princípios fundamentais (como decidir qual será o próximo passo para cada item de uma lista de coisas a fazer) até as dicas comprovadas (como, por exemplo, utilizar a regra dos dois minutos para determinar que tarefas executar imediatamente e que tarefas adiar), Produtividade Pessoal tem potencial para transformar a maneira de trabalhar  e de vivenciar o trabalho. Em qualquer nível de implementação, os conselhos divertidos e provocadores de David Allen mostram como pegar o ritmo sem se desgastar totalmente. Muito do que podemos ratificar através do quarto curta-metragem que já foi analisado por aqui na postagem de 15 vídeos para reflexão.

Já leu algum livro do autor? E em relação aos emitidos na listagem? Qual mais chamou a sua atenção? Conseguiu imaginar o encaixe metafórico de todos para os seus quesitos profissionais (e/ou até pessoais)? Não deixe de compartilhar as suas visões nos comentários.

Lembrando que você pode conferir muito mais obras sobre criatividade, produtividade e demais temáticas semelhantes na categoria de Livros. Duas indicações bacanas sobre o tema (já propostas por aqui) são: Criatividade S.A. e Roube Como Um Artista.

LEIA TAMBÉM:

63 COMENTÁRIOS

  1. Gostei do Produtividade Pessoal, estou em uma fase de descontentamento no dia a dia do meu trabalho, sabe quando parece que você estagnou?! Pois é, precisando urgentemente de uma luz rsrs! Adorei o post.
    www.gizahcastro.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, Gi, que alegria imensurável por saber que as indicações e reflexões já emitidas puderam criar um aglomerado de portas para inspirações e singularidades suas. Espero que esclarecimentos surjam, bem como demais caminhos através da mais amplificada criatividade e da criação de metodologias tão próprias. E em relação a essa sensação que tem respirado em conjunto, apesar de não saber sobre profundamentos do caso, a minha indicação desde já é que busque alguns projetos paralelos que empolguem você (nada que sobrecarregue ou exija enfoque que possa desviar atenção grandiosamente, mas se houver espaço, é bacana) e mais momentos de pausas para lazer (filmes, séries, livros e afins - leituras de mundo!). Assim, mais autoconhecimento e inspirações vão surgindo no decorrer para que inovações bacanas possam nascer em conjunto no que já faz. Obrigada por esse carinho tão lindo e impulsionador. Obrigada por mergulhar! Um super beijo!

      Excluir
  2. MARIA PAULA OLIVA29 de junho de 2016 14:36

    Quero todos da lista, incluindo os extras e os indicados dentro das explicações. É sensacional o quanto voce vai fundo em qualquer post e nos deixa ja refletindo tanto. Muito obrigada por tanta motivação e por tantos caminhos pra clarear ideias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, Ma, que delícia é sentir os seus mergulhos e digerir esse impulsionamento tão lindo! Obrigada por transbordar em cada linha e entrelinha e por emitir essas sensações, abrindo alas para que cada ponto possa ser retribuído com gosto. A ideia de base em relação a cada indicado é justamente a que citou: clarear, inspirar! É para que criemos mais das nossas singularidades através de releituras internas, de reflexões que possam surgir a partir de insights e aprofundamentos que podem nascer (mostrar a face) após cada tese degustada. É maravilhoso sentir que captou a base e, tanto quanto, as minúcias. Obrigada por tal alegria! Um super beijo!

      Excluir
  3. Compartilho a maioria da sua lista ahahahah! Como a Maria falou a acima, obrigada por clarear as minhas ideias *--* pois queria alguns livros sobre esse tema, mas estava sem tema entende? O.O kkkk.

    Beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que delícia sentir esses seus esclarecimentos e mergulhos de sempre, Isa! Obrigada por ser membro de cada reflexão, de cada totalidade, por estar presente! Espero imensamente que cada indicado que aderir possa servir de portas para demais das suas inspirações e visões próprias, viu? Um super beijo!

      Excluir
  4. Oi Vanessa, eu confesso que não tenho muito interesse por essa vertente literária que lida com "dicas" para ser um ser humano mais competente e realizado profissionalmente. Entre os livros que você citou tenho muita curiosidade em ler o Sobre a Escrita, pois me parece ser um livro mais de reflexões do que de "regras" para se tornar uma pessoa X. E o Stephen King escreve maravilhosamente bem, em todos os gêneros. Beijo, beijo :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mila! Então, todas as linhas e entrelinhas emitidas desconstroem essa ideologia que citou. Como o título já firma ("inspirações" e não 'seguimentos' ou 'regras') e o começo da postagem - "(...) A ideia não é digerir os fatores de maneira fiel, mas leal. É para que a partir de cada indicação, uma fórmula própria venha a surgir", ou seja, a ideia é que cada tópico seja uma porta de reflexão singular, que recebam encaixes em quem somos, o que desejamos, o que visamos, que sejam vistos de formas poéticas, metafóricas, para que tenhamos demais reflexões próprias e não olhares endurecidos perante o que está sendo passado -, além de diversos outros momentos do decorrer (exemplo: "Lembrando que sucesso é algo relativo, que para cada um é preenchido por diferentes vírgulas, portanto a cada metodologia, a busca deve ser para o encaixe que seja voltado para a sua noção da palavra. O único ponto nela errôneo é quando os únicos quesitos são voltados para pontos financeiros sem visar o "após da conquista". Só é válido investir de fato [quando há possibilidade de escolhas desde o início] naquilo que sabe que continuará causando esperas"), a ideia da postagem não é o destrinchar de livros que ditem regras, dicas ou afins que 'devem ser seguidas', mas sim o compartilhar de meios com ideias bacanas que podem abrir alas para criatividades e visões singulares de cada um a partir das visões próprias. Afinal, nada deve ser visto de forma literal por completo, nada é somente a areia da praia. Essa noção de seguir metodologias alheias de forma rígida é triste e muito dói observar que leitores digerem exemplares assim para somente 'ir na onda' ao invés de 'criar a própria prancha, remo e mar' a partir da onda vista. Mesmo quando uma tese ganha complemento incrível com o que você também carrega em si como valor e busca, é hora de degustar para fazer o prato que deseja, e não para seguir receita pronta. Quem capta autoconhecimento, tem lista de prioridades e busca originalidade e aprofundamento (como espero de cada leitor aqui), busca a reflexão em cada obra literária e/ou outros meios e não a caça para ser 'uma pessoa X'. Busca a forma de ser mais de si, lembrando que mudamos para continuar os mesmos! E quando não, para descobrir quem, no fundo, sempre fomos. Inspiração não é cópia, seguimento duro ou mente fechada: é o oposto de tudo isso. É metáfora, é poesia. É enxergar em uma linha, a mesclagem com a reta (que nunca é reta) que pode criar e que já tem dentro de si, gerando algo inovador, seu, reflexivo e produtivo a partir dos próprios pontos e não dos alheios, ainda que os tenha como algum ponto inicial (ou parcial) de insight. Espero que a ideologia tenha sido esclarecida, já que cada partilha aqui feita visa reflexões, releituras internas e inovações, jamais cabendo para algo raso e/ou próximo a uma ideia tão repleta de ritmos semelhantes a ditaduras. A ideia é utilizar dela (sempre que ela vier) para criar a democracia interior (e exterior) e não o contrário. Depende de cada um saber enxergar e depende de cada um lembrar que as visões são sempre variadas, mas o primeiro passo para ir fundo é pensar em devorar de tudo um pouco para expelir ainda mais em tudo, um pouco mais de si. É essa a base aqui transmitida na ideia da listagem. Fora a isso, é uma delícia saber que mergulha na escrita do King e pôde já refletir de alguma maneira com as suas analogias e proposições. Um super beijo!

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. Maravilhoso esclarecimento, Brunt. Se fosse para focar de forma literal, as inspirações de um filme que tem títulos como "como ser um milionário", "como fazer ele se apaixonar por você" e blablabla, seriam para buscarmos ser uma "pessoa X"? Para sermos exatamente como os personagens? Só uma mente muito imatura e rasa pra seguir dessa maneira. Não é assim que a banda toca. É o que cada um tira como mensagem do está abstraindo e o que cada um faz com essa mensagem que conta, querendo, como você falou, ser a melhor versão de si, e não de outro. Basta ser alguém que busca fazer o original, como você mesma bem disse, pra não cair em regras e sim criar as próprias através de cada leitura de mundo. Adorei a sua explicação, se bem que não precisava porque você deixou isso tudo claro durante o post e sempre deixa essas questões bem nítidas por aqui, mas entendi a fala da leitora, ela não deve ter prestado tanta atenção no que você apresentou na postagem. PS: não conheço o Stephen King e vou procurar mais, a Camila me mais deixou curiosa.

      Excluir
    4. Que alegria por saber que pôde captar ainda mais as noções e intenções! O blog da Mila contém compartilhamentos de artistas intensos e super bacanas, creio que irá adorar, basta clicar no nome dela no comentário para ser redirecionada. O mais bacana dos livros indicados é que agregam temáticas de estudos e áreas super bacanas, como marketing e afins, mas além disso, todos desmistificam diversos fatores, nos impulsionando a fazer o mesmo (não seguir regras, mas sim discutir sempre interior e exteriormente) e a lembrar o quanto cada ponto é relativo, e que o que vale de fato como 'verdade' é o que está dentro dos nossos princípios e juras, até que juremos em alto tom não mais serem os nossos enfoques e promessas. Cada experiência tida em conjunto com autoconhecimento é o que realmente devemos levar como tese e meio para criar metologias próprias, mas inspirações estão inclusas como enriquecimentos nesses caminhos e esse é o ponto legal, não é?

      Excluir
    5. Oi Vanessa, muito bacana o seu esclarecimento. Ao contrário do que sugeriu a Rita, eu prestei sim atenção no que você esplanou (bem claramente, aliás) no seu post. O que eu contesto não é a sua opinião ou a maneira como você analisa e digere cada um desses livros (ou como cada um o faz pessoalmente), a minha crítica vai para esse universo editorial que trabalha sim com a noção de metodologias prontas e como ela tem "survado várias ondas" ao longo do tempo, vendendo uma ideia de brilhantismo na palma da sua mão por apenas R$19,90 (e derivados). Mais uma vez, não é uma crítica aos livros que você apresentou ~ até porque eu não os li ~ é um desabafo contra essa indústria que comercializa e precifica sabedoria de maneira direta (lembrando que, ao meu ver, qualquer obra literária é fonte inesgotável de conhecimento e inspiração, sempre).

      Um beijo grande!

      Excluir
    6. Oi, Mila! Entendo a sua angulação: voltada para a forma como se divulgam, vendem, anunciam esses tipos de livros. De fato, essa noção que beira a uma de 'verdade absoluta', não é bacana. Porém a forma de leitura, digerimento e aplicação prossegue dependendo dos leitores e prossegue sendo o que mais irá contar. É aí que esperamos que cada um lembre que não existem fórmulas concretas, mas sim meios de autoconhecimento e construção, que podem sempre receber acréscimos e reformulações (e devem). Cada um escreve a sua verdade no momento em que lança uma obra, afinal, isso é arte. Sem honestidade e expurgar, é técnica, é máscara, e não vale como teor artístico. Vai depender do receptor observar que ele deve fazer a dele a partir daquilo, utilizando somente como inspiração, abrir de olhos, conteúdo para bases ou para críticas até não tão positivas que podem gerar inovações próprias de qualquer maneira. O que podemos fazer, nesses casos, é impulsionar para que cada um capte dessa maneira, desmistificando 'pontos finais', como vários dos próprios livros da lista já fazem. Pensar nas obras como ideias que podem fazer mais das nossas surgirem e não como "brilhantismos firmados e ratificados que devo ter igual para mim" é o quesito principal e isso o que sempre tento enfatizar ao indicar qualquer um desses livros. Até porque, essa asserção de 'vender métodos para o sucesso', se assim utilizadas, somente vão sugar os pontos de que sucesso é algo relativo (fazendo, provavelmente, com que cada um não descubra o seu) e de que cada pessoa só o alcança dentro das próprias criações.

      Excluir
  5. Sensacional e reflexivo a cada comentario seu, como sempre. Ja coloquei varios na lista

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, Edu, que alegria gigantesca por sentir os seus mergulhos. Espero imensamente que cada indicado que aderir e cada reflexão já feita, possam servir de portas para demais das suas inspirações e visões próprias, viu? Um super beijo!

      Excluir
  6. Eu confesso que nunca me interessei por esse tipo de leitura, geralmente vejo o título "auto ajuda" e saio correndo haha mas esse de criatividade empática me intrigou! Quem sabe eu pegue para ler :D

    Um beijo,
    Foca no Glitter

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se pararmos para analisar, tudo o que lemos, tudo o que conversamos, tudo o que vivemos, sentimos e, consequentemente, refletimos, é um meio de autoajuda, não é? Um livro de ficção ou de história real com diálogos, personagens e afins, nos leva a cada frase impactante a uma releitura interna, que acaba chegando ao ponto, mais uma vez, da autoajuda. Para quem é intenso, observador, poético efervescente, ainda mais. O bacana de livros assim (como a maioria dos indicados) é que eles abrem com entrelinhas e linhas mais clarificadas, portas para observações internas e externas em mesclagens mais diretas, nos levando a mais meios de criações próprias, de análises próprias, de singularidades, de originalidades, bastando que enxerguemos cada 'dica' e tese como algo não a ser seguido à risca, mas como forma de reflexão para que discordemos, tentemos, verifiquemos... ou concordemos e incrementemos. Espero imensamente que, caso devore algum, possa sentir e captar esses pontos de forma ainda mais aflorada, viu, Pa? Obrigada por sempre mergulhar de forma tão deleitosa! E o Criatividade Empática parece ser super bacana, o único receio que fica é que as teses que já aparenta emitir, não saiam muito 'delas mesmas', mas mesmo assim, continua parecendo muito valer. Um super beijo!

      Detalhe: Os livros indicados não agregam somente teores motivacionais, de autoajuda, mas diversos quesitos de estudos sobre áreas como marketing e afins. É claro que são pontos que podemos não aderir, que podemos discordar, fazer diferente, modificar... mas abrem portas para que possamos refletir mais sobre, para que possamos discutir mais sobre, para que possamos aprofundar mais sobre, e para que possamos a partir disso, também nos inspirar ainda mais: dentre cada crítica própria e enlace do que encontra as nossas sensações e ideias.

      Excluir
  7. Esse Negócios Digitais chamou a minha atenção.
    Queria que o dia tivesse 48 horas pra ler tudo o que preciso.
    Com carinho,
    www.meninacaprichosa.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, Lana, que delícia saber que pôde mergulhar em novos meios para inspirações e afins. O Negócios Digitais com esse 'extra' do curso tem premissas tão bacanas para que aprofundemos e já pensemos sobre à nossa maneira, não é? Seria uma delícia se mais 24 horas existissem somente para que colocássemos livros, séries e filmes em dia. Mas o bacana de encaixarmos essas maravilhas em meio a cada correria, é que assim pausamos, enriquecemos a mente, reunimos conjunções, ficamos ainda mais inspirados(as). Espero que possa devorar vários, viu? Um super beijo!

      Excluir
  8. Gostei das suas escolhas, admito que fujo desses livros, mas alguns já me ajudaram bastante!

    http://www.leitorasvorazes.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Li! Espero que alguns dos indicados possam ser devorados por você, gerando diversas inspirações e insights bacanas, viu? A ideia é justamente que nada seja visto como fórmula concreta/fixa, mas sim como ideias para que geremos mais das nossas próprias, com cada vez mais singularidades. Se conferir algum, conta depois como foi a experiência? Vou adorar saber! Um super beijo!

      Excluir
  9. Quantos livros legaaaais!! Apesar de não serem meu estilo de leitura preferido, gostei de saber mais sobre cada um. Você é bem inteligente menina!! ;)
    Esse número 8 me chamou atenção, eu gosto de escrever e é sempre bom aprender como melhorar nossa escrita. Gostei :)

    https://heyimwiththeband.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oba! Que alegria gigantesca por saber que pôde mergulhar em meios para mais inspirações próprias. Obrigada por chegar e mergulhar! E obrigada por esse carinho tão lindo de ler, sentir e retribuir. A ideia perante os indicados é justamente que nada seja visto como fórmula concreta/fixa, mas sim como ideias para que geremos mais das nossas próprias, com cada vez mais singularidades. Estou super louca para conferir o livro do King! Outro da temática que muito recomendo é o 'A Jornada do Escritor'. São livros interessantes para quem já está imerso no meio ou para quem deseja aprofundamentos e melhorias de base: captam todas essas angulações e inspiram/motivam! Espero que possa devorá-los, viu? Um super beijo!

      Excluir
  10. Ótimas escolhas, admito que estou admito que estou precisando ler alguns desses.
    http://marymicucci.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, Ma, que delícia é sentir os seus mergulhos. Espero que certas inspirações já possam ir surgindo com somas incessantes. A ideia de base em relação a cada indicado é a de clarear e inspirar. É para que criemos mais das nossas singularidades através de releituras internas, de reflexões que possam surgir a partir de insights e aprofundamentos que podem nascer (mostrar a face) após cada tese degustada. Espero que esses impulsionamentos fiquem ainda mais para você. Um super beijo!

      Excluir
  11. Vanessa, parabéns pelo post super completo! Alias, essa é uma grande característica que eu amo do Sem Quases: os posts são sempre completos!
    Confesso que nunca li algum desses livros que de alguma forma nos auxiliam dessa maneira, mas acho muito maneiro. Vou procurar saber um pouco mais e quem sabe até comprar um, sabedoria é sempre bem vinda!

    Tem Meu Tamanho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, Ale, vem aqui e dá aquele abraço demorado? Que alegria imensurável por sentir os seus mergulhos e por ler e guardar esse carinho tão lindo (e maravilhoso de poder retribuir)! Obrigada por não chegar somente pondo os dedos dos pés. A ideia perante os indicados é justamente que nada seja visto como fórmula concreta/fixa, mas sim como ideias para que geremos mais das nossas próprias, com cada vez mais singularidades. Auxiliar para inspirações, críticas que gerem mais autodescobertas e afins é o ponto principal. Espero que possa devorar vários deles e ser muitíssimo impulsionado, viu? Um super beijo!

      Excluir
  12. Van, me interessei demais pelo negócios digitais. Eu AMO ler livros com esse tipo de conteúdo.

    Sobre o seu comentário no meu blog, vim correndo responder (vou copiar e colar o que escrevi na resposta do comentário). Posso fazer um post falando sobre essas limitações. Vou ser sincera que adiei muito para comprar um mac, porque o sistema operacional é muito diferente. Mas vendo o meu namorado usar, e no antigo trabalho todos os computadores foram substituídos por mac, eu comecei a gostar. Mas o que acontece, alguns jogos que eu gosto não rodam em MAC, então eu vou ter que instalar uma máquina virtual para rodar o Windows. Hoje em dia isso é mais fácil de fazer, porque além de existir vários tutoriais na internet, os programas estão cada vez mais friendly user, mas infelizmente isso ocupa muito espaço no computador. Uma alternativa, é contratar serviços de empresa, que você não precisa nem instalar. O Windows toda na nuvem, então você não precisa fazer instalação, configuração, nem nada. Mas infelizmente o valor é pago, não sei te informar o preço por enquanto, porque o meu namorado que usou esse serviço por um tempo. Mas se tiver interesse posso perguntar para ele e te enviar.

    Espero que tenha ajudado. Mais pra frente, quando eu for fazer a máquina virtual no meu mac, eu posso gravar e colocar no canal para quem quiser saber como faz.

    Se quiser, podemos conversar por face também :D

    Beijos, http://loveiscolorful.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bá, primeiramente: quero abraçar você! O seu carisma, disponibilidade, a sua humildade, garra e profissionalismo são quesitos belíssimos de visualizar. Fico ainda mais encantada a cada feedback, a cada demonstração do coração imenso que você tem, da paixão pelo que faz e da simplicidade que carrega ao agregar a todos de forma natural e fervorosa. Você merece tudo o que for belo e gigante! Porque é isso o que emite a cada suporte que envia, a cada resposta, atenção e ratificação. Sobre os seus esclarecimentos: fui mais ajudada do que em muitas leituras que já fiz sobre o assunto! Acho que vai ser muito bacana caso você possa gravar o vídeo futuramente (ou fazer alguma postagem) detalhando alguns desses tópicos. Com certeza será de ajuda para vários leitores! Estou agora reconsiderando a ideia de ter um MAC. Tomara que esse preço não seja uma facada, não é? Rs. Mas é muito válido, porque a qualidade de um MAC é incrível e tendo o Windows deve gerar uma facilidade e duração maravilhosa, que faz compensar. Vou ficar de olho nas suas atualizações sobre o tema e se um dia resolver de vez adquirir um, vou correr para tirar mais dúvidas com você, viu?
      OBS: Para quem está lendo este comentário agora e não entendendo, quero explicar: A Bá adquiriu um notebook da MAC e fui comentar sobre algumas dúvidas que tenho em relação a não rodar Windows e afins, e aqui está ela esclarecendo. Obrigada por esse destrinchar, Bá!

      E sobre os livros: A ideia perante os indicados é de que nada seja visto como fórmula concreta/fixa, mas sim como ideias para que geremos mais das nossas próprias, com cada vez mais singularidades. O que sei que você já busca fazer com qualquer tópico, então imagino impulsionamento super bacanas da sua parte! Adoraria uma resenha sua sobre alguma das leituras, viu? O 'Negócios Digitais' é super bacana por ainda ter vários cursos on-line para que possamos aprofundar teores somáticos e mais das nossas próprias ideologias. Caso leia, conta para mim? Vou adorar saber. Um super beijo!

      Excluir
  13. Eu gostei muito do post e das dicas, porque querendo ou não é sempre bom procurarmos por dicas quando se trata de criatividade e produtividade. Um ótimo post, com dicas maravilhosas. Próxima vez que for à Saraiva já sei quais livros comprar. :)

    Bjs
    barbfurtado.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oba! Que delícia é saber que pôde mergulhar em novos meios para descobertas e releituras interiores, Ba! Espero imensamente que possa devorar várias das obras e caminhar com inovações ainda mais âmagas, viu? A ideia perante os indicados é justamente de que nada seja visto como fórmula concreta/fixa, mas sim como ideias para que geremos mais das nossas próprias, com cada vez mais singularidades. Afinal, cada metodologia que criemos, por mais que sejam inspiradas, só servirão se forem de nós para nós mesmos, não é? Um super beijo!

      Excluir
  14. Nossa, quantoooosss! Eu adoro esses relacionados a criatividade, normalmente são muito bons! Mas confesso que ultimamente ando lendo muito mais ficção / romance mesmo, pra tentar distrair a mente.

    Beijos

    http://www.rabiskos.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Como comunicadora, me interessei muito por esse Super Apresentações, parece ser bem bacana! Amei o post, beijos
    www.achatadebatom.blogspot.com

    ResponderExcluir
  16. Me interessei por praticamente todos os livros, jesus, socorro eu vou FALIR!

    http://www.debbiemenezes.com/

    ResponderExcluir
  17. Gostei muito, muito das dicas desses livros, principalmente porque não é o tipo de livro que eu costumo procurar, então, acabo nem conhecendo, mas suas explicações me deixaram com muita vontade variar a leitura e apostar em um desses.
    Esse do Stephen King, a forma como você descreveu o livro me deixou doida pra ler ele, acho o cara um gênio do terror, suas histórias são sempre surpreendentes e cheias de detalhes. Com certeza vou colocar esse livro no topo da minha listinha!

    Beijos
    BlogCarolNM
    FanPage

    ResponderExcluir
  18. Olá!
    Ótimas indicações! Quase não leio livros não ficção, mas é necessário. Amei o post!
    Beijos! :D
    Borboletas de Papel | Fanpage

    ResponderExcluir
  19. Eu tô querendo melhorar bastante o meu trabalho, a minha escrita e as coisas que eu faço, da sua wishlist também tem livros que eu quero, como "Super Apresentações: Como Vender Ideias e Conquistar Audiências", "Criatividade Empática" e "Sobre A Escrita: A Arte em Memórias". Livros de Marketing também seriam uma boa.
    Gostei das indicações. =)

    Blog.
    Facebook.

    ResponderExcluir
  20. achei super interessante essas indicações de livros, eu ando lendo mts coisas pro meu curso e tm literatura pra me distrair, essas leituras sao mt interessantes pro nosso desenvolvimento pessoal e trabalho com internet

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  21. Nossa que lista maravilhosa, esses livros parecem todos os incríveis, seu blog é muito lindo e inspirador, parabéns pelo belo trabalho <3

    http://www.ericaresplandes.com/

    ResponderExcluir
  22. Há um tempo comprei A jornada do escritor, por indicação do namorado (que também é escritor) e acho que foi o primeiro livro técnico que li por prazer. Ainda não terminei, pois ele é bem completo e eu gosto de estudar, marcar com post-its, reler partes importantes, fazer anotações etc., mas estou cada vez mais inspirada e interessada em livros como este.

    Da sua lista, me chamou muito a atenção o do Stephen King, Sobre a escrita. Vou adicioná-lo à minha lista de "quero". E, se me permite uma indicação, leia A jornada do escritor – se já não tiver lido. Ele esmiúça muito bem o Herói de mil faces, pegando roteiros e romances que conhecemos há anos.

    Beijos,
    Fran

    ResponderExcluir
  23. E lá vai a Brunt ler meus pensamentos de novo e fazer uma lista com uma temática que eu precisava muito! Estou procurando leituras assim desde que comecei meu negócio próprio e nossa, essa lista caiu como uma luva! Salvo aqui! Muito obrigada, mesmo! Beijos!
    Blog Vintee5 | Canal Vintee5

    ResponderExcluir
  24. Oi Vanessa,
    Gostei muito das suas sugestões, apesar de não ser uma leitura constante em minha vida, já li alguns livros de autoajuda bem interessantes, fiquei bastante interessada em O Dilema da Inovação.
    Bom fim de semana!
    Bjs❤
    Abrir Janela

    ResponderExcluir
  25. Olá Vanessa,

    Adoro mkt!! Gostei das resenhas de vários.. :D
    Vou anotar para comprar..

    Um beijo,

    www.purestyle.com.br

    ResponderExcluir
  26. Não tenho o habito de ler livros sobre produtividade e afins, mas amei essas dicas, principalmente a "Criativo por acaso". Eu não me considero uma pessoa criativa então sinto que tenho que me esforçar mais que os outros para ter boas ideias. Dica anotada!

    vinteetres.com.br

    ResponderExcluir
  27. Quantos livros! Não tenho o costume de ler livros desse tipo, porém toda leitura é bem vinda <3
    xoxo'

    Adolescência Nerd

    ResponderExcluir
  28. Fiquei com vontade de ler "quanto mais rápido melhor". Belo post. Beijos.

    www.bloggeucerqueira.com

    ResponderExcluir
  29. Oi flor, que post diferente e ao mesmo tempo interessante, eu adorei!! Eu sempre peço emprestado livros desse tipo, porque por mais que não sejam meu tipo de leitura é sempre bom ler coisinhas diferentes que me ajudem no dia-a-dia né?? Hahahahaha
    Suuuper beijo da Mile!
    vishamiga.blogspot.com

    ResponderExcluir
  30. Dessa linha de produtividade, só cheguei a ler com um pouco mais de afinco o livro do Tim Ferris, um bem famosinho de como trabalhar quatro horas por semana (quem não quer? haha). O pouco que sei do David Allen, vem da paixão da Thais do blog Vida Organizada! Essa sua explicação sobre esse livro, Produtividade Pessoal, me deixou ainda mais curiosa. O GTD eu meio que desisti.. por mais que eu leia, consigo usar mesmo poucos conceitos no meu dia a dia :(

    beeeijo :**

    ResponderExcluir
  31. Olha, esse post veio em hora certa!
    Vou publicar o meu primeiro e-book dia 7 e quero me aperfeiçoar na escrita e na criatividade.
    Já anotei os nomes para comprar!
    http://www.surejustnot.com/

    ResponderExcluir
  32. Gostei bastante do post, confesso que nao me interesso muito por esses tipos de livros, mas achei alguns bastante interessante.
    beijos!
    www.garotadelicada.com.br

    ResponderExcluir
  33. Adorei o livro Negocie qualquer coisa com qualquer pessoa Van, me ensinou MUITO. Achei seu blog lindíssimo, super organizado e um charme!

    Beijinhos no coração!
    http://barbaradoblog.com/

    ResponderExcluir
  34. Dificilmente me inspiro em livros para minha carreira, não sei não gosto de metodologias comportamentais, na verdade, acho que esses conceitos devem ser desconstruídos.


    www.cantinhob.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, In! Então, a ideia da inspiração é justamente não aderir a essas metodologias comportamentais! Como o título já firma ("inspirações" e não 'seguimentos' ou 'regras') e o começo da postagem - "(...) A ideia não é digerir os fatores de maneira fiel, mas leal. É para que a partir de cada indicação, uma fórmula própria venha a surgir", ou seja, a ideia é que cada tópico seja uma porta de reflexão singular, que recebam encaixes em quem somos, o que desejamos, o que visamos, que sejam vistos de formas poéticas, metafóricas, para que tenhamos demais reflexões próprias e não olhares endurecidos perante o que está sendo passado -, além de diversos outros momentos do decorrer (exemplo: "Lembrando que sucesso é algo relativo, que para cada um é preenchido por diferentes vírgulas, portanto a cada metodologia, a busca deve ser para o encaixe que seja voltado para a sua noção da palavra. O único ponto nela errôneo é quando os únicos quesitos são voltados para pontos financeiros sem visar o "após da conquista". Só é válido investir de fato [quando há possibilidade de escolhas desde o início] naquilo que sabe que continuará causando esperas"), a ideia da postagem não é o destrinchar de livros que ditem regras, dicas ou afins que 'devem ser seguidas', mas sim o compartilhar de meios com ideias bacanas que podem abrir alas para criatividades e visões singulares de cada um a partir das visões próprias. Afinal, nada deve ser visto de forma literal por completo, nada é somente a areia da praia. Essa noção de seguir metodologias alheias de forma rígida é triste e muito dói observar que leitores digerem exemplares assim para somente 'ir na onda' ao invés de 'criar a própria prancha, remo e mar' a partir da onda vista. Mesmo quando uma tese ganha complemento incrível com o que você também carrega em si como valor e busca, é hora de degustar para fazer o prato que deseja, e não para seguir receita pronta. Quem capta autoconhecimento, tem lista de prioridades e busca originalidade e aprofundamento (como espero de cada leitor aqui), busca a reflexão em cada obra literária e/ou outros meios e não a caça para ser 'uma pessoa X'. Busca a forma de ser mais de si, lembrando que mudamos para continuar os mesmos! E quando não, para descobrir quem, no fundo, sempre fomos. Inspiração não é cópia, seguimento duro ou mente fechada: é o oposto de tudo isso. É metáfora, é poesia. É enxergar em uma linha, a mesclagem com a reta (que nunca é reta) que pode criar e que já tem dentro de si, gerando algo inovador, seu, reflexivo e produtivo a partir dos próprios pontos e não dos alheios, ainda que os tenha como algum ponto inicial (ou parcial) de insight. Espero que a ideologia tenha sido esclarecida, já que cada partilha aqui feita visa reflexões, releituras internas e inovações, jamais cabendo para algo raso e/ou próximo a uma ideia tão repleta de ritmos semelhantes a ditaduras. A ideia é utilizar dela (sempre que ela vier) para criar a democracia interior (e exterior) e não o contrário. Depende de cada um saber enxergar e depende de cada um lembrar que as visões são sempre variadas, mas o primeiro passo para ir fundo é pensar em devorar de tudo um pouco para expelir ainda mais em tudo, um pouco mais de si. É essa a base aqui transmitida na ideia da listagem, como falei acima para a Mila. Entendo também a sua angulação, e concordo totalmente!

      Excluir
    2. A forma como se divulgam, vendem e anunciam esses tipos de livros é o ponto mais "trágico". De fato, essa noção que beira a uma de 'verdade absoluta', não é bacana. Porém a forma de leitura, digerimento e aplicação prossegue dependendo dos leitores e prossegue sendo o que mais irá contar. É aí que esperamos que cada um lembre que não existem fórmulas concretas, mas sim meios de autoconhecimento e construção, que podem sempre receber acréscimos e reformulações (e devem). Cada um escreve a sua verdade no momento em que lança uma obra, afinal, isso é arte. Sem honestidade e expurgar, é técnica, é máscara, e não vale como teor artístico. Vai depender do receptor observar que ele deve fazer a dele a partir daquilo, utilizando somente como inspiração, abrir de olhos, conteúdo para bases ou para críticas até não tão positivas que podem gerar inovações próprias de qualquer maneira. O que podemos fazer, nesses casos, é impulsionar para que cada um capte dessa maneira, desmistificando 'pontos finais', como vários dos próprios livros da lista já fazem. Pensar nas obras como ideias que podem fazer mais das nossas surgirem e não como "brilhantismos firmados e ratificados que devo ter igual para mim" é o quesito principal e isso o que sempre tento enfatizar ao indicar qualquer um desses livros. Sucesso feito a partir de endurecimentos estarrecidos por outros, não são nossos. Nós que criamos a nossa maneira e ela se dá pela nossa história e cada minúcia dela. Mas isso não quer dizer que essas inspirações não possam trazer algo de bacana. Até porque, essa asserção de 'vender métodos para o sucesso', se assim utilizadas, somente vão sugar os pontos de que sucesso é algo relativo (fazendo, provavelmente, com que cada um não descubra o seu) e de que cada pessoa só o alcança dentro das próprias criações. Porém, se utilizadas como forma de reflexão para enxergar mais de si, pode ser só mais um tijolinho nas nossas construções. Achei importante ratificar e espero que tenha conseguido. Um super beijo!

      Excluir
  35. Olá, tudo bem?

    Eu li o Sobre A Escrita e nossa, fez muita diferença com relação ao jeito que eu levo a escrita para minha mesma. Sempre escrevi, mas sempre fui descuidada e desatenta, no livro acabei pegando a noção de que deveria me dedicar mais como qualquer trabalho, mesmo que não fosse a fonte de renda momentânea. Gosto muito do Stephen King, de algum jeito ele sempre me ajudou a me melhorar, também comecei a ouvir audio book no transito por conselho dele. HAHAHA

    Adorei seu blog!

    Beijos.

    vidaemserie.com

    ResponderExcluir
  36. As últimas vezes que estive em uma livraria eu reparei que só procurei por livros profissionais. Nunca tive esse interesse, mas acho que chega um momento em que você quer descobrir o novo. Talvez muitos sejam só pra encher linguiça, mas queria muito ter oportunidade de ler um livro assim pois realmente tem me chamado muito a atenção. Adorei as dicas e espero poder ler algum desses em breve!

    Um beijão,
    http://www.maleando.com.br/

    ResponderExcluir
  37. Eu ainda não li nenhum livro desses, mas uma coisa que tenho percebido e admiro no seu blog é o fato de você estar sempre tentando promover maneiras de atingir o bem estar, a motivação e a autoreflexão através de vídeos, livros e tal. O mundo precisam de mais pessoas como você <3

    beijo
    beinghellz.com

    ResponderExcluir
  38. Oi Vanessa o/
    Gostei muito das suas indicações! Ando numa vibe de ler vários livros desse gênero, acho que a partir do momento em que se entende que não se tratam de verdades absolutas, nem de soluções milagrosas, que nós mesmos devemos pegar esses conceitos e fazer nossa parte, auto-ajuda é uma mão na roda!
    Sei que não está na lista, mas já que você falou que O Poder do Hábito é bom, baixei e vou ler ♥
    Beijos!

    claramenteinsana.com

    ResponderExcluir
  39. Estou no momento de livros sobre organização pessoal e produtividade. Acho que, em breve, farei uma listinha assim. Dos que citou, o do King está na minha lista tem um tempo.
    bjos!
    www.jeniffergeraldine.com

    ResponderExcluir
  40. Adorei! Principalmente o livro dos Negócios Digitais... vou procurar!
    Gostei das indicações, quero ler mais posts assim por aqui :D

    Beijos!
    Andréia Campos
    http://petitandy.com

    ResponderExcluir
  41. Aquela loja é bem legal! Vale aproveitar as promoções! ;D

    Muito boa sua lista! Achei todos os livros interessantes. O que mais me chamou a atenção foi o "Super Apresentações: Como Vender Ideias e Conquistar Audiências". Quero procurar pra ler! Ainda não conhecia o autor David Allen.

    Ótimo domingo!

    Beijo! ^^

    ResponderExcluir
  42. Oi Vanessa! Que seleção incrível de livros! Fico muito agradecida com o fato de você compartilhar tanta coisa bacana. Alguns eu já li, outros vou providenciar para que sejam minhas próximas leituras. Estou numa fase de mudanças na vida, buscando uma maior consciência acerca da minha personalidade, das minhas habilidades, do que precisa ser melhor aproveitado, enfim, acredito que muita coisa aí vai me ajudar. :)
    Um abraço,
    Bruna

    ResponderExcluir
  43. Amo livros assim. Dois, que são até menos mercadológicos, que mudaram minha vida foram Roube Como Um Artista e Grande Magia.

    ResponderExcluir

Obrigada por chegar até aqui para deixar a sua opinião. É fundamental para mim. O que dá sentido com ratificação para cada reflexão entre análises, dicas, informações e sentimentos aqui escritos são essas nossas trocas evolutivas de sensações e pitacos.

Não esqueça de clicar em "notifique-me" abaixo do seu comentário para receber por e-mail a resposta dada.

Posts Recentes Mais Posts

TRANSBORDOU NESTES?

Direitos Autorais

Todos os escritos aqui postados são de autoria da escritora, poetisa, compositora e blogueira Vanessa Brunt. As crônicas, frases, poesias, análises e os demais diversos escritos, totais ou em fragmentos, podem ser compartilhados em quaisquer locais e sites (quando não para fins lucrativos: criação de produtos para vendas, entre outros), contanto que haja o devido direcionamento dos direitos autorais. Ademais, as imagens utilizadas no blog para as postagens não são, em sua maioria, feitas pela autora. Portanto, para qualquer problema envolvendo os créditos das fotos, basta entrar em contato e o caso será resolvido prontamente.