15 SÉRIES QUE ABORDAM FATORES SOBRENATURAIS

domingo, novembro 08, 2015


Sou encantada por estórias que agregam elementos místicos. Em uma das últimas entrevistas que dei (você pode conferir completa clicando aqui), recebi a seguinte pergunta: "Tem vontade ou interesse em publicar um livro de estória? Ou prefere ficar no mundo de poetisa?". E a minha resposta foi, sem precisar de reconsiderações: "Os meus escritos cotidianos são, de fato, minhas crônicas e poesias. As escrevo por necessidade, por impulsos do precisar. Mas tenho um amor imenso também por criar contos e estórias em paralelo, vez ou outra, que denotem frutos dos meus desejos mais utópicos. Sou apaixonada pelo universo místico e adoro pensar no fato de que a magia existe. Existe dentro das nossas escolhas, da nossa força de fazer coisas incríveis por outro ser humano e por nós mesmos, de provar que o impossível é apenas um caminho ilusório para a distância do que ainda não conseguimos alcançar. Então, resumindo, sim! Tenho muita vontade de lançar, futuramente, livros de ficção. Inclusive, venho trabalhando em um pelo qual estou cada vez mais apaixonada e envolvida. O problema é que escrever um poema ou uma crônica, para mim é tiro-e-queda. É "sento e desabo", respeitando o que senti e o que saiu através dos meus sentimentos. Em uma ficção fico mais crítica, crio algo novo o tempo inteiro e fico achando que nunca vou terminar, porque sempre vou ter alguma nova criação dentro daquela estória... É um universo inteiro e infindável para desvendar. Então, agora estou focada no que sempre vou escrever, que são meus textos e poemas, mas afirmo que pode vir, em breve, algo nessa linha mais imaginativa". O que gira em torno do sobrenatural, independente do que cada um considera credível, abre espaços para reflexões sobre muitos quesitos inegavelmente reais e para discussões interessantes, como a crença em um destino que já obtém partes escritas. O fato é que parecendo distante ou não do palpável, a realidade mora sempre entre a certeza e a interrogação, e tudo está ligado pelos dois caminhos. Pensando nas tantas mensagens e pontos que tendem a acrescer as nossas teses através da imaginação, foi que separei 15 séries (sem ordem de escolhas) – algumas que acompanho fielmente, outras que ainda não vi com totalidade e outras que estou curiosa para assistir – que abordam fatores extranaturais. Até porque, o envolvimento com esses caminhos tende a ficar ainda maior e instigante com um acompanhamento mais duradouro assim.

  • Game of Thrones

Para quem nunca assistiu Game of Thrones e pensava que a série era somente voltada a quesitos próximos das nossas duras crenças, saiba que a magia também está presente! Sim, você vai relembrar e aprofundar ou até aprender sobre fatores históricos e terá muitas estratégias para fazer análises, além de diversos elementos sobre vínculos humanos e as capacidades dadas pelos sentimentos que vencem as cobiças excessivas, mas tudo estará mesclado a lados fantasiosos que vão se fortalecendo com o tempo, a cada novo episódio, indo para muito além do que você imagina ao assistir o começo da primeira temporada. Poderes que estão conectados com as personalidades de cada um? Dragões? Será? Passei meses ouvindo as melhores críticas sobre a série, checava alguns trailers quando havia lançamentos de novas temporadas e não ficava instigada o suficiente para assistir. Até que nas férias de julho deste ano, decidi tomar uma das melhores decisões: devorei essa estória brutalmente maravilhosa. Entrou com facilidade para o meu TOP 5 de séries favoritas. A série segue as múltiplas sequências e narrações dos livros de A Song of Ice and Fire, do autor George R. R. Martin. A obra acontece nos Sete Reinos fictícios de Westeros, onde "verões duram décadas e os invernos como uma vida inteira". GOT mostra as violentas lutas dinásticas entre as famílias nobres para ter o controle do Trono de Ferro, pertencente ao reino principal. Enquanto isso, nas regiões desconhecidas, mistérios que seriam somente relacionados a lendas do local, começam a ocorrer. Apesar de mostrar muitos dos pontos indignantes que ocorriam naquela época, os "outros lados" também aparecem, como a força feminina e a necessidade dela acima de todo o machismo implantado. O ponto negativo que posso apontar é o de que não dá aquela vontade louca de "morar com os personagens", de entrar na tela e conhecer eles, de fazer parte do destrinchar. Mas a torcida para que seu personagem favorito sobreviva (sério, não dá para saber se ele vai continuar vivo, não existe bem ou mal na série – o que a aproxima da realidade –, assim como não existe uma pessoa principal a ponto de ser afirmado que "não pode morrer" na trama) e as surpresas constantes, com ainda todos os outros inúmeros pontos positivos, suprem sem complicações esse ângulo. E para somar: é aquele tipo de série que tem várias teorias girando em torno! Vale a pena acompanhar esse canal aqui se quer saber de algumas. GOT está em época de gravações para a sua sexta temporada, que promete ser lançada em abril de 2016.

  • American Horror Story

American Horror Story é uma série de horror-drama descrita como antológica. Cada temporada é concebida como uma história independente, seguindo um conjunto de personagens específicos, ambientações distintas e um enredo com o seu próprio "começo, meio e fim". Em todas as temporadas, algumas temáticas costumam ser atingidas, como a destruição que pode ocorrer a partir da falta lealdade, os problemas psicológicos gerados através de traumas e a força de salvação e cura que um laço humano tem, indo além de somente os que ele atinge diretamente. Além disso, existe ainda o hábito de criar um certo quebra-cabeça sobre o passado dos personagens. As estórias giram em torno de questões espirituais e de poderes sobre-humanos, inclusas dentre pontos realísticos, como alguns lados mais obscuros da sociedade e da mente humana (ambição desmoderada, por exemplo). As esquinas culturais e as sobras do que fica no presente em relação a pontos aparentemente obsoletos (em traços mundiais) são muito bem estruturadas e difíceis de odiar. Para quem está à procura de uma série sobre bruxas, a terceira temporada tem o tema voltado para elas. Porém, até então, a minha favorita foi a primeira. Agora, AHS está em sua quinta temporada, que promete durar até 2016.

  • Witches of East End

Para quem gosta de tramas que afirmam o poder do maktub ("está escrito") precisa devorar essa estória! E para quem gosta dos universos bruxos, ainda mais! Muitos itens familiares e de amizade são abordados em Witches of East End, além de romantismo, reencarnação e lados da procura pela realização pessoal e profissional. A série gira em torno de uma família de bruxas com diversos assuntos a serem resolvidos. A personagem central é Joanna Beauchamp, uma poderosa e imortal bruxa que é capaz de curar pessoas e trazê-las de volta à vida, ela é mãe de duas meninas: a caçula Freya e a primogênita Ingrid. Joanna está presa em uma maldição iniciada há gerações, onde é condenada a sempre lidar com a morte de suas filhas ainda jovens e depois engravidar delas de novo. Cansada de ver as filhas sofrerem com a maldição, ela decide lançar um feitiço com a intenção de protegê-las, o que faz com que Freya e Ingrid cresçam sem conhecer suas origens e vivam com ela uma vida pacata na pequena cidade de East Haven, em Long Island. Wendy é a irmã de Joanna, ela é capaz de mudar de forma e assumir a aparência de um gato com várias vidas. Após cem anos afastada por problemas que envolve a sobrinha Ingrid, Wendy reaparece na vida da irmã para avisar que forças do mal colocam em risco a vida de sua família. Razão pela qual Joanna decide revelar para as filhas que elas são bruxas. No entanto, Freya sempre sentiu que havia algo de diferente e Ingrid nunca acreditou. Com a ajuda da tia e da mãe, elas vão aprender como usar seus poderes e trabalhar juntas para derrotar os inimigos sobrenaturais que buscam vingança contra sua família, mantendo suas habilidades em segredo de todos os seus conhecidos. Ingrid é uma bibliotecária tímida e muito inteligente, mas que não acredita em si mesma. Como bruxa, é especialista em prever o futuro. Freya é uma jovem inquieta e dramática que trabalha em um bar. Geralmente rendendo-se aos seus desejos e paixões, ela se envolve com Dash Gardiner, o homem de seus sonhos, embora sinta-se atraída por Killian, o cunhado forasteiro que parece ter uma ligação antiga com ela, de outra vida. Freya é uma bruxa que tem o dom de criar poções e encantos. A Lifetime havia decidido não renovar para uma terceira temporada, deixando o final em aberto por causa da queda de audiência (de fato, achei a segunda temporada, que ainda nem concluí, com um despencar criativo em relação a primeira), mas após o cancelamento, os fãs e o elenco se uniram e iniciaram uma petição online para o retorno da série, a petição, logo em seu início, já contava com mais de 150 mil assinaturas. Em março de 2015, após muitos pedidos dos telespectadores, surgiram boatos de que a série poderá ser concluída no cinema. Existem também especulações de que a série pode ter uma continuação pela Netflix.

  • Once Upon a Time

Imagine se todos os personagens dos contos de fadas vivessem entre nós sem saber quem realmente são? Junte isso a uma mistura de mensagens adicionais entre amizade, autoconfiança, fé no próximo, superação em diversos sentidos (como dos próprios medos) e muito mais, o resultado será Once Upon a Time! Comecei a assistir e por não ter iniciado em uma época tranquila, acabou entrando na minha lista de pendências, mas não tenho pontos negativos a exacerbar diante do que já tinha visto. A estória se passa anos depois dos "felizes para sempre" que conhecemos, quando a Branca de Neve teve uma filha e os rostos jovens das princesas já não são tão livres das marcas do tempo. O iniciar mostra Emma Swan (Jennifer Morrison), uma solitária caçadora de recompensas que foi abandonada quando recém-nascida. Até que, no seu 28º aniversário, é abordada por um menino de dez anos que se identifica como seu filho, Henry (Jared S. Gilmore), que ela deu para adoção quando ainda bebê. Confusa, Emma concorda em levá-lo de volta para sua casa, em Storybrooke, uma pequena cidade no Maine. O que ela não sabe, porém, é que foi a Rainha Má (Lana Parrilla) quem enviou todas as pessoas do mundo encantado para tal lugar, após lançar uma poderosa maldição em todo o Reino Encantado para obter sua vingança, fazendo com que todos os habitantes esquecessem quem realmente são, e começassem a viver novas vidas, com novas identidades e com um passado repleto de novos traços, borrando os reais. Mesmo não acreditando nas palavras do filho, ela começa a observar que aquele local não é nada comum; um lugar onde a magia foi esquecida, mas ainda existe. Agora cabe a Emma aceitar o seu destino e lutar pela sobrevivência dos dois mundos. Em cada episódio conto narrado em flashbacks, e personagens conhecidos como a Chapeuzinho Vermelho (Meghan Ory), o Chapeleiro Maluco (Sebastian Stan), o Grilo Falante (Raphael Sbarge), o Pinóquio (Eion Bailey), a Cinderela, (Jessy Schram), ou o valente Graham, o Caçador que tem como missão matar a Branca de Neve, (vivido por Jamie Dornan), começam a ser explorados, simultaneamente em Storybrooke e no mundo dos contos de fadas, fazendo com que o quebra-cabeça para desvendar e findar a maldição comece a ser juntado. A série está em sua quinta temporada.

  • True Blood

Dessa ainda não assisti nenhum episódio, mas a curiosidade ficou grande ao pesquisar sobre! True Blood mostra uma nova era de evolução científica, na qual os vampiros conseguiram deixar de ser monstros lendários para se tornarem cidadãos comuns. Essa mudança foi causada pelos cientistas japoneses, que inventaram um sangue sintético, fazendo com que os humanos não precisassem mais ser o prato principal. Porém, a sociedade "comum" (será que tão comum assim?) ainda não se sente, em geral, totalmente segura convivendo lado a lado com toda a legião de vampiros, ainda que assumidos. Ao redor do mundo, cada ser escolheu o seu lado a favor ou contra essa revolução, mas numa pequena cidade de Lousiana, as pessoas ainda estão formando a sua opinião. Sookie, garçonete de uma pequena lanchonete, tem o poder de ouvir os pensamentos das pessoas e não vê problemas na integração desses novos membros, principalmente quando se trata de Bill Compton, um atraente vampiro de 173 anos de idade. Mas ela pode vir a mudar de opinião, à medida que desvenda os mistérios que envolvem a chegada de Bill em sua cidade. A série aparenta permear bastante processos que só a autoconfiança pode nos levar a viver. Ela já foi finalizada, contendo 7 temporadas. Os comentários sobre o desfecho tiveram seus prós e contras, e alguns fãs revoltados (alguns dizem que são loucos pelas duas primeiras temporadas, e que depois, não se arrependeram de continuar assistindo, mas jamais tiveram de volta o brilho do roteiro inicial). Não posso afirmar que vale a pena, mas parece ser interessante.

  • The Vampire Diaries

Uma das minhas favoritas. Acompanho fielmente desde os meus 15 anos e sou apaixonada! Claro, que como qualquer série que está durando por mais de 5 anos, The Vampire Diaries também teve seus momentos de entrar na zona morna (aqueles em que você sente que tudo virou enrolação e sem uma conexão real com o início da estória), mas nunca me arrependi de aguardar as amarrações, porque, por vezes, acaba ficando ainda melhor. Sacrifícios por amor é o que não falta em TVD. O balanceamento entre a importância de saber zelar por todos os tipos de prioridades ocorre com maestria. São renúncias pelo amor aos amigos, pela família, pelo romance, pelo amor! E, inclusive, pelos sonhos mais pessoais. A busca pelo entendimento da própria essência e o quanto as pessoas que nos cercam ajudam nesse caminho, é algo presente em todas as temporadas. Lições de amizade e perdão permeiam, basicamente, todos os episódios. Não é com tudo que concordo, e nem os próprios personagens acabam concordando com os desvios de valores que eles mesmos tomam em alguns momentos, mas as superações são maravilhosas de ver, e o real conceito de liberdade, aquele em que não existe ser livre se não firma laços, é mais um ponto que anda de mãos dadas com o roteiro. Não existe uma exatidão entre "o bem e o mal" na série, que é um detalhe que adoro observar e que pode surpreender você com os motivos por trás de cada ato absurdo. A estória começa girando em torno de Elena Gilbert, de 17 anos (que vamos ver crescer e passar pela sua transição até iniciar, de fato, a fase adulta), que quatro meses após o trágico acidente de carro que matou seus pais, tem que ajudar a si e ao seu irmão Jeremy, de 15 anos, a lidar com o luto e tocar suas vidas. Elena sempre foi popular, dedicada e cheia de amigos. Mas agora ela precisa administrar a dor, os novos planejamentos e a sua preocupação com aqueles que ama. Quando o novo ano escolar começa, Elena conhece Stefan Salvatore. Eles imediatamente se aproximam, sem que ela saiba que Stefan é um vampiro com centenas de anos de idade, lutando por uma vida pacífica entre os humanos (parece clichê, parece Crepúsculo, mas pode aguardar detalhes que vão fazer toda a diferença!), enquanto seu irmão, Damon, é a personificação da violência e brutalidade dos vampiros (será mesmo?). Muitos segredos do passado desses dois irmãos estão escondidos somente entre eles e pessoas distantes, e irão invadir a cidade natal e a vida da protagonista, afetando todos os que a cercam. E não pense que só verá vampiros e humanos! TVD nos apresenta um universo de bruxas, espíritos, lobisomens e por aí vai. Atualmente a série está em sua sétima temporada e muitas coisas inesperadas ocorreram de lá para cá. A cara dessa temporada está bastante diferente, mas estou amando!

  • Being Human

De todas as que não assisti ainda, essa é a que mais me deixou com a curiosidade gritando! Sendo originalmente uma série britânica, Being Human ganhou um remake norte-americano em 2011 (que é o apresentado no trailer acima). Aidan é um vampiro e Josh, um lobisomem. Apesar de serem naturalmente inimigos mortais, os dois se tornaram amigos e possuem algo em comum: ambos desejam ter "uma vida normal". Para tal, decidem morar juntos, sem premeditar que uma nova criatura se juntaria ao grupo: Sally, o fantasma de uma mulher que foi assassinada na nova moradia da dupla. Em cima dessa temática de três criaturas diferentes vivendo sob o mesmo teto, cada um possui seus próprios problemas, com suas devidas espécies, mas que naturalmente se cruzam no caminho. Gosto de olhar para essa série como algo bem metafórico. Cada um deles representando as diferenças de gostos e talentos entre seres humanos que podem usar seus dons para fatores mais, ou menos, benéficos para si e para os outros. E, principalmente, pessoas que precisam conviver com tais divergências e conseguem fazer disso a força da união, com mais admiração e inspiração de um para o outro do que inveja ou soberba. Being Human trás uma enorme dose de ação, suspense, mas aparenta se sobressair brilhantemente na parte dramática. Mesmo com todo seu invólucro sobrenatural, a série foca um pouco mais no dilema de seus personagens, suas relações entre si e o mundo humano, colocando também na balança, pelo que pude observar, um certo alívio cômico em boa parte dos episódios. A série britânica já foi finalizada e teve 5 temporadas. Já a norte-americana, que também já chegou a seu final (em 2014), teve um total de 4 temporadas.

  • Penny Dreadful

Essa é outra que ainda não vi, mas entrou, sem dúvidas, para a minha lista de pendências! Penny Dreadful é uma série de suspense com toques sobrenaturais que se passa na cidade de Londres, na época vitoriana. A estória conta com personagens clássicos da literatura como Frankenstein, Conde Drácula e Dorian Gray, porém, trazendo uma nova essências para eles, descontruindo muito do que sabíamos. Seus contos de horror, origem e formação se misturam à narrativa dos protagonistas. A série é estrelada pelos atores Josh Hartnett e Eva Green, e conta com Sam Mendes como produtor executivo da atração. A segunda temporada de Penny Dreadful estreou em 20 de Abril de 2015. Seu último episódio foi exibido em 31 de junho de 2015. Segundo o site AdoroCinema, a série já ganhou uma terceira temporada com 9 episódios, com estreia prevista para 2016. Não dá para ter muita noção das profundidades da série em relação às mensagens que aborda em seus pontos implícitos, mas os fãs alegam que fica realmente empolgante a partir do quinto episódio. Vamos descobrir?

  • Teen Wolf

Apesar de aparentar ser carregada de clichês, essa está há séculos na minha lista de pendentes para assistir. Poucas foram as críticas mais negativas do que positivas que vi. Teen Wolf nos apresenta ao jovem Scott McCall (Tyler Posey), que é estudante do ensino médio no colégio fictício de Beacon Hills e vive como um garoto comum, passando por problemas naturais da juventude. Ao ir caminhar na floresta em busca de um suposto corpo morto, o menino é mordido por uma criatura. Nos dias seguintes, Scott logo nota as mudanças em seu corpo e nos seus sentidos, concluindo que se tornou um lobisomem. Ele se esforça para esconder de seus colegas a nova característica, com exceção do melhor amigo Stiles Stilinski (Dylan O'Brien), da namorada Allison Argent (Crystal Reed) e do companheiro Derek Hale (Tyler Hoechlin), com quem conta para enfrentar a nova fase. A série não parece aprofundar muito as lições em nenhum âmbito (amizade, amor, descobertas profissionais, etc), mas pode surpreender, afinal, há sempre algum novo ângulo para ser visto. TW está na quinta temporada e já confirmou a sexta.

  • Grimm

Descobri a série Grimm recentemente e não faço ideia do que esperar. Futuramente espero fazer algumas resenhas mais elaboradas dessas séries que ainda não assisti. Grimm gira em torno da seguinte indagação: "o que aconteceria se você descobrisse que aquelas histórias que seus pais contavam antes de dormir não são contos de fadas, mas sim avisos?". Esse é o dilema que o detetive de homicídios Nick Burkhardt (David Giuntoli) precisa enfrentar. Ele começa a ver coisas estranhas, detalhes que expressão como as pessoas realmente são (interiormente?). Sua tia acaba revelando que a família deles faz parte dos últimos descendentes de um clã de caçadores, os Grimm, da mesma linhagem dos famosos escritores (que escreveram os "verdadeiros contos de fadas", que de leves não chegam nem perto). Encarregados de salvar a humanidade de perigos inimagináveis, os irmãos da literatura estavam, na verdade, escrevendo uma espécie de alerta que, com o passar do tempo, ninguém mais acreditou. Agora o policial deve desvendar os assassinatos sem revelar ao mundo seu estranho dom. Pelo caminho, Nick acaba descobrindo que nem todas as criaturas são malignas e acaba encontrando aliados nas mais improváveis criaturas. Existem críticas negativas em relação a falta de clímax nos primeiros episódios, porém é dito, em complemento, que a série ganha corpo do final da última temporada em diante.
  • Heroes

Adoro enxergar de forma bastante metafórica essas estórias de heróis. Todos temos talentos diversos, dons incríveis que podem se tornar basicamente inacreditáveis se tivermos vontade de agregar originalidade e compartilhamento de algo positivo para o mundo. Não coloquei aqui as inúmeras séries de heróis (como Smallville), porque acabaria indo demais para um universo que é muito "único", mas não quis deixar de trazer ao menos uma dentro desse contexto. Heroes conta a estória de um grupo de pessoas "comuns" de diferentes partes do mundo que começam a descobrir habilidades extraordinárias. Enquanto um eclipse total acontece, um professor de genética é guiado pelo desaparecimento do pai a descobrir uma teoria secreta de que existem pessoas com poderes extraordinários vivendo entre nós. No Japão, um simples funcionário de escritório é capaz de parar o tempo. Em Los Angeles, um policial decepcionado com a vida começa a escutar o pensamento das outras pessoas. Um jovem sonhador tenta convencer seu irmão de que ele pode voar. Uma líder de torcida descobre ser indestrutível. Uma stripper de Las Vegas percebe que sua imagem no espelho tem um segredo. Um talentoso artista pode pintar o futuro. O que eles não sabem é que estão um passo à frente na evolução da humanidade e que seus destinos já foram traçados. Os mistérios e segredos desses heróis são desvendados a cada episódio. A série já foi finalizada e teve 4 temporadas.
  • Fringe

Mais uma da minha imensa lista de séries pendentes. Socorro, gente! Pelo menos nas férias acho que não poderei reclamar. Finge conta a estória da agente do FBI Olivia Dunham, que é chamada junto com o também agente John Scott para investigar o caso de um avião que pousou no aeroporto de Boston com todos os seus passageiros e tripulação mortos de forma terrível. John quase morre durante a investigação e Olivia, desesperada, procura alguém que possa ajudá-la a resolver o caso. Parece que o brilhante Dr. Walter Bishop seria a pessoa certa para recorrer. Mas ele esteve numa instituição psiquiátrica durante os últimos 20 anos e a única maneira de interrogá-lo é através do seu filho, Peter Bishop, quem ele não vê há muito tempo. A investigação de Olivia acaba envolvendo diversos outros agentes do FBI e todos estão prestes a descobrir que o que aconteceu no vôo 627 é apenas a pequena parte de uma verdade muito mais chocante. Eles descobrem que, assim como esse acidente, uma enorme quantidade de eventos estranhos faz parte de um padrão. Mutação genética, reanimação, teletransporte, universos paralelos... E, sem saber, eles estão bem no centro dessa série de acontecimentos que pode mudar tudo o que conhecemos. A série já foi finalizada e teve um total de 5 temporadas. Creio que as mensagens humanas principais girem em torno da descoberta das próprias capacidades, da não acomodação e, consequentemente, do destemor em relação ao desconhecido (que, caso não seja tão positivo, vai causar evolução de alguma maneira, então sempre é válido), assim como em Heroes, porém muito mais sempre fica incluso. Romances, amizades, e diversos laços e ocorrências levam para as lições implícitas e explícitas das séries, então, só vendo para analisar. Que haja tempo para a minha lista humilde!

  • Salem

Última das que estou ansiosa para começar a assistir. Ufa! Em meados do século XVII, o povo de Salem passava pelo período onde ocorreram os feitos que ajudaram a consagrar a fama que a cidade possui até hoje: a época de caça às bruxas. É com esse cenário que foi desenvolvido o seriado Salem, trama sobrenatural criada Adam Simon e Brannon Braga. A trama se passa em Massachusetts, no século XVII, e acompanha a história de Mary Sibley, uma bela jovem casada com um rico membro do conselho da cidade, e que deixou uma antiga paixão para trás quando John Alden partiu para a guerra. John retorna agora, dez anos depois, para Salem, e encontra uma cidade mergulhada em uma louca caça às bruxas, com mulheres queimadas e enforcadas ao primeiro sinal de possessão demoníaca. A série está em fase de produção da sua terceira temporada e parece agregar inúmeras mensagens relacionadas ao preconceito, a fatores históricos que continuam a nos perseguir, a sacrifícios românticos e a cegas ambições.

  • Supernatural

Supernatural já é um clichê quando se fala de séries dentro dessa temática, mas não poderia deixar de aparecer por aqui. Abordando diversas mensagens sobre superação, família, amizade e trabalho em equipe, a série conquistou uma imensa legião de fãs, que fizeram com que a trama chegasse em sua 11º temporada neste ano, sem previsão de término. Ela conta a estória dos irmãos Sam e Dean Winchester, que perderam a mãe em um trágico e misterioso acidente, no qual as forças sobrenaturais estiveram envolvidas. Por tal razão, o pai decidiu ensiná-los a lidar com a vida sobrenatural, mostrando técnicas de defesa contra as forças mais obscuras, como, por exemplo, a maneira ideal para "matar" os diferentes tipos de criaturas maléficas. Após, os irmãos Winchester passaram a percorrer os Estados Unidos em seu velho Chevy travando uma verdadeira batalha contra o lado nocivo do universo espiritual e além. Objetos amaldiçoados, vampiros, bruxas e entidades cruéis são só alguns dos desafios que os dois irmãos têm de superar. Não sou muito a favor de uma separação tremenda entre os lados "bons e ruins" de qualquer que seja a temática, mas diversas lições que acabam surgindo nos intrínsecos da estória, fazem ela valer.

  • Charmed

Durante oito temporadas, as irmãs Phoebe, Piper e Prue Halliwell conquistaram milhões de fãs ao redor do mundo e o seriado se tornou um marco na TV americana na época de sua exibição. A trama da primeira temporada apresenta as três descobrindo seus poderes e como controlá-los. Tudo começou quando a impulsiva Phoebe voltou para São Francisco após a morte de sua avó e passou a morar em sua antiga casa (herança da avó) com suas duas irmãs. A Prue é a mais velha e responsável, e Piper, a irmã do meio, é muito maleável. Phoebe descobre um livro de bruxarias - o "Livro das Sombras" - no sótão e, ao ler a primeira página do livro, invoca o "Poder das três", concedendo a ela e suas irmãs poderes mágicos. Aos poucos, as três irmãs vão aprendendo a utilizar seus poderes e passam a ser poderosas bruxas que estarão sempre lutando contra criaturas maléficas e bruxos para proteger inocentes e impedir que seus poderes sejam roubados. Elas contam com a ajuda de Leo, um Whitelighter, espécie de Anjo da Guarda das bruxas. Por ser uma série bem antiga, os efeitos podem causar risos, mas logo isso é esquecido por conta da estória cativante, que agrega muitos quesitos de lealdade e trabalho em equipe.

Já viu alguma dessas séries? O que achou? Qual dessas ainda não assistiu e ganhou agora espaço na sua lista? Não deixe de contar aqui nos comentários! Claro que existem muitas outras como The Secret Circle (que, infelizmente, foi cancelada sem um final digno) e The Walking Dead. Então não deixe de falar também se tem alguma favorita dentro desta temática que não apareceu aqui.

LEIA TAMBÉM:

2 COMENTÁRIOS

  1. Que perfeição! Esse blog é muito diferente de tudo o que ja vi. Finalmente uma poetisa resolveu dominar essa parte dos blogs, trazendo conteudo de verdade, profundo, intenso. maravilha, Brunt! Ja tinha lido poesias suas e algumas frases, sempre gostei, e é muito bom poder ler suas dicas agora, tao diferenciadas e com toques poeticos. sensacional! Nao conhecia varias das series e amo tambem pensar por esses angulos, de que a magia existe nas nossas forças. Vou tentar ver todas, minha lista vai ficar tipo a sua kkkkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oba! Que maravilha saber que devora meus sentimentos escritos e que tem gostado das dicas! A intenção é justamente essa, de aprofundar sem dar spoilers, rs. Obrigada por alegrar o meu dia, Roberta! Espero que goste de aumentar a sua lista. Tomara que a gente consiga começar a diminuir um pouquinho, não é? Espero que continue emitindo suas opiniões! Um beijão.

      Excluir

Obrigada por chegar até aqui para deixar a sua opinião. É fundamental para mim. O que dá sentido com ratificação para cada reflexão entre análises, dicas, informações e sentimentos aqui escritos são essas nossas trocas evolutivas de sensações e pitacos.

Não esqueça de clicar em "notifique-me" abaixo do seu comentário para receber por e-mail a resposta dada.

Posts Recentes Mais Posts

TRANSBORDOU NESTES?

Direitos Autorais

Todos os escritos aqui postados são de autoria da escritora, poetisa, compositora e blogueira Vanessa Brunt. As crônicas, frases, poesias, análises e os demais diversos escritos, totais ou em fragmentos, podem ser compartilhados em quaisquer locais e sites (quando não para fins lucrativos: criação de produtos para vendas, entre outros), contanto que haja o devido direcionamento dos direitos autorais. Ademais, as imagens utilizadas no blog para as postagens não são, em sua maioria, feitas pela autora. Portanto, para qualquer problema envolvendo os créditos das fotos, basta entrar em contato e o caso será resolvido prontamente.