O QUE ACONTECE FORA DA BRIGA A DEFINE MAIS DO QUE O INSISTIR

quinta-feira, julho 28, 2016


O leal, o sincero, o fidedigno, o real, pega na boca da onça sempre uma vela para iluminar a próxima briga. A briga que pode já não ser com o jaguar, com um dos leões na savana ou com o crocodilo da escuridão ao lado, pode ser com quem não sabe, com o animal desconhecido ou até com a própria onça se ela ressurgir da lama. O que importa não é com quem, o válido é o consigo, é o saber que um pingo de luz já estará por perto. É uma carta de recomendação.

Aquele que é um por conter vários dentro de si que respeitam um ao outro, aquele que é um por não abranger internamente versões que desfazem das próprias verdades ao ganharem encontros, aquele que é honrado por distinguir pluralidade e inconsonância, é o que vê em uma desavença apenas parte do caminho e não um escape para argumentar futuras falhas ou cometer piores desvios. Na briga com quem (ou o que) diz ter importância, aquele que é um, mesmo com tantos de si, age como um temeroso em queda livre: sabe que não tem escolha, deve prosseguir caindo até chegar ao chão para resolver as sensações. Ele não tenta esquivar, buscar outra aventura simultânea ou parar como freio que viu cão em travessia. É hamster na roda  enquanto está nela, não há busca por nenhuma outra, não demonstra pensar em nenhum círculo a mais, não abraça afazeres que firam a corrida já árdua, não há ação que desfaça a entrega ao exercício. Quem está malhando, prossegue com as dietas mesmo quando não em academia.

Quem esteve e está, durante a desordem prossegue mantendo todas as juras, por mais que o outro lado quebre a maioria das feitas. O verdadeiro não perderá seus argumentos já mantidos apenas por trocos e revanches, não usará como desculpa o escorregão do outro para arranjar tobogã ou sequer ladeira mínima  porque isso só provaria que sempre quis ruir ou talvez despencou antes , não vestirá como fraude qualquer solidez firmada por si durante as primaveras. Ele manterá a sua parte. Regará as plantas mesmo que o sol teime em não nascer.

Ainda que a briga vire inverno e cause a morte de todas as demais estações, ainda que a decepção seja o único floreio e reste o caixão e adeus, aquele que permaneceu com suas promessas em cada chuva e trovoada, só as irá abandonar após afirmar com todas as letras que está em funeral, que não mais patrocina tais comprometimentos.

Ainda depois do enterro, o franco, digno e valente, não irá cometer vinganças. Sabe que elas são apenas o prosseguimento de uma discussão – e se ainda quer discutir, lembra que precisa da vela e não do assopro. Ele não perderá os argumentos que tem. E o que mais defende um advogado é a prática moral. , o refinamento da carência, a comprovação da tentativa de não sumir da mente de quem ainda não sumiu da própria. Sabe que a vingança é uma clarividência da tortura particular e, mais do que isso, sabe que ela anula sua carta de recomendação. E, oras, a carta é fundamental. Não exatamente pelo que o outro pensa, mas pelo que ficará no desfecho de todas as partidas do próprio livro. O legado. A totalidade com seu nome. É disso o que se trata.

Por mais correto e dolorido que esteja o peito, o sensato não deseja gerar desconfiança nem durante um combate e nem após uma derrota. Durante o conflito, o justiceiro pode até não parar todos os pontos da vida, pode continuar com tudo o que resta, mas não busca novidades ou alterações de forma a machucar o que foi, naquela conexão, declarado. Pensa sempre no retorno, em como gostaria de ser visto em uma próxima discussão (mesmo sem a certeza de ela virá), de como gostaria de afirmar que manteve a palavra. Não tira o peso das costas apenas ter um maior caso voltasse naquela estrada. Sabe que isso seria como atirar em si mesmo.

O bom é mesmo egoísta, pensa assim, mais nas próprias falas e futuros. Como o amor. Ambos se importam consigo e só. Porque isso já é significar os que estão em torno, já é não ferir os demais com os quais tem tratos, esperanças e propostas. O bom não surta porque o outro surtou, não fere porque o outro feriu, não torna uma briga o fim de tudo enquanto não for totalmente confirmado o fechamento. Ele continua ali, mantendo seu papel de benfeitor até que possa fazer algo que não seja usado contra si. Ele lembra que fazer pelas costas já é se embolar em forca. Contra si só não pode ser usado o que é feito na cara de todos, sem vergonha, agonia ou temor; o que não quebra os valores ditos, o que, se feito diferente dos valores, só é cometido após o último ponto da relação.

O clemente sabe que tem seus pontos de anti-herói, porém regra suas linhas para não ser vilão. Ele é de verdade porque não engana a ele, e assim não engana a ninguém. Faz o mesmo lá, cá ou ali. Prossegue sendo tudo o que justificou, mas não fique em ilusão: quando o elo chega em encerramento, não aguarde mais a sua benevolência e altruísmo. Não aguarde nenhuma das certezas que ele mantém em qualquer interrogação. Porque durante os tópicos incertos, ele faz o que deve ser feito: prossegue com o que jurou ser certo no durante. Entretanto, se é absoluto o fim, não espere nenhuma abdicação. Se ele saiu do emprego, não precisa mais do certificado.

Todavia, durante a guerra que for, do tamanho que for, do jeito que for, com o erro que for do outro lado, lá estará ele, acendendo velas. Lembrando que o que deixa de fazer é ainda mais importante do que o que faz. O que faz comprova o seu agora, não significa que prossegue sendo assim, mas significa que pode prosseguir. Deixa a dúvida. Não tem jeito. Não adianta comprovar. Faz a interrogação. Já o que não fez, significa que nunca foi, já é prova para gritar aos quatro cantos que não há indícios contra si. Será mesmo que no fim nos arrependemos mais do que não fizemos? Ou o arrependimento é pelo que não foi feito enquanto seria um algo que não feriria os respeitos patenteados? A resposta em qualquer entrelinha acaba sendo que nada é pior, mesmo, do que fazer o que desfaz os feitos. E quem toma cuidado com isso, continua tomando mesmo quando parece não mais precisar, até que seja demonstrado, gritado, presenciado, combinado, que não mais precisa.

A batalha não é usada como desculpa para sentir liberdade, até porque sabe que esse tipo de liberdade é um engano de asas, das que viram correntes que deixam marcas eternas nos pulsos e rosto. A batalha não é usada como forma de descumprimentos. A batalha é usada como um dos meios mais fortes para definir o caráter, a bondade, a anotação. É no que é feito fora dela, enquanto ela está viva, que mais se pode afirmar. Para quem é escrupuloso, o que acontece fora da briga é divisor de mágoas.

Quem continua sendo amor no meio do tiroteio, pode não definir o fim daquela história, mas define a continuação da própria. Sangrar não é desculpa para atirar no outro. Quem não fere o que jurou mesmo quando atingido, quem não fere o que jurou até que jure não mais jurar, é o único que poderá requerer credibilidade. A melhor vingança é poder dizer que não se vingou. A não vingança comprova essência para qualquer outro emprego.

Não adianta perguntar se antes da resposta, também engana. Não adianta ficar perto se quando longe, maltrata. Não adianta grudar, se quando passa água gelada acha que é sozinho. Não adianta garantir, se quando dói, penhora as únicas certezas que tem, pelas dúvidas. Não adianta ficar bem, se quando discute, o empenho só vai até onde os olhos pretendidos alcançam. Não adianta insistir, demonstrar esforço, fazer planejamentos, largar os orgulhos, ficar de pé na porta por dias, encher as olheiras ou cumprir pactos vazados, se quando não tentando, deixa de tentar. É na brecha que fica a maior resposta, é na distância, é no que acontece por fora, é no que comprova se o importante sempre está por dentro, mesmo quando não está presente. A superfície que é mais laudo do que a profundidade, é dada no ato do outro lado do mundo, o qual vale mais do que o drama feito somente quando existem os espectadores "corretos". Quem não é ator, apresenta o teatro para todos, onde quer que seja.

O mau-caráter, por outra angulação, não deixa a liberdade de poder brigar acontecer. E eis um ponto imprescindível para qualquer relação minimamente saudável: o de ter tranquilidade para pensar na confusão e não somente nas confusões que a desordem causada pode gerar. Brigar com o mau-caráter causa automaticamente uma sensação de angustia em quem o acompanha, não só pelo debate ocorrido, mas bem mais pelo que ele pode achar que tem alforria para fazer após o cadarço amolecer. As noções carregadas por ele de independência, autonomia e emancipação são todas as que causam, no último capítulo, as piores cadeias para ele – eternamente  e para quem fica ao lado – enquanto por lá estiver . Qualquer guerra é greta para defender os erros cometidos. No afastamento, não há preocupação em corromper até o que foi honesto, não há preocupação em recuperar o que está praticamente perdido ou já defunto. O perdão do dissimulado não considera os futuros atos quando em locais divergentes e tampouco quando outra rixa aclamar. O mau-caráter faz conversar ser conferir e brigar ser desconfiar. 

A verdade de um laço entre dois seres faz com que o laço prossiga sendo laço mesmo quando em formato de fita; faz com que o laço só não precise ser tratado como laço depois que a fita for cortada, claramente, na frente de ambos. No relacionamento, o egoísmo do bom é fundamental. O saber que na guerra, as regras continuarão sendo ratificadas com naturalidade, porque quer, porque é também para si  porque ser para o outro, é parte do ser inteiro , é uma certeza para todas as arestas enquanto ainda não tiver dito que os caminhos já não serão pelo mesmo asfalto. O desespero quase sufocante do bom por sua palavra é substancial para o poder respirar. Para dar conselhos e puxar orelhas sem restrições bobas, para alargar sinceridade e sentir o conforto da lealdade mesmo quando não dita, para viver uma amizade como base e não como algo a ser sempre cozinhado. Amizade que dói o braço para ter, que na incerteza de uma queimadura já sai agindo como final, é nada além de correr em esteira: quando saímos estamos mais saudáveis, porém no durante não se chega manifestadamente em nenhum lugar.

Durante as quebras de pratos, quem esteve de verdade, acende a casa. Não para esquivar dos atiramentos, mas para estar de pé nitidamente, sangrando ou não, para a próxima briga. Afinal, o bom-caráter não atirou pratos, mesmo sendo alvo deles. Tudo fica às claras, o condomínio inteiro, o portão, os carros da praça. O sábio assiste o outro perder as rédeas, ficar calmo ou ser igual. Assiste não quebrando nada do que deixa os pilares da casa de pé. Assiste lembrando do que não deve fazer, do que não está fazendo, do que poderá dizer, do que sua luz acesa disse. O sábio prossegue sendo concentrado, porque nem é esforço. Mais do que ser bom, mais do que quesitos sobre índole, o permanecer como antes  ou até mais – mesmo na nuvem escura, mesmo nos metros alargados, é registro de veracidade do pretérito e das pétalas. O resto, pior do que nunca ter estado, pior do que ter sido mais espinho do que aparentava, representa que aquele tal, nunca sequer sentiu. O bom será o lembrado quando tudo escurecer, quando uma briga com um mau-caráter ocorrer, quando uma saudade mentirosa de quem não a merece passar rápido, dando dor de barriga. Será o mais marcante aquele que permaneceu (com as normas combinadas) em todas as instâncias de porta ainda não trancada – mesmo se for embora após travar o cadeado , por saber que só se racha o pote não depois de não ter mais água dentro, mas sim depois de dizer, de asseverar, na frente do pote, que dali não mais beberá. O bom prossegue analisando e retraindo, para no fim ter ainda tudo o que ninguém pode dele retirar, e só deixa em cima da mesa o lembrete da conta de luz.

LEIA TAMBÉM:

47 COMENTÁRIOS

  1. Amo quando tem textão seu! Sao os unicos que me fazem ler tudo, tudo mesmo e ficar refletindo pro resto da vida. Nunca sei definir as minhas partes favoritas, mas é tao bom sair anotando varios trechos e sempre volto depois pra ver se seleciono mais.

    "Não adianta insistir, demonstrar esforço, fazer planejamentos, largar os orgulhos, ficar de pé na porta por dias, encher as olheiras ou cumprir pactos vazados, se quando não tentando, deixa de tentar."

    "Quem continua sendo amor no meio do tiroteio, pode não definir o fim daquela história, mas define a continuação da própria. Sangrar não é desculpa para atirar no outro. Quem não fere o que jurou mesmo quando atingido, quem não fere o que jurou até que jure não mais jurar, é o único que poderá requerer credibilidade. A melhor vingança é poder dizer que não se vingou. A não vingança comprova essência para qualquer outro emprego."

    "Será o mais marcante aquele que permaneceu (com as normas combinadas) em todas as instâncias, por saber que só se racha o pote não depois de não ter mais água dentro, mas sim depois de dizer, de asseverar, na frente do pote, que dali não mais beberá."

    Por enquanto ja salvei essas partes. Voce sempre faz meu estomago receber socos tao uteis. Obrigada, brunt!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, Ca, que carinho mais lindo e incrível de poder sentir e guardar com tamanha alegria! Como é maravilhoso saber que pôde mergulhar nas linhas e entrelinhas dos sentimentos expurgados com tanto de si! Obrigada por amplificar assim os sentidos de cada partilha aqui cometida. Espero imensamente que cada emissão feita possa ter impulsionado demais releituras internas e clarificações de caminhos para que permaneça aquilo que causa traços positivos que possam suprir pontos negativos. Que faça o "fe", RIR. Adorei tanto saber alguns dos trechos que mais puderam invadir seu coração. Obrigada por essa alegria imensurável, por essa emoção maravilhosa. Um super beijo!

      Excluir
  2. Oi Vanessa, sempre saio daqui com uma frase sua cabeça, alguma que tenha me marcado mais no seu texto. Nesse foi difícil selecionar só uma, saio com várias referências bacanas. Um beijo :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, Mila, como é maravilhoso sentir esse seu mergulho em si através de cada detalhe expelido que vira tão nosso. Saber dessas releituras internas causadas pelas nossas mãos dadas é o que faz o sentido real de cada palavra aqui emitida. Obrigada por sentir, ficar e ser. Espero imensamente que cada linha e entrelinha possa ter aberto alas para clarificações que tragam ainda mais pontos saudáveis para cada um dos seus alcances e para cada caminhar. Obrigada por essa lindeza! Um super beijo!

      Excluir
    2. Oi Vanessa, vim aqui falar a respeito do problema que você anda tendo para comentar lá no Não Me Mande Flores. Não sei o que está acontecendo, mas eu recebo todos os seus comentários. No último post, do Adegão Português, todos os 3 comentários que você fez estão publicados. E isso já aconteceu em outras ocasiões, você diz que o comentário não está aparecendo, mas ele está visível para mim e para outras pessoas. É um mistério realmente. Depois dá uma olhada por lá para ver se você consegue ver os seus comentários publicados. Um beijo querida! :*

      Excluir
  3. Eu amo, amo seus textos, linda!
    "Sangrar não é desculpa para atirar no outro."
    Eu simplesmente fiquei chocada com essa frase.

    "É na brecha que fica a maior resposta, é na distância, é no que acontece por fora, é no que comprova se o importante sempre está por dentro, mesmo quando não está presente."
    Também me marcou demais!
    Beijos
    BlogCarolNM
    FanPage

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E eu fico tão extasiada, emocionada, alegre e intensificada por esse seu carinho tão lindo e maravilhoso de guardar com ternura e zelo, Ca! É tão incrível e vibrante saber alguns dos trechos que puderam ganhar ainda mais a sua mente, coração e, consequentemente, releituras internas. Obrigada por ratificar assim os sentidos principais deste nosso cantinho. Obrigada por transbordar! Obrigada por essa felicidade.

      Excluir
  4. Aplaudindo o texto loucamente! Sabe que a um tempo atrás tive um namorado que achava q meu pote estaria sempre cheio de água limpa e linda para beber, não importasse o quanto ele derrubava e jogava esse pote no chão. E um dia lacrei de um jeito que ele jamais pode se aproximar... nem ao menos para beber uma gotinha haha!!!

    Bjinhos,
    ❥ AmigaDelicada.com.br ❥ Facebook ❥ Twitter

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, como é maravilhoso sentir que pôde mergulhar em releituras assim, abraçando tanto mais de si e dos pontos que devem permanecer para o próprio bem. Obrigada por dar ainda mais sentido a este nosso cantinho, tornando cada partilha, cada linha e entrelinha, tão nossas. O que não dá valor até nos momentos de sol, só tira a nossa própria luz, não é? Adorei saber que caminhou ficando nos pontos que suprem negativos. Um super beijo!

      Excluir
  5. Gosto muito dos seus textos, principalmente quando eles caem assim, de bobeira, no meu colo.
    Esse texto é resume bem uma confusão que tem passado pela cabeça nos últimos dias e me ajudou a organizar ideias :D

    Blog.
    Facebook.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, meu coração acabou de só ter espaço para emoção e carinho! Que lindeza é poder mergulhar em cada uma dessas suas palavras e sentir tanto da conexão que cada partilha aqui feita nos dá. Obrigada por essa alegria, por sentir os seus transbordares e por ratificar os principais sentidos deste nosso cantinho! É tão fundamental saber que cada detalhe daqui de dentro expelido pôde ajudar em clarificações tão suas, tornando tudo isso tão nosso - que é o desejo principal! Espero imensamente que prossiga no seu caminho o que faça mais bem do que mal, sempre. Obrigada e obrigada por essa felicidade. Um super beijo!

      Excluir
  6. Eu adoro ler seus textos! Eles sempre se encaixam no cotidiano, em situares do mu dia a dia e sempre me ensinam muito!
    Um beijo!

    www.impulsofeminino.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, que alegria imensurável por sempre sentir os seus mergulhos e transbordamentos a cada sentimento expurgado, Thai! Obrigada por alimentar com fulgor os sentidos deste nosso cantinho a cada abertura de mente e coração em mesclagem para que possamos reler mais dos nossos interiores de mãos dadas. Um super beijo!

      Excluir
  7. Seus textos são tão profundos, amo me perder nas suas palavras! <3

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, Ka, que alegria gigantesca por sentir o seu mergulho em cada sentimento expelido e por saber que navega entre linhas e entrelinhas pelas partilhas aqui emitidas. Espero que o derramamento possa desaguar para você abrindo alas para mais releituras internas e clarificações que permitam apenas positivos que supram negativos, viu? Obrigada por esse carinho tão lindo e incrível de sentir. É uma delícia poder retribuir com imenso gosto. Um super beijo!

      Excluir
  8. Quantas palavras, Vanessa! Você escreve muito, e eu estou sempre absorvendo tudo o que posso deles. Fiquei com esse trechinho batendo na cabeça "Não adianta ficar perto se quando longe, maltrata."

    Beijo <3
    www.leitorasvorazes.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, segura coração! Respira, Brunt. Fico emocionada a cada sensação assim abraçada por esse carinho lindo. Como é deleitoso receber essa conexão incrível e poder retribuir com tamanho gosto. Obrigada por sempre mergulhar e compartilhar sensações, amplificando essas trocas evolutivas que são as bases dos sentidos deste nosso cantinho. Espero que cada emissão possa gerar releituras internas densas e desencadeantes de pontos que causem ainda mais alas para somas e expurgamento do que subtrai. É sensacional saber um dos trechos que mais guardou. Que ele possa contribuir para mais riquezas na sua estrada. Um super beijo!

      Excluir
  9. Vanessa, eu curto pra caramba quando tu usa e abusa das metáforas. É gostoso supor o que vc tava pensando/sentindo enquanto escrevia e, simultaneamente, é inevitável não me colocar em seu lugar.
    Tive que ler e reler umas 3 ou 4 vezes para superar o gostinho de quero mais.
    Lindas palavras...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, fico tão emocionada, tão tocada, tão vibrante, tão intensificada por ler cada uma dessas suas palavras, Ade. É tão incrível poder guardar esse carinho tão lindo e sentir nele o alargamento dos sentidos prioritários deste nosso cantinho. Obrigada por mergulhar, por ir nas linhas e entrelinhas com tanto fulgor e por ser poesias navegando em poesia. É maravilhoso saber que cada sentimento daqui de dentro expelido, é tão nosso. Espero imensamente que cada fragmento possa ter impulsionado em releituras internas que causem impulsionamentos para o que gera bens que supram os pontos ruins. Obrigada pela felicidade de sentir o seu ser e estar. Espero muitíssimo ver ainda mais de você por aqui, viu? Um super beijo!

      Excluir
  10. Oi Brunt! Posso te chamar assim? Ah mulher, que texto! Me perdi e me encontrei em vários parágrafos e sinto que se lesse e relesse, ainda não compreenderia tudo o que estava escrito nas entre linhas dele. Acredito que é realmente uma dádiva quem consegue superar e ainda se abrir para uma coisa nova depois de uma turbulência grande, que não precisa necessariamente envolver alguém. Porém, acredito também que, ás vezes o melhor é sair por aí, gritando e deixando transbordar tudo o que há de excesso em si, para que as pessoas que estão precisando possam absorver para si mesmas, independente de ser através de pessoas aleatórias e desconhecidas. Amei e amei, de verdade <3
    xoxo'

    Adolescência Nerd | Fanpage NOVA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, Isa, que carinho mais lindo de poder sentir, retribuir eternamente e guardar com tanto gosto! Obrigada por transbordar! Obrigada por mergulhar neste nosso cantinho sempre com detalhes que alegram e acrescentam tanto o meu coração. E pode chamar de Brunt, de Nêssa, do que desejar! A casa é nossa, a casa é sua. Até prefiro do que 'Vanessa' (sinto que estão brigando comigo, rs). Sem dúvidas, no fim, o que importa mais é a releitura, que sempre é descobrir e inovar. É o não deixar de lembrar que maturidade é não desistir de sentir, é o densificar seja na fase que for, com quem for, ainda que só consigo. Adorei ir nas entrelinhas de cada uma dessas suas palavras e espero que cada partilha aqui feita possa de mesma forma, como você mesma disse, ser absorvida à sua maneira, para o que mais precisar. Obrigada e obrigada por essa alegria! Um super beijo!

      Excluir
  11. MANUELLA SALGUEIRO29 de julho de 2016 01:09

    Voce faz poesias tao alem dos seus poemas, vejo voce sendo poeta em tudo.. em qualquer texto, analise, é incrivel! Tantas frases fortes, como sempre, em mais esse tapa na cara social. Só o titulo já chegou mexendo nas minhas estruturas. Ja passei por situações tão dentro disso, com um mau-caráter mesmo, desses que sai "descumprindo" tudo quando uma briga acontece, quando qualquer coisa "dá errado" e eu amaria mandar esse texto todo pra ele agora mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, socorro! Fico emocionada, tanto e tanto, a cada sensação assim abraçada por esse carinho lindo. Como é deleitoso receber essa conexão incrível e poder retribuir com tamanho gosto, Manu. Obrigada por mergulhar e compartilhar sensações, amplificando essas trocas evolutivas que são as bases dos sentidos deste nosso cantinho. Saber que desde 'a primeira frase' já pôde chegar em releituras e reflexões é tão incrível! Obrigada por tornar cada partilha tão plural, tão nossa. Obrigada! Espero que cada emissão possa gerar folheamentos internos densos e desencadeantes de pontos que causem ainda mais alas para somas e expurgamento do que subtrai. Um mau-caráter assim só merece nosso retorno, mesmo que seja para ratificar uma última vez, somente se algo dentro de nós for virar 'e se'. Um super beijo!

      Excluir
  12. Oi Vanessa, sou uma amante de leitura e amo os seus textos, infelizmente não comprei nenhum dos seus livros ainda. Falei um pouco do seu trabalho no meu blog, ficaria muito feliz se passasse lá. Beijos.

    www.nayanemartins.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nay, a alegria e o impulso que esse seu carinho dá são tão gigantescos! Obrigada por transbordar, por chegar mergulhando com tanto de si, por abrir mente e coração em mesclagem para que cada partilha aqui feita seja nossa. Obrigada! Foi uma delícia e uma emoção poder ler essa homenagem tão linda. Espero imensamente que a cada nova linha e entrelinha possa estar mais de você. O meu agradecimento é eterno e imensurável. Obrigada por fazer parte dessa estrada! Que possamos ainda muito andar e contar. Um super beijo!

      Excluir
  13. que texto mais bacana, acho que o mais importante é sermos fiéis a nos mesmos, manter nossa indole!

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, Li, como é maravilhoso sentir sempre os seus mergulhos! Obrigada por esse carinho tão lindo e impulsionador. Espero que cada emissão possa abrir alas de luzes para caminhos que permitam o permanecer somente daquilo que contém positivos que suprem negativos, viu? Sem dúvidas, liberdade é saber ao que se prende. Um super beijo!

      Excluir
  14. Adorei o texto. Geralmente é brigando que vemos realmente como a pessoa é, se ela realmente te respeita o suficiente para mesmo contrariada ainda ser minimamente amável e agradável.
    Ainda bem que eu e meu namorado não temos conflitos a ponto de brigarmos, nem de discutir mesmo, a gente é tranquilo em relação as coisas que nos incomodam e sempre acabamos conversando sobre as diferenças e encontrando nossos pontos em comum, onde cada um vai conceder um pouquinho em prol de ambos...

    Um beijo,
    Foca no Glitter

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, Pa, fico tão encantada a cada expelimento seu de sensações e carinhos lindos. Obrigada por sempre mergulhar de formas tão maravilhosas! É sensacional saber que seu relacionamento tem uma base firme com tamanha amizade segurando pilares - isso é o básico e fundamental. O diálogo que assim ocorre, com ambos buscando 'invadir' um pouco o universo do outro, abrindo mais do próprio também, é de fato, o mais salvador e necessário. Isso já comprova muito da disposição, do caráter, da forma de lidar com as prioridades e de lembrar que não merece o fundamental quem não sabe abrir mão do trivial, não é? Fico tão alegre por sentir que vive com valores tão belos, firmes e imprescindíveis sendo firmados. Espero que entrelinhas possam ter impulsionado em reflexões assim, que de qualquer forma, ainda que ratificando o quão vive o oposto e é grata por isso, gerem profundidades. Um super beijo!

      Excluir
  15. Eita Vanessa! Fiquei aqui um tempão para processar tudo! <3 quantas verdades nessas linhas!!! Seus textos são incríveis, e vou ficando mais fã a cada parágrafo apresentado aqui! "Será o mais marcante aquele que permaneceu" <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, que emoção, que alegria, que sentimento lindo que você planta em mim sempre que surge, Lo! Obrigada por sempre assim mergulhar e por alargar um carinho tão maravilhoso de poder guardar e sentir. É sempre incrível saber que navegou em diversas reflexões e sentimentos expelidos neste nosso espaço, tornando tudo tão nosso, como deve ser. Espero imensamente que cada detalhe possa ter aglomerado em luzes para abertura de alas ainda mais singulares e de bons impulsionamentos. Cada uma das suas linhas dão um gás incrível para cada próximo passo, para cada próxima batida de coração, para cada próximo expurgar. É maravilhoso saber um trecho que marcou assim você, como essa sua troca evolutiva marca a mim. Um super beijo!

      Excluir
  16. Nossa, que texto lindo.
    Nada melhor que encontrar um blog assim. Vc é demais ><
    http://geoaraujoand.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nada melhor do que encontrar uma leitora assim! Você é demais! Ai, obrigada, Ge, por chegar aqui e não colocar só o dedinho do pé. Obrigada por mergulhar! Espero imensamente que as linhas e entrelinhas possam agora ser aí, suas. E que clarificações e aberturas de alas para que fique apenas o que causa traços positivos que suprem pontos negativos, também possam mais surgir. E espero ver ainda mais de você por aqui, viu? Um super beijo!

      Excluir
  17. Genial, sensacional, forte, intenso. Voce é uma poeta incrivel! Me identifiquei muito! Queria mandar pra tanta gente...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, Ca, que carinho mais lindo e incrível de poder sentir e guardar com tamanha alegria! Como é maravilhoso saber que pôde mergulhar nas linhas e entrelinhas dos sentimentos expurgados com tanto de si, tornando cada pedaço, tão nosso. Obrigada por amplificar assim os sentidos de cada partilha aqui cometida. Espero imensamente que cada emissão feita possa ter impulsionado demais releituras internas e clarificações de caminhos para que permaneça aquilo que causa traços positivos que possam suprir pontos negativos. Que faça o "fe", RIR. Obrigada por essa alegria imensurável, por essa emoção maravilhosa. Um super beijo!

      Excluir
  18. CARAIO MULHER
    QUE TEXTO É ESSE!
    não consegui parar de ler em momento algum! você é incrivel, você tem uma habilidade incrível pra escrita! maravilhoso! apenas

    http://www.debbiemenezes.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caramba, Deb, que carinho mais lindo é esse? Não consegui para de ficar alegre em momento algum! Você é incrível e tem um jeito incrível para impulsionar motivações e trazer boas energias. Maravilhosa! Apenas. Rs. Mas falando ainda mais sério: a emoção alegre que fica em mim após sentir esse carinho lindo é mesmo imensurável. Obrigada por mergulhar e por tornar cada partilha aqui feita, tão nossa. Obrigada por ir nas linhas e entrelinhas e por dar mais sentido a cada ponto expelido. Espero imensamente que cada emissão feita possa ter incitado a releituras internas e clarificações de caminhos para que permaneça aquilo que causa traços positivos que possam suprir pontos negativos, viu? Um super beijo e espero ver mais de você por aqui!

      Excluir
  19. Oi, Vanessa! Tudo bem?
    Olha, vou te falar bem a verdade; entrei no blog e quando vi o tamanho do texto, fiquei com preguiça de ler, mas comecei e em alguns minutinhos terminei. Estou chocada com o quão bem você escreve! E eu precisava tanto de algumas dessas palavras nesse momento, você não faz ideia.
    Parabéns pelo talento, continue cultivando-o! ❤️

    "Quem continua sendo amor no meio do tiroteio, pode não definir o fim daquela história, mas define a continuação da própria. Sangrar não é desculpa para atirar no outro." - Apaixonada por esse trecho, em especial!

    Beijos,
    www.destemidagarota.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gi, é tão (tão e tão mesmo!) maravilhoso saber que largou uma ideia feita de ideias prévias para mergulhar e conhecer a ideia realmente obtida após o sentir. É tão incrível saber que navegou assim em cada linha e entrelinha. Em alguns desaguamentos acabamos transbordando muito mais, não é? E aí tamanho é somente sobra de borbulhares, somente meios de mais encontros e somas. Cada palavra que é minha, é nossa a cada partilha. Saber que pôde ratificar ainda mais esse ponto tão fundamental para mim é simplesmente emocionante de forma imensurável! Obrigada por essa alegria tão imensa! Obrigada por esse lindo impulsionar. Espero imensamente que cada emissão feita possa ter impulsionado demais releituras internas e clarificações de caminhos para que permaneça aquilo que causa traços positivos que possam suprir pontos negativos. Que faça o "fe", RIR. Espero também (muitíssimo) ver mais de você por aqui, viu? Foi fantástico poder saber um dos trechos que mais ganhou o seu coração! Um super beijo!

      Excluir
  20. Que textão lindo!
    Faz algumas semanas que acompanho o blog, e cada vez que vejo um post, me apaixono ainda mais!
    Beijoss!
    www.borboletasdecampo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, que carinho mais lindo e tão maravilhoso de poder guardar eternamente! Ai, Duda, como é incrível sentir esse seu mergulho em tudo que vira tão nosso. Obrigada por sentir, ficar e ser. Espero imensamente que cada linha e entrelinha possa ter aberto alas para clarificações que tragam ainda mais pontos saudáveis para cada um dos seus alcances e para cada caminhar, viu? Obrigada por essa lindeza! Um super beijo!

      Excluir
  21. Que lindo o texto! Qualquer briga é ruim né? O que elas causam então... Pior ainda!
    Beijos
    www.somosvisiveiseinfinitos.com.br
    Vídeo novo: https://www.youtube.com/watch?v=jYKS1YvCW2E

    ResponderExcluir
  22. Primeiro, parabéns pelo seu dom de escrever e de ajudar quem passa por alguma situação parecida, a encontrar talvez, algumas respostas que tanto buscava! Segundo... concordo com você! Quem ganha é sempre aquele que não saiu de sua essência.

    Um beijo bem grandão!

    www.apenasumdia.com.br

    ResponderExcluir
  23. Seus textos são maravilhosos, porque nos fazem sair da mesmice e mergulhar em verdades. Sobre o texto eu entendi o ponto de partida que é a briga e suas revelações. Cada um haje da maneira que acha certo ou necessário, mas uma relação não é feita apenas disso e sim do que aprendemos com tudo o que acontece. E a briga é um estopim para uma relação fraca ou sólida, tudo depende da atitude dos dois. Beijos
    Charme-se

    ResponderExcluir
  24. Vou começar meu comentário falando sobre como eu gosto do seu blog. Estive conversando com algumas pessoas no último mês (que foi quando resolvi ajudar minha irmã com o blog dela) sobre como, mesmo com tantos sites disponíveis por aí, as pessoas tendem a ter preguiça de ler e, ainda, de pensar. Eu vi que algumas pessoas comentaram que, no início, ficaram com preguiça de ler um textão, e isso é o que eu acabo vendo e ouvindo no dia a dia. Tem muita gente que me disse que só gosta de blogs com imagens e pouco texto, e eu tenho bastante dificuldade de entender uma coisa assim. O que eu mais tenho gostado do mundo virtual é justamente sentir que conheço uma pessoa que eu nunca vi, mas que mostrou seus sentimentos e suas experiências em forma de palavras. Não é a primeira vez que digo que fico encantada com o seu blog e acho suas reflexões incríveis. Eu saio daqui refletindo sobre muitos aspectos da minha vida e, para mim, é esse o sentido de tudo. Eu nunca quero ter preguiça de enriquecer meus pensamentos. Parabéns, de coração, por ser quem você é e por inspirar tantas pessoas a serem melhores.
    Sobre seu texto, estou realmente sem palavras. O parágrafo em que aparece o trecho "Quem continua sendo amor no meio do tiroteio, pode não definir o fim daquela história, mas define a continuação da própria. Sangrar não é desculpa para atirar no outro." resumiu muito do que conversei com meu namorado em um momento em que ele estava bastante machucado. Inclusive, ele ficou muito impressionado com seu texto também. Você tem dois fãs por aqui, hehe. :)
    Parabéns mais uma vez, Vanessa. Você é incrível!
    Beijos,
    Bru
    http://www.moderando.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bru, a emoção que está fazendo morada em mim por ler cada uma dessas suas declarações, por sentir cada pedaço dessas suas sensações, é imensurável! Que intensidade linda! Que carinho incrível de poder guardar e retribuir com tamanho gosto! Obrigada por ir nas linhas e entrelinhas e por aprofundar minúcias, não chegando apenas para colocar dedos dos pés. Obrigada por essas trocas evolutivas maravilhosas. Obrigada por assim, com esse pacote recheado, dar mais sentido a cada partilha feita, aos valores deste nosso cantinho. Que gás, que impulsionamento que você trouxe para cada sentimento compartilhado, para cada tese deste nosso espaço. Que ternura! Infelizmente alguns chegam a pensar que escrever 'textão' atualmente é erro, é 'falta de noção', é 'vergonhoso', é 'fórmula para o não sucesso'(o qual nem fórmula para si tem), enquanto simplesmente está dentro de uma grande relatividade. Uma frase pode sim dizer tudo o que um texto gigante não conseguiu expressar como queria; um parágrafo pode sim carregar mais densidade para alguém do que um livro inteiro, mas uma obra maior pode também trazer muito mais densidade, sinceridade, detalhamento. As entrelinhas podem ficar mais agigantadas, as sensações mais engrandecidas, as mensagens mais fincadas, as teses mais somáticas entre si. Se assim for, que é o costuma ocorrer, por que aquele escrito deveria ser menor? Ele foi até expelir o que necessitava, essa deve ser a intenção de qualquer arte, comunicação, sinceridade. Nele muito mais de si pode estar incluso, muito mais aguçamentos para releituras internas. Uma frase ali do meio pode fazer muito mais impacto por conta de toda a conjunção que está em torno, pode virar algo singular na vida de quem leu, por não ser somente de quem escreveu. Tudo o que é aqui expurgado é plural, é para ser nosso. Sai daqui de dentro para essas mesclagens. A pior preguiça é a que fica nesses tristes esquecimentos, que não trazem a lembrança de que todos desejamos transbordar. Mas é fazendo "o diferente", o mais raro, o que todos dizem não ser útil - apenas por enxergarem a realidade como sinônimo de negativismo -, que vamos alertando um pouco algumas mentes, abrindo olhos e corações, não é? Afinal, por que 'aquele filme foi realístico' por conta da morte que teve e da traição que um personagem causou e não por conta daquele protagonista que foi leal e do amor do outro lado que permaneceu? A realidade é também o texto mais longo que vale a pena, é também o fiel, é também o raro que, no fundo, pode nem ser tão raro, principalmente se aquele que deseja que não seja, passar a fazer com que aconteça mais.

      É tão maravilhoso sentir esses seus olhares, é tão maravilhoso saber que os meus sentimentos puderam estar nos seus pulares; ferventes em quem tem chaves valiosas assim. É tão incrível saber que você está aqui, presente, sendo, fazendo, permanecendo nesta caminhada enquanto torna este espaço mais valoroso. Fico tão alegre por saber que o seu namorado pôde encontrar tanto dele (ou para ele) no trecho. Espero que ele lembre que os 'os fracos se vingam e os fortes se protegem' e que possa permanecer lançando mais das qualidades que tem por aí, alcançando mais e fazendo valer o fato de que seguir em frente e crescer é a melhor revanche. É tão bom sentir a energia de um amor lindo, que tem a base no que é realmente pilar: a amizade, o diálogo. Desejo muito amor, lealdade e felicidade para vocês, viu? Que os pontos bons supram qualquer negativo pela verdade que enlaça todo o resto. A gratidão que fica aqui é das maiores. Espero muito ver mais de você por aqui e poder sentir mais dessa alegria que você deixou (e dos conceitos tão fundamentais que carrega).

      Você é incrível! Que prossiga sendo o lado que contraria a cegueira.

      Excluir
  25. Uauuuh....
    Que eu adoro o teu blogue tu já sabes!
    Mas estes textos rebentam comigo, no bom sentido claro...
    Gosto sempre tanto mas tanto...
    Cada palavra.. cada emoção.
    OBRIGADA... que maravilha!

    Beijinhos**
    http://www.ofabulosodestinodemariaamelia.pt

    ResponderExcluir

Obrigada por chegar até aqui para deixar a sua opinião. É fundamental para mim. O que dá sentido com ratificação para cada reflexão entre análises, dicas, informações e sentimentos aqui escritos são essas nossas trocas evolutivas de sensações e pitacos.

Não esqueça de clicar em "notifique-me" abaixo do seu comentário para receber por e-mail a resposta dada.

Posts Recentes Mais Posts

TRANSBORDOU NESTES?

Direitos Autorais

Todos os escritos aqui postados são de autoria da escritora, poetisa, compositora e blogueira Vanessa Brunt. As crônicas, frases, poesias, análises e os demais diversos escritos, totais ou em fragmentos, podem ser compartilhados em quaisquer locais e sites (quando não para fins lucrativos: criação de produtos para vendas, entre outros), contanto que haja o devido direcionamento dos direitos autorais. Ademais, as imagens utilizadas no blog para as postagens não são, em sua maioria, feitas pela autora. Portanto, para qualquer problema envolvendo os créditos das fotos, basta entrar em contato e o caso será resolvido prontamente.