JÁ FOI AOS CINEMAS EM JANEIRO? SAIBA QUAIS SÃO AS OBRAS INCRÍVEIS DO MÊS!

sábado, janeiro 16, 2016


Muitas obras cinematográficas incríveis chegaram ou estão por vir neste mês e sobre algumas delas já falei na lista dos 8 filmes que mais estou ansiosa para ver neste ano! Como Joy: O Nome do Sucesso (estreia 21/01), que é o que mais atiçou a minha curiosidade! Steve Jobs (estreia 14/01) e O Regresso (estreia 21/01). Cada um desses filmes está fazendo a minha ansiedade surtar e muitos outros com aparentes roteiros maravilhosos também não podem ficar de fora das nossas degustações de janeiro. Então, além desses três títulos imperdíveis, confira mais das surpresas do mês abaixo!

  • A Grande Aposta 


Lembrar que nenhuma verdade é absoluta, não ficar nas zonas de conforto, ter em mente que tudo muda, mesmo se for para continuar o mesmo e, principalmente, ter sede de inovação, sabendo utilizar o antigo para transformar sempre no novo, é o que faz com pessoas enxerguem além do horizonte mais próximo. Além de mensagens incríveis sobre "não se conformar com nada", sobre não desejar o morno, não desejar indo apenas com a maré, mas criando as ondas que quiser, sobre ambição com limites! Temos também reflexões sobre diversos outros pontos, como até préjulgamentos e o quanto prejudiciais eles podem ser. Nessa obra, Michael Burry (Christian Bale) é o dono de uma empresa de médio porte, que decide investir muito dinheiro do fundo que coordena ao apostar, através das suas investigações (de quem não se permite deitar e dormir só porque as coisas "estão indo bem") que o sistema imobiliário nos Estados Unidos irá quebrar em breve. Tal decisão gera complicações junto aos investidores, já que nunca antes alguém havia apostado contra o sistema e levado vantagem (olha mensagens sobre riscos e oportunidades vindo aí também!). Ao saber destes investimentos, o corretor Jared Vennett (Ryan Gosling) percebe a oportunidade e passa a oferecê-la a seus clientes. Um deles é Mark Baum (Steve Carell), o dono de uma corretora que enfrenta problemas pessoais desde que seu irmão se suicidou. Paralelamente, dois iniciantes na Bolsa de Valores percebem que podem ganhar muito dinheiro ao apostar na crise imobiliária e, para tanto, pedem ajuda a um guru de Wall Street, Ben Rickert (Brad Pitt), que vive recluso e permite que seus olhos abram alas para estratégias por observar a união de mentes com as quais está lidando e as lições que tais pessoas pode passar. Roteiro: Adam McKay e Charles Randolph. Direção: Adam McKay. Em cartaz desde 14/01.

  • Os 8 Odiados


Ainda não devorei a obra e, com certeza, muito mais mensagens estão inclusas, inclusive com simbologias bem mais densas, mas pelo que já pude observar, nesse seu oitavo filme, Tarantino nos leva a um outro nível em seu roteiro, captando uma posição muito mais centrada e madura, a ponto de transformar muitas das suas marcas registradas em elementos funcionais que fazem mais sentido dentro da construção da narrativa. A obra agrega metáforas visuais (e, quiçá, também em diálogos) que devem fechar com brilhantismo um filme que começa com outra metáfora: neve branca para todos os lados, quebrada por troncos, pedras e um Cristo negro que, juntamente ao apresentar apenas cavalos pretos e brancos, revela a simplicidade da visão de mundo daquelas pessoas, que enxergam o universo através do simplismo do preto e branco: a violência enquanto denominador comum, como modo de resolver conflitos. É tudo uma grande metáfora da historia dos Estados Unidos da América e sua leva de colonizadores e eventos históricos. Não é um filme pra ser assistido na expectativa de um bang bang de faroeste. O mexicano, o inglês, o negro, o confederado, o vaqueiro, o carrasco, o xerife, e a fugitiva formam toda a camada escondida por trás do roteiro em si. A estória nos apresenta a oito pessoas distintas que são obrigadas por uma nevasca a se abrigarem em uma cabana, e a permanecer lá até que o fenômeno acabe. Porém, como o título já sugere, suas reputações não são lá muito boas, criando atritos internos e, provavelmente, um persistente clima de tensão. Toda a parte cinematográfica aparenta ser incrível, dando vida para à cabana e para os cenários gélidos do filme. As cenas de ação, como de costume, devem ser exageradas e muito bem feitas, muitas vezes provocando gargalhadas no público. Roteiro e direção: Quentin Tarantino. Em cartaz desde 07/01.

  • Spotlight – Segredos Revelados


Fiquei arrepiada, assim como pensativa e melancólica com o trailer e estou louca para assistir logo. É uma obra com visão rica não só para jornalistas e profissionais da área de comunicação, mas para a sociedade mundial. Englobando quesitos de corrupção, do quantos questões políticas estão por trás de minúcias implícitas do nosso cotidiano, da cegueira por ambição, de absurdos humanos que nos fazem repensar caráter e traçar ainda mais a tese do real significado de respeito que demanda, acima de tudo, que invertamos os papéis com aquele para o qual algo iremos fazer, e, principalmente, com muitas mensagens envolvendo não só trabalho em equipe, mas a persistência de um ser humano para com o seu objetivo e a reflexão do quanto sempre existirão fatores, bons ou ruins, para serem desmascarados, bastando garra para quem o fizer, é que o filme traz essa trama baseada em uma história real. O drama mostra um grupo de jornalistas em Boston que reúne milhares de documentos capazes de provar diversos casos de abuso de crianças, causados por padres católicos. Durante anos, líderes religiosos e políticos ocultaram o caso, transferindo os padres de região, ao invés de puni-los e lançarem a realidade para o mundo. Uma verdade que pode simbolizar tantas outras que vivemos sem lembrar ou sem saber, com muitas reflexões sociais e individuais, pessoais e profissionais, envolvidas. Roteiro: Tom McCarthy e Josh Singer. Direção: Tom McCarthy. Em cartaz desde 07/01.

  • A Senhora da Van


Meios para lidar com traumas, sabendo encontrar os lados de soluções nos problemas, soluções essas que podem ser cabíveis para diversos outros problemas que não somente aquele ao qual a solução "diz respeito", e muito mais incríveis mensagens parecem fazer morada nessa obra baseada em fatos reais. Imagino ainda que reflexões sobre o quanto quesitos profissionais devem estar ligados aos nossos ângulos pessoais e o quanto necessitamos sempre de pausas para ler a nós e ao mundo, assim encontrando a criatividade e os caminhos jamais vistos quando apenas bitolados entre obrigações, serão também abordadas. A estória do filme gira em torno do famoso dramaturgo britânico de 81 anos, Alan Bennett, que passou por uma situação digna de ficção: entre os anos 1970 e 1980, ele abrigou em sua garagem Miss Shepherd, uma senhora que tinha uma van caindo aos pedaços como único lar. Conhecido por "As Loucas do Rei George", peça de 1991 que três anos depois seria levado aos cinemas pelo então estreante Nicholas Hytner, Alan não poderia deixar de relatar como artista a sua convivência com uma velhinha aparentemente com alguns parafusos a menos. O resultado é "A Senhora da Van", antes narrado na BBC Radio 4, transformado em romance e agora encarnado em um longa-metragem. É também Nicholas Hytner que se encarregou em compartilhar essa história no cinema atrás das câmeras, que inicia com Miss Shepherd (Maggie Smith), uma senhora religiosa envolvendo-se em um acidente. Só se houve o barulho da batida de um sujeito contra a sua van e, na sequência, a sua fuga do local e das autoridades. O destino fez Miss Shepherd estacionar o seu veículo em um bairro cercado de vizinhos que adoram fofocar uns com e sobre os outros. De faixada em faixada, Miss Shepherd acaba estacionando permanentemente na residência Alan Bennett (interpretado por Alex Jennings), ainda em uma fase em que não atingiu o ápice da consagração como autor. Ao mesmo tempo em que respeita o passado de Miss Shepherd (ele parece a última pessoa da Terra curioso em remexer as circunstâncias que a deixaram em um estado tão desolador), Alan entra em conflito consigo mesmo quando vê na situação um belo argumento para a escrita de um novo romance. Roteiro: Alan Bennett. Direção: Nicholas Hytner. Estreia 28/01.

  • Carol


O longa-metragem acompanha o envolvimento entre duas mulheres, Carol Aird (Cate Blanchett) e Therese Belivet (Rooney Mara), que se conhecem por acaso em uma loja de departamentos. Com um detalhe extra: a história é situada na Nova York dos anos 1950, com todos os preconceitos e ignorâncias da época em relação ao universo homossexual. Ou seja, um período onde assumir ser homossexual era considerado uma imoralidade absoluta, ainda mais se você tinha uma filha, como é o caso de Carol. Em uma realidade tão difícil de ser quem você realmente é em meio a um furacão de preconceitos e prejulgamentos, o único meio de se proteger da fúria alheia é camuflar os sentimentos (será mesmo? Se todos pensassem assim, se ninguém lutasse ontem e hoje, olha quanta evolução perderíamos!), de forma que apenas os mais perspicazes possam realmente decifrá-los. É esae o mundo em que Carol vive, é esae o mundo para o qual Therese é atraída. E é aí que entra também diversas reflexões sobre a nossa atualidade e certos preconceitos terríveis ainda carregados. Não parece ser um lindo filme para saborear as entrelinhas? Uma jornada maravilhosa sobre autoconhecimento, sobre o quanto a definição de escolha sexual não define caráter, sobre o quanto o que importa para que alguém não merece ser "apedrejado", é apenas que respeite os outros, que não faça algo tendo em mente que pode, de fato, magoar alguém. Um meio reflexivo sobre tópicos do passado que ainda vemos nos dias de hoje e uma maré de intensidades sobre sentimentos humanos e a utilização deles para criar novos ideiais. Roteiro: Phyllis Nagy. Direção: Todd Haynes. Em cartaz desde 14 de janeiro. 

  • A Quinta Onda


Baseado no livro homônio, que já citei na postagem sobre mais de 10 livros que vão ser adaptados para filmes em 2016, A Quinta Onda conta a estória de uma fase em que a Terra repentinamente sofre uma série de ataques alienígenas. Na primeira onda de ataques, um pulso eletromagnético retira a eletricidade do planeta. Na segunda onda, um tsunami gigantesco causa mortes de 40% da população. Na terceira onda, os pássaros passam a transmitir um vírus que mata 97% das pessoas que resistiram aos ataques anteriores. Na quarta onda, os próprios alienígenas se infiltram entre os humanos restantes, espalhando a dúvida entre todos. Com a proximidade cada vez maior da quinta onda, que promete exterminar de vez a raça humana, a adolescente Cassie Sullivan (Chloe Grace Moretz) precisa proteger seu irmão mais novo e descobrir em quem pode confiar. "Eles veem a nossa esperança como a nossa fraqueza, mas eles estão errados". Uma estória não só sobre persistência e sobrevivência, mas sobre os dois lados que tudo carrega, sobre pontos negativos e positivos de todas as coisas, sobre como a fraqueza mora nas forças e vice-versa, sobre o quanto não existe amor quando ele não enxerga um futuro como planejamento, sobre o quanto dar as mãos para o outro, é também dar a mão para si. Uma obra sobre amor próprio, que nos encaixa em reflexões sobre como amar a si também faz parte de permitir a evolução amando ao próximo, correndo riscos para desvendar o outro e, principalmente, permitindo que permaneçam aqueles que não estão conosco pelo mistério, pelo desespero ou pelo aconchego momentâneo, mas sim pela admiração, pela intimidade construída e pelas provas dadas e recebidas do quanto as nossas prioridades podem ser equilibradas com a de quem também as abraçar. E, além de tudo, uma estória sobre abraçar o desconhecido, sobre tentar desvendá-lo, sobre não fugir dele, mas tentar a compreensão, porque só lendo é que podemos opinar sobre um livro, e só lendo é que podemos, com ele, algo forte aprender, incluindo até, como não abraçá-lo da melhor maneira. Roteiro: Susannah Grant, Akiva Goldsman e Jeff Pinkner. Direção: J Blakeson. Estreia 21/01.

  • Creed: Nascido para Lutar


Em "Creed", Sylvester Stallone (que ganhou o Globo de Ouro pela participação no filme) volta a interpretar Rocky Balboa, seu icônico personagem. O longa gira em torno de Adonis (Michael B. Jordan), filho de Apollo Creed, um grande boxeador que morreu anos atrás. Mesmo não tendo conhecido seu pai, Adonis sempre soube que um dia poderia ser um ótimo boxeador. Ele procura Rocky e pede ajuda para se tornar um campeão, porém as comparações com o nome do seu pai o perseguem. Uma obra que promete nos lembrar que não é cor, sobrenome ou nada dado ao ser humano logo quando nascido, que merece algum julgamento. Nem mesmo um talento! Tudo o que merece nossos olhares como algo que pode ser dito sobre alguém, de fato, é o que aquela pessoa faz com o que tem. São os atos feitos, é o que criou através do dom próprio, o novo legado que deixou com o nome próprio e cada particularidade que só os atos e as falas daquele ser puderam permitir, as falas cumpridas e as que trouxeram inverdades, os atos firmados e os que quebraram outros que poderiam ser vistos como belos. Um ato pode anular a verdade de um universo de outros tantos, e é nos limites, nas prioridades dadas a si, que vemos a verdadeira cara de alguém. Quem não tem limites próprios, quem comete o que quer sem considerar as perdas possíveis, não tem caráter, porque não tem escolhas. Relacionamentos como caminhos para o autoconhecimento também estão super inclusos e imagino que muito sobre amizade, que tem como seu maior sinônimo, a lealdade, será exibido. Roteiro e direção: Ryan Coogler. Em cartaz desde 14/01. 

  • Presságios de um Crime


Um detetive do FBI está à caça de um perigoso serial killer (Colin Farrell), que vive fazendo jogos com suas vítimas. Para capturá-lo ele busca a ajuda de um médico aposentado (Anthony Hopkins), especialista em jogos do tipo, mas que se afastou do trabalho após a morte traumática de sua filha. Podemos esperar muito mais do que apenas uma sequência de quebra-cabeça com estratégias que podem já nos pôr para refletir. Creio que a obra irá nos cernes humanos, nos empurrando para ondas de traumas sentimentais, consequências de perdas e até mensagens sobre um trabalho em equipe quando existem diferentes crenças, entrando aqui a necessidade do respeito e de permitir com que um pouco das verdades do outro possam ser inclusas nas suas próprias. Um estudo para uma mente aberta. Afinal, só por que duvida de uma crença, isso faz dela irreal? Todas as teses têm seus pontos de encontros e merecem que deixemos as portas abertas para as ligações de cada uma. Não dá para ir muito afundo nas ideologias intrínsecas sem assistir, não é? Mas parece ser um filme que capta bem as agonias mentais de um ser humano em diferentes tópicos, agregando mistérios inclusos como metáforas para nossas próprias vivências e temores. Roteiro: Direção: Afonso Poyart. Estreia 21/01.

Ainda teremos comédias como Irmãs ("Às vezes é preciso voltar ao passado para seguir em frente"), Amor em Sampa, Vai Que dá Certo 2 e Tirando o Atraso. E dramas que prometem muito, como Body! Muitas obras que nos deixam imaginando ótimas reflexões, não é? Qual dos filmes mais atiçou a sua ansiedade? Já assistiu algum deles? Não deixe de contar suas opiniões nos comentários!

LEIA TAMBÉM:

40 COMENTÁRIOS

  1. O que mais adoro quando leio sobre lançamentos aqui sao essas suas reflexoes que ja consegue trazer mesmo antes de assistir. Amo o quanto voce aprofunda tudo!! Adorei saber sobre varios filmes que eu nao tinha ouvido falar, como A Senhora da Van

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, Ju, que enorme alegria por saber que pôde conhecer mais obras cinematográficas através das indicações e, assim, já ir aglomerando um pouco de reflexões possíveis e maravilhosas. Espero muito que cada filme nos surpreenda positivamente, com ainda mais intensidades. Fico ainda mais feliz por saber que aprecia os aprofundamentos que sempre faço, mesmo quando não dá para cavar tanto quanto gostaria. Conta depois para mim de qual filme do mês mais gostou, viu? Um super beijo!

      Excluir
  2. Ameeeeei a forma com que voce apresentou cada filme, nessa e na postagem dos esperados do ano. Estou super ansiosa pra Joy tambem! Nao sabia de varios filmes da lista que agora vou ficar de olho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oba! Fico super feliz por saber que pôde conhecer um pouco mais obras e intensificar visões para quando for vê-las. E mais alegre ainda fico por saber que apreciou as reflexões possíveis e feitas em cada postagem, viu? Espero muito que possamos aprofundar ainda mais detalhes maravilhosos e pensantes em cada obra. E espero também ver mais opiniões suas por aqui, viu? Um super beijo!

      Excluir
  3. Quantos lançamentos bons para um só mês, estou bem ansiosa pelo "O Regresso".
    Beijos

    http://luadefevereiro.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também estou super, Giu! Parece ser uma história repleta de reflexões sobre coragem, objetivos e consequências de ambição sem limites e vinganças tortuosas. Ainda imagino que questões de preconceitos estejam encaixadas. Basta esperar para aprofundarmos os detalhes. São muitas novidades bacanas em um só mês. Estou super ansiosa! Conta depois de qual filme mais gostou, viu? Vou adorar saber! Um super beijo!

      Excluir
  4. Você relatou muito bem sobre as estréias do filme, estou com muita vontade de assistir 5º onda e Carol rsrs.
    Beijoos!!
    http://carolinapaivaa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, que alegria imensa por saber que gostou das já feitas reflexões, Ana! Espero que possamos aprofundar pontos ainda mais intensos e reflexivos em cada filme. Também estou super ansiosa para esses dois! Parecem carregar tantas cargas sobre as forças dos sentimentos e trocas humanas, não é? Ai, quero logo conferir! Espero que adore e que possa agregar muitas visões aprofundadas em ambos. Um super beijo!

      Excluir
  5. 2016 esta prometendo com muitos filmes legais por virem!
    Eu fiquei atiçada em assistir a 5ª onda e o Snoopy que já esta nos cinemas!
    Beijos
    lealcarolina.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Snoopy está super comentado! Deve ser uma fofura e espero que tenha muitas "morais" interessantes. Estou louca para conferir também! E a 5ª Onda parece carregar tantos pontos intensos sobre relações e provas humanas, não é? São muitas obras com visões incríveis sendo apresentadas. Estou super curiosa e espero que vocês também possam cavar ainda mais pontos reflexivos em cada uma. Espero ver mais opiniões suas por aqui, viu? Adorei receber a dica extra! Um super beijo!

      Excluir
  6. Brunt, voce é sensacional mulher! Fico batendo palmas mentais em cada postagem, em cada reflexao, em como voce consegue ir no fundo das coisas mesmo quando só tem a superficie delas. Agradeço por poder entrar em um blog como o seu e poder conhecer uma escritora como voce. A proposito, quero muito ver esse Presságios de um Crime

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, Theu, fiquei emocionada ao ler essas suas palavras! Muito obrigada por esse carinho tão lindo. Tudo aqui emitido é para que possamos refletir mais juntos, aprofundar detalhes de autoconhecimento e de visões a mais sobre pontos em torno. Maravilhoso é ter leitores como você, que captam as intensidades e as apreciam, navegando nessas trocas humanas deleitosas. O filme Presságios de um Crime nos deixa com muitos mistérios até sobre as mensagens abordadas, não é? Quero ver logo quais serão os pontos mais aprofundados também (para poder interpretar ainda mais!). Espero muito que possa continuar acompanhando e que emita mais opiniões suas por aqui, viu? Um super beijo!

      Excluir
  7. Preciso muitooo assistir a Quinta onda ,muitos filmes bons heim ?
    http://mar-esiaa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também super quero logo, Ma! Parece trazer intensidades maravilhosas, reflexões até metafóricas para nos fazer sentir e (re)pensar, não é? Adorei saber que gostou!

      Excluir
  8. eu vi os 8 odiados e adorei, adoro tarantino, tbm quero ver carol com certeza

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, que alegria por saber que adorou, Lí! Só fez aumentar a minha ansiedade. Vou ver amanhã e quero muito analisar mais afundo essas metáforas maravilhosas que já pude ver um pouco pelos vídeos. Carol parece ser tão intenso e repleto de minúcias reflexivas, não é? Adoro obras que pegam vários pontos implícitos e estou louca para conferir essas!

      Excluir
  9. Eu vi o trailer de Spotlight e, desde então, fiquei louca pra ver! Pena que minha cidade é pequena, logo não tem cine. Mas, logo logo eu arranho um jeito de assistir! =)

    Eu vi o trailer da Quinta Onda num anúncio do YouTube e fiquei mega curiosa pra assistir! Enfim, gostei bastante da sua lista.

    Ah, estou comentando enquanto ouço sua playlista nostálgica internacional. Muito boa, por sinal :)

    Beijos,
    Blog Mudei Modei ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, Fer, que alegria imensa por saber que gostou da lista, tem ainda os filmes citados no começo e no fim dela, que valem muito a pena e, inclusive, um deles é Joy (para o qual mais estou ansiosa)! Em breve você poderá ver todos, com certeza, e espero que adore e que possa refletir bastante. Os quesitos sociais e individuais que Spotlight nos traz desde o trailer já nos deixam roendo as unhas, não é? Estou em um super aguardo para ele. E a Quinta Onda parece trazer diversas reflexões mais implícitas, o que adoro! E, oba! Amei saber que está ouvindo a playlist que gostou! É uma delícia relembrar, não é? Espero que tenha servido para que conheça novas canções e para que a nostalgia de outras vire inspiração de vida através de releituras. Muito sucesso para o seu cantinho lindo, viu? E espero ver mais opiniões suas por aqui!

      Excluir
  10. Eu já vi spotlight, muito, muito, muito bom.
    Mas o filme que mais quero ver em janeiro, é Joy. Meu deus, que história incrível a dela.

    Beijos, Love is Colorful

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, estou super curiosa para ver Spotlight e devorar cada ponto mais interno e externo que a obra aparenta trazer sobre tantos quesitos problemáticos sociais e sobre tantos pontos de impulsionamentos pessoais, além dos outros que o filme pode agregar. Adorei saber que gostou e espero ver logo! E Joy é o que mais está me fazendo surtar enquanto espero também, Bá! Como citei no começo da postagem, é o filme pelo qual mais estou esperando desde o ano passado! Rs. "As únicas coisas que são realmente nossas, são as que criamos". Estou tão ansiosa! Tomara que seja bastante reflexivo. Um super beijo, sua linda! Adoro ver seus comentários por aqui.

      Excluir
  11. Spotlight é DEMAAAAIS! <33 Creed e Carol também são muito bons! Os outros estão na minha lista. :D Esse é um ano incrível no cinema. Beeijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este ano está aparentando ser um caminho de presentes para o cinema e a TV, não é, K? Estou adorando as notícias e as caras das obras! Já viu também as novas séries do mês? Falei delas aqui e parecem ter imensas e belíssimas cargas reflexivas, assim como esses filmes! Ai, tanta coisa abrindo alas para incríveis visões, estou super ansiosa e adorei saber que gostou e que está preenchendo a sua lista. Um super beijo, sua linda!

      Excluir
  12. Tem muuuito filme bom pra esse ano mesmo, é até dificil escolher os principais que queremos ver, né?

    Ontem eu assisti A Grande Aposta e é muuito bom. Curti muito, os cortes e planos tem uma pegada diferente, a história é muito boa e mesmo com termos bem tecnicos, eles explicam tudo bem e com humor... enfim, achei muito bom. Acho que vou até contar mais no blog.

    Beijos
    A Mente Transborda
    Curta no Facebook

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, Jé, exatamente! Todas as obras estão com caras reflexivas e intensas e estou super ansiosa! Adorei saber que gostou de A Grande Aposta, estou louca para ver logo. Amei o seu comentário e as opiniões que emitiu, é tão bacana quando um universo é aprofundado de uma maneira que dá suporte para que leigos captem mais e possam inferir as ideologias em quaisquer âmbitos de vida, não é? Vou adorar ler quando falar mais sobre ele. Deixa o link aqui depois, viu? Um super beijo!

      Excluir
  13. Preciso muito me controlar e escolher bem os filmes que quero ver haha Esse ano vai ser O ano dos cinemas. Só em Janeiro já vi dois filmes, mas o mês ainda nem acabou né :P Quem dirá o ano todinho pela frente... Estou aproveitando os dias de promoção porque também sou gente e dinheiro ainda não cresce em árvores haha Quero muito ver A 5ª Onda e A Grande Aposta. Se segura que ainda tem muita coisa pela frente!
    Beijos!
    http://porbrunareinert.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, Bru, com essa crise então, o negócio não está fácil, não é? Mas cinema é sempre válido. É uma leitura deliciosa e que pode nos enriquecer sempre mais do que imaginamos. Esses filmes estão com caras tão reflexivas e incríveis que dá um nó na cabeça para escolher entre os tais. Mas adorei saber que quer ver logo A Quinta Onda e A Grande Aposta, ambos parecem captar diversos ângulos, mas um aparenta invadir mais universos reflexivos pessoais, enquanto o outro, mais os profissionais (apesar de um universo depender do outro para ficar de pé com maestria, não é?). Espero ver ambos logo também! E são muitos filmes e séries (e livros e muito mais!) incríveis mesmo vindo aí. Vamos com tudo para essas leituras e aprofundamentos! Um super beijo!

      Excluir
  14. Eu quero muuuitooooo ver A Quinta Onda, gente, deve ser muito legal! Uma coisa que eu penso é que o mundo já tava todo destruído e a menina tenta salvar seu irmão, ahahah. Um beijão!

    http://julinharamos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Imagina quantas mensagens sobre amor, respeito, prioridades e até autoconhecimento estão inclusas só nesse tópico, Ju? Parece um filme muito mais intenso e reflexivo do que imaginamos, não é? Quero muito ver logo também e estou torcendo para ser surpreendida com profundidades a mais. Adorei saber da sua preferência. Um super beijo, sua linda!

      Excluir
  15. Alice Através do Espelho, O Regresso, Joy, Spotlight e A 5ª Onda são os que eu quero muitoooo assitir! Ótima seleção de filmes. E ótimos comentários sobre eles também, faz a gente conhecer melhor e se interessar mais, haha. <3 <3
    Mil abraços, http://www.lysiaribeiro.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, Ly, que alegria por saber que apreciou assim os leves aprofundamentos. Como ainda não assisti, capto as reflexões mais esperadas, porém, com certezas, os filmes trazem, principalmente nas entrelinhas, muito mais mensagens (assim esperamos, não é?), e por isso é tão válido ver cena por cena procurando aprofundar as lições. Alice só lança em maio, mas é um dos filmes que quero super ver também! Falei dele na lista dos meus mais aguardados do ano! Joy é o que mais estou esperando e está chegando a data (oba!). Espero que adore cada um e que receba muitas inspirações de vida através de todos. Um super beijo!

      Excluir
  16. Adorei o post, bem completão. Quero assistir todos os filmes que listou, principalmente o primeiro. Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também super quero ver logo todos, Day! É tão aprofundar as mensagens que já parecem transmitir, não é? A Grande Aposta só está recebendo críticas positivas e ontem até recebeu premiação no Critics Choice Awards! Só aumenta a curiosidade! Rs. Adorei saber que sentiu profundidade na postagem, viu? Quero muito assistir a cada um para intensificar as mensagens nas minúcias. Um super beijo!

      Excluir
  17. Estou mais interessada no A 5ª onda, apesar de não ter lido o livro, a história parece ser interessante!
    http://mudando123.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou louca para ler logo o livro, Ma! Mas o filme pode nos trazer também, nos detalhes, nos toques, nos enfoques, mensagens a mais tão incríveis quanto, não é? É bacana fazer a leitura de ambos, mas estou super ansiosa para o filme! Tomara que seja bem reflexivo como parece, não é? Um super beijo, sua linda!

      Excluir
  18. Eu vi Os 8 Odiados e não curti muito, não. Agora eu quero ver a quinta onda :)

    www.sonhodemargarida.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O filme tem incríveis mensagens bem metafóricas, bem implícitas, Ju. O final é agridoce e Tarantino, apesar de ter sido mais poético dessa vez, sempre tem seus "exageros" como marca (mas que também representam muitas verdades do nosso cotidiano, que deveríamos ver como exageradas e passaram a ser "comuns demais"), de qualquer forma, adorei saber que veio aqui expressar a sua opinião! Acho válido ao menos refletir sobre as incríveis mensagens sociais dessa oitava obra do roteirista e diretor, não é perda de tempo. Mas A Quinta Onda parece ir em pontos mais sentimentais e pessoais, com mensagens mais íntimas e tocantes, e espero que adore! Espero também ver mais opiniões suas por aqui, viu? Um super beijo!

      Excluir
  19. Estou ansiosa para assistir "A Quinta Onda", uma amiga minha leu o livro e disse que é maravilhoso, agora que vai sair o filme fiquei super animada!
    Seu blog é lindo e cheio de conteúdo legal, parabéns !

    www.voarlonge.com

    https://www.youtube.com/channel/UCIG_gwod328xJeG_S7es64Q

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, que alegria imensa por saber que gostou deste cantinho que também é super seu! Espero que possa continuar acompanhando e emitindo suas opiniões, viu? Adorei saber da leitura da sua amiga! Quero muito ler logo o livro também e, de qualquer forma, ver o filme e analisar os pontos de mensagens a mais que cada um trouxer. Tomara que ambas as artes agreguem intensidades e reflexões incríveis, como dá para esperar, não é? Um super beijo, sua linda!

      Excluir
  20. Nossa quanta indicação boa. Spotlight é FENOMENAL, The Big Short também é muito muito muito bom. E o que falar de Carol? Que atuação magnífica, que história pesada!

    Eu não assisti Creed, não é uma história que me interessa muito. Também não vi a 5a onda, nem sei se verei.

    The Hateful Eight dividiu minha cabeça, tem resenha lá no Blog.


    Se me permite sugerir um filme: Danish Girl. Já assistiu? Um dos melhores filmes que vi ultimamente... Agora tenho que assistir The Revenant antes do Oscar! hahahha

    =***
    Mani Piñeiro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como adoro indicações, como adoro ler comentários maravilhosos assim, com dicas e opiniões em conjunto! Obrigada por isso, Manu! Estou louca para assistir vários ainda e adorei saber que gostou. Vou ler a sua resenha agorinha! E não assisti ainda Danish Girl, mas com certeza agora entrou na minha lista e espero ver logo, viu? Um super beijo! E espero ver mais opiniões e pitacos seus por aqui!

      Excluir

Obrigada por chegar até aqui para deixar a sua opinião. É fundamental para mim. O que dá sentido com ratificação para cada reflexão entre análises, dicas, informações e sentimentos aqui escritos são essas nossas trocas evolutivas de sensações e pitacos.

Não esqueça de clicar em "notifique-me" abaixo do seu comentário para receber por e-mail a resposta dada.

Posts Recentes Mais Posts

TRANSBORDOU NESTES?

Direitos Autorais

Todos os escritos aqui postados são de autoria da escritora, poetisa, compositora e blogueira Vanessa Brunt. As crônicas, frases, poesias, análises e os demais diversos escritos, totais ou em fragmentos, podem ser compartilhados em quaisquer locais e sites (quando não para fins lucrativos: criação de produtos para vendas, entre outros), contanto que haja o devido direcionamento dos direitos autorais. Ademais, as imagens utilizadas no blog para as postagens não são, em sua maioria, feitas pela autora. Portanto, para qualquer problema envolvendo os créditos das fotos, basta entrar em contato e o caso será resolvido prontamente.