15 VÍDEOS, INCLUINDO CURTAS-METRAGENS, PARA ASSISTIR E REFLETIR

quarta-feira, março 30, 2016


Passei alguns dias assistindo a vídeos super bacanas e, dentre eles, descobri curtas sensacionais, com mensagens aprofundadas de maneiras criativas e poéticas. Reuni, portanto, 15 deles para vocês. São críticas sociais, reflexões para quesitos mais íntimos/pessoais, mensagens que captam questões de empreendedorismo, relacionamentos a dois e muito mais. Não soube escolher uma ordem certa para colocar, porque não consegui definir os favoritos, então a sequência dos primeiros não é exatamente a da minha preferência. 

  • O Emprego (The Employment)

Um curta crítico em diversas vertentes, que exibe de forma metafórica o que a sociedade veio construindo ao longo da história, e que são fatores prosseguidos, ainda que com outras "fórmulas". A primeira linha abordada é a ratificação de que sempre existirá um "quem" por trás de cada detalhe que usufruímos, sempre existirá um ciclo de necessidades, sempre precisaremos de outros: sempre chegaremos a sós, para estarmos juntos. Independente de melhorias nas terríveis diferenças sociais, independente da quebra de desvalorização de diversos encargos, continuaremos necessitando da mão alheia, e por isso devemos a reconhecer e respeitar, seja em qual for a instância. E isso puxa então, para a segunda vertente crítica, e a mais forte da obra: Tratando seres humanos como simples objetos e meios de interesses particulares, subtraímos da nossa sociedade a capacidade de evolução! Sem que deixemos espaços abertos para que o outro descubra seus talentos e gostos majoritários, os prendendo às suas condições dadas sem escolhas, os enxergando pelo que a vida deixou em suas portas e não pelo que podem ter a chance de cativar, não vamos chegando em novas grandes descobertas. Se o carro, a eletricidade, o telefone, a internet... foram invenções humanas, porque houveram alas abertas para mentes insaciadas as aprofundarem, imagine então quantas coisas podem borbulhar em ideias alheias que não ganham chances de elaboração por preconceitos, por tratamentos que os captam como "abaixo de níveis superiores". Imagine o quanto deixamos de conquistar por alguém levar uma faísca salvadora para o tumulo.

Afinal, existem níveis superiores? Como o nosso protagonista do curta viveria sem móveis em casa (que alguém fez)? Como chegaria ao trabalho sozinho (já que alguém leva/dirige ou criou um carro)? Ainda que nas formas mais indiretas, temos outros tantos seres presentes nos detalhamentos do que alcançamos no nosso cotidiano. Um analfabeto, com certeza, em determinadas áreas, terá mais conhecimento que um estudante de letras. Falta enxergarmos que todos têm dons escondidos muito maiores do que podemos ver (o motorista não sabe ser só motorista, a cantora não sabe só cantar, e devemos buscar nossos diversos dons, os mesclando e dando prioridades para o que mais amamos fazer) e que o ciclo de dicotomia tão grandiosa entre "poderes e não-poderes", só estará em melhor equilíbrio quando seres vivos forem vistos pelos próprios humanos como o real valor por trás de qualquer produto e como muito mais capazes do que o que podemos ver. A pessoa ao seu lado pode ter na mente uma grande ideia ou um grande dom que mudaria a sua vida para sempre.

Como estamos guiando o "ciclo necessário"? Como estamos lidando com a desigualdade? A ampliando ou incentivando talentos e profissões? Estamos dando lugar para que as pessoas descubram mais do que elas podem ser? E, por outra angulação, nos chega também, pelo próprio curta, a tese de que muito ocorre pela aceitação da submissão. Estar em um cargo não precisa significar o abandono de tantos outros, da corrida atrás de sonhos, de feitos paralelos que se complementem. Só a humanização faz com que algo seja realmente profissional e de valor, faz com que vidas prossigam e possam deixar seus tesouros. O moço que fazia os tapetes poderia ser o mesmo a criar a internet. Dependeria dele o fazer, mas de nós o ajudar. Uma gentileza já basta para iniciar o ciclo de abertura para mais! Os tesouros nunca são construídos só por um, mas por cada um que deu um empurrãzinho naquele um. Deixo de exemplo geral para a temática, esta notícia aqui, que nos entristece e presenteia com tal reflexão relacionada à falta de humanização em quesitos brasileiros.

  • Reflexões de Uma Linha do Horizonte (Reflections of a Skyline) 

Esse curta é intenso! Tocante. Real. É daquele tipo para invadir as reflexões mais íntimas e sensações mais aprofundadas dos seres humanos em relação a outros seres humanos, em relação aos relacionamentos mais pessoais que cativa; em relação ao amor. O curta nos deixa com a forte mensagem nas entrelinhas, de que amar direito é simples, por mais que seja complexo em seus detalhes, por mais que cada relacionamento tenha suas particularidades, porque todos temos plena consciência do que, nos pontos mais fundos, o outro não quer de nós. Basta seguir cumprindo as juras feitas. Basta não mentir. Basta continuar lendo o outro. 

O amor é verbo, é ato, e o ato é descomplicado, é fato: feito ou não feito, cumprido ou não cumprido, sem meios-termos. Sem quases. O quase é muito cheio de enrolações, e o amor é a urgência do espelho, só é nó para virar "nós", para assegurar, e não embolar. Todos desejamos respeito. Todos sabemos o que não desejamos de forma alguma em uma relação, e entre diálogos, é simples entender os limites básicos impostos pelo outro. Ninguém quer ser traído, iludido, confundido. É simples. É aquela questão básica de não fazer para o outro o que não gostaria que consigo fosse feito; de não esquecer de fazer pelo outro o que gostaria, prioritariamente, que por si fosse feito! O mau é complexo; o bom é acessível, desenrolado. A gente sabe como fazer bem a alguém, a gente sabe como intensificar algo, a gente sabe o que falta para reativar chamas (que sempre irão apagar em algum momento numa longa história de amor), a gente sabe, porque a gente também quer isso do outro. Não que os lados de pesos negativos deixem de existir, mas eles nunca pesam mais do que as certezas juradas, porque elas são feitas, não apenas ditas. Façamos em vez de aguardar. Nos imaginemos no lugar de fala de cada uma dessas pessoas. Entre as lágrias agridoces, o solo do que é simples vence no final. Sabemos que os detalhes são os maiores pesos. Sabemos que a linha pode ser a parte mais importante de um papel. O mais fundo está na superfície.

  • O Poder das Palavras: O Cego e o Publicitário

Tudo depende de como é dito. A intonação, a ordem das palavras, os gestos que as acompanham. Todos somos publicitários o tempo inteiro. Fazemos propaganda do que adoramos, do que acreditamos, do que desejamos transmitir. E isso não significa vestir carapuças falsas, mas apenas saber destrinchar o que deseja de formas mais graciosas e intensas. Uma decepção que vira ira, é mais capaz de multiplicar a ira no outro. Uma decepção de vira lágrima, é mais capaz de multiplicar a lágrima no outro. Uma voz que chama pelo apelido, é mais capaz de ganhar afago. Um pedido que chega com uma reflexão, que invade mais do que somente o "eu sou", mas que abrace o "somos", ganha muito mais espaço. A palavra que não pensa só em si, mas que capta o mais abrangente, é a que invade. É preciso pensar se você gostaria de ouvir o que diz, é preciso pensar se mais de 10 pessoas gostariam de ouvir o que você diz. É preciso querer elevar pensamentos além do próprio. O curta acima nos deixa com essas belíssimas reflexões, ainda que de forma mais simples.

  • Foco na Tarefa x Foco no Resultado

Posso arriscar dizendo que é o meu curta de animação favorito da lista! A obra retrata, de forma metafórica e maravilhosa, as consequências de fazer sem planejar (constantemente). Podemos perder todo o feito simplesmente por não cativar o resultado como algo em etapas; podemos não reparar as grandezas que estamos alcançando e, ao invés de utilizar as proporções para o crescimento, podemos causar a partir disso somente um tamanho maior da queda (reparem que o feito da protagonista ganha uma medida gigantesca, e ela não tem sequer noção de como utilizar aquilo, de qual o tamanho atingido, do que ela poderia acrescer e/ou precisaria reformular). É preciso o risco calculado e o objetivo: o ter onde chegar e a observação dos caminhos que está tomando para que possa realmente chegar onde almeja. É preciso sempre reanalisar as condições, parar de fazer para poder replanejar, para entender como está ficando o que está sendo construído, para enxergar quais os pontos já atingidos e o que pode e/ou deve ser ali inovado através das conquistas e das metas (que precisam sempre de novas observações, ou virarão apenas obstáculos, e não etapas).

À medida em que algo vai sendo feito, milhares de demandas vão sendo modificadas em outros cantos, e aquela ideia precisará de incrementos para não chegar em abismos, para dar as curvas corretas. É preciso levantar da cadeira, sair das zonas de confortos e ambientes de produção, para olhar quais curvas serão as necessárias. E para então, só após, prosseguir. 
É preciso ter a pausa para que possa ir melhorando o feito e remodelando as pedras que vão surgindo sem que possamos perceber ao estar, incessantemente, fazendo. Ação sem respiração, asfixia. E, pior, cega.

Observem o quanto a mulher se enrola, inclusive, nela mesma no vídeo. Mostrando que assim, tanto vida profissional como pessoal, viram mais bagunçadas, porque sempre haverá ligação (e é preciso usá-la de forma a criar somas entre ambas). É preciso não "fazer por fazer", mas "fazer para ser", e ser requer sempre que não só façamos, mas que pensemos, e pensemos além do que estamos fazendo. Precisamos entender o nosso entorno, olhar para os arredores, para as condições externas que precisamos reconfigurar ou acompanhar. Precisamos ler o mundo. Onde já se viu um poeta escrever sem viver, por exemplo? Todos estamos escrevendo algum tipo de livro, e nenhum nasce sem análises frescas de base para os capítulos. É preciso que saibamos abrir portas de outras coisas para que aquela maior possa vigorar! É preciso que possamos, ainda, entender os limites do que devemos renunciar para que aquele detalhe maior não desvigore. É preciso saber o que é banal. Não merece o prioritário aquele que não sabe abrir mão do trivial. É preciso que nos preparemos para oportunidades a mais, e isso tudo requer a pausa para a organização, para o lazer (que tanto nos dá visões a mais através de leituras de repertórios, trazendo incrementações incríveis), para o refletir, o acrescentar, o remodelar e o estudar. Não significa abandonar os âmagos, mas justamente cativá-los mais, captando outros âmagos multiplicadores e outros ângulos do que estamos por fazer. É preciso "fazer menos, tendo a nota 10, do que mais, tendo a nota 6". O mais bacana é que diversas mensagens inclusas em tão pouco tempo do vídeo, são várias das tão destrinchadas na postagem que já tivemos por aqui de "vídeos para reflexão e inspiração com incríveis histórias empreendedoras".

  • Equilibrar (Balance) 

Um curta metafórico, reflexivo, crítico e incrível. Um dos meus favoritos. Tão "antigo" e tão atual, para nos fazer (re)pensar sobre quanta coisa que nos corrói prossegue com essências iguais há tanto tempo na história mundial. Muito do primeiro curta da lista pode ser aqui cabível como complemento fundamental. 

O mundo, o terreno, o país (ou como prefira ver) é representado pela plataforma flutuante, que precisa da distribuição de pesos para manter-se firme. É necessário o trabalho coletivo, a valorização de cada encargo e a menor desigualdade possível. Ao surgir qualquer "novidade", em vez de buscar uma solução mais ampla, um jogo de alianças por interesses inicia. A nossa plataforma vai ficando totalmente em desalinho e cada um prossegue querendo tudo para si. Se a preocupação maior fosse dividir o achado, poderiam ter descoberto o que estava na caixa, ter aberto ela de uma maneira menos complicada (trabalhando com ideias em conjunto para alcances maiores), ter partilhado o que fosse e, continuando com o determinado "equilíbrio", poderiam ainda dar utilidades diferenciadas (cada um à sua maneira) para o que fosse descoberto, causando somas nas ideias. Dividindo, eles poderiam multiplicar! O egoísmo destrói a existência da coletividade, extinguindo, inclusive, as funções particulares. O desenvolvimento precisa ser sustentável.

Podemos ainda enxergar a caixa como os recursos naturais e pensar no quanto a falta de preocupação com a sustentabilidade: a escassez de distribuição, de cuidado, de preservação e o exagero de disputa por poderes ao invés de luta pelo bem-estar social e de cautelas em relação ao extraído da natureza, nos leva à falências nos mais metafóricos e literais sentidos.

  • Amor é Tudo Que Você Precisa? (Love Is All You Need?)

Nesse incrível curta os conceitos de "normalidade" social em relação a opções sexuais e "funções dos gêneros" (coisa mais errônea a se pensar, mas que ainda muito temos em imposição) são invertidos. A obra vai para muito além do que apenas as discussões claramente abordadas de bullying, homofobia, etc; captando, em diversas angulações das entrelinhas, o quanto o "normal" (seja em relação ao que for) é algo relativo, que pode estar em constante mudança. Quantas vezes alguém que chegou com uma ideia diferente foi quem revolucionou o mundo, por ter saído dos "padrões de normalidade"? Quem ama, respeita. Olha pelo caráter, pelas promessas cumpridas, e não por uma classe social, por um gosto que não interfere na forma de amar, pelo que não teve opção em selecionar. E não só quem ama deveria assim abrir os olhos.

  • Um Presente (Gift)

Seres vivos não são apenas "presentes", não são descartáveis, não são brinquedos, não podem ter seus corações medidos por achismos ou atos que não falam sobre sentimentos. São laços não cortáveis a partir do momento em que nos comprometemos em ser família. Tanto falamos sobre o significado intenso do que é essa união de pessoas, e parecemos ignorar em outras circunstâncias. Se tem sentimento com promessa, tem que ter respeito. Se tem respeito, tem que ter a insistência, independente da bagunça que estiver ocorrendo. Sou simplesmente encantada por esse vídeo que fala por si só. Destrinchar aqui demais seria uma quebra na sua emoção ao vê-lo, então, apenas: sinta. 

  • Separação

Antes de quebrar suas juras, termine. Antes de desrespeitar, fale a verdade. Antes de terminar, tente mais um pouco. Antes de tentar, dialogue. Quem tenta sem contar para o outro que está tentando, já desistiu de tentar. Só assim o amor estará ainda sendo amor, só assim o caráter estará ainda sendo caráter, só assim o "e se..." não terá tanto lugar, só assim ainda fará sentido mesmo se, no final, não fizer mais algum. O curta, apesar de bem simples, com diversos aspectos claramente bastante amadores, vale a pena pela sua mensagem, que pode parecer clichê em primeira instância, mas nos deixa com uma sequência de diversas reflexões a mais adentradas na principal, como as citadas inicialmente. É preciso esforço dos dois lados para saber se não há salvação em um relacionamento, é preciso que não haja promessas sendo jogadas no lixo enquanto ainda não foi completamente embora, é preciso dar a chance do outro de fazer a sua parte. É preciso falar e ficar com completude, enquanto ainda não for com totalidade.

  • Uma Pizza para um Morador de Rua

Tudo bem, não é exatamente um curta elaborado como tal, mas tinha que entrar na lista. As pessoas mais incríveis são as mais incríveis pelos atos, não por nada além. Enquanto mesquinhamos tanto, tem gente que divide realmente tendo "motivos para não dividir". A maior riqueza é ser querido, é fazer o bem, é poder andar por aí sabendo que mãos serão estendidas por você nunca ter deixado de estender a sua. E não dá sequer para pensar "que clichê!", porque diante de atos assim, de pessoas assim, infelizmente, o mundo ainda precisa ficar mais cheio.

Existem vários vídeos com vertentes parecidas e super bacanas pelo Youtube! Você pode ver mais deles clicando aqui ("Posso Usar Seus Sapatos?") ou aqui ("Dando 100 Reais para Pessoas Humildes").

  • Quadro: Vai Fazer o Quê?

Mais um que não é um curta exatamente, mas tinha que entrar na lista.  O "Vai Fazer o Quê?" é um quadro do Fantástico, super bacana, que nos põe para refletir bastante sobre o quanto ficamos parados diante de situações absurdas, o quanto deixamos de ajudar a outros e deixamos de impedir consequências absurdas. É claro que tudo depende de como abordaríamos, que devemos ter limites e respeito, não podemos ser invasivos em certos casos, mas isso não significa que, em público, devamos deixar que outros seres humanos sejam machucados, traumatizados. São diversas reflexões diferenciadas a cada nova sequência do quadro, então está acima uma delas, que nos deixa refletindo também sobre educação familiar, bulimia, anorexia e muito mais. 

Atenção: Agora, daqui para baixo, vamos começar a sequência de curtas/vídeos que, para mim, foram super previsíveis, mas que ainda assim não deixaram de valer a pena. 

  • A Janela

Um curta baseado no conto "A Janela", em que dois homens doentes dividem um quarto de hospital. Entre eles, existem dois extremos e diferentes modos de enxergar a vida. O mais bacana é que a mensagem vai para além do que fica como recado final, nos emitindo, ademais, a noção de que precisamos abrir alas para quem enxerga as coisas de maneiras divergentes de nós. É preciso o aprender a lidar com respeito e enxergar junto as angulações que podem ampliar as suas próprias.

  • Sings

Esse é o curta estilo "fofíssimo" da lista e, quiçá, talvez o menos reflexivo diante dos outros. Ele aborda uma metáfora para os dias atuais, em que os relacionamentos, repletos de virtualidade e distanciamento, provocam mais medos e inseguranças, tais quais só podem ser vencidos pelos atos mais palpáveis. O que mais gostei foi do momento em que ele perdeu a chance por demorar alguns segundos! Para mim, poderia ter acabado ali mesmo e a mensagem seria mais impactante, ainda que ligada a muitos clichês.

  • Ninguém é Perfeito

Pode até ser clichê, mas novas fórmulas para nos deixar com lembretes como o vídeo acima nos deixa, são sempre válidos. E não, o lembrete que fica não é apenas o "ninguém é perfeito", são profundidades um pouco maiores, que fazem valorizar mais as nossas realidades e buscar soluções internas, antes de qualquer atitude mais drástica. São mensagens adentradas, inclusive, neste vídeo aqui.

  • Palestra Sobre Determinação

A palestra acima é daquelas recheadas de clichês super válidos, mas entre eles, sempre uma frase ou outra ganha impacto diferenciado, e por isso o vídeo entrou aqui. Uma das minhas partes favoritas é quando ele fala que "quem mata o tempo é suícida", porque devemos sempre, incluise nos nossos momentos de ócio, buscar preencher nosso tempo não com "qualquer baboseira que faça o tempo passar", mas com fatores que possam impulsionar nossas mentes e vidas de alguma maneira. São diversas entrelinhas legais entre uma tese e outra do vídeo e, apesar de não ser exatamente um curta, aborda mensagens que diversos curtas juntos nos dariam. Outros vídeos do estilo podem ser facilmente encontrados, como este aqui.

  • Gentileza

Esse curta é do tipo que não enjoo, que não consigo pôr na cabeça como algo clichê, que pode deixar a intenção clara do começo ao fim (apesar de, principalmente, no final), mas que continuará com seus encantos enchendo aos meus olhos e coração, especialmente por ser um detalhamento tão ignorado nos atos mais cotidianos da humanidade. Tudo é ciclo, tudo é teia, ainda que não possamos perceber de forma direta. Um ato nosso, tão indireto, pode ajudar a acabar com a fome de alguém! Ser gentil não custa nada, o que custa, em todos os sentidos possíveis (no nosso bolso, na nossa aura, no nosso dia, nos nossos meses) e de maneiras que nem podemos imaginar no momento, são as consequências de não ser.

Mais alguns curtas super bacanas são: A Ponte Entre o Agora e o Para Sempre (não gosto tanto de algumas mensagens finais, mas o durante é simplesmente sensacional: "Lá é muito escuro" - "Então podemos levar lanternas". "Lá é muito frio" - "Então podemos levar chocolate quente"; são mensagens mais intensas a cada diálogo, ainda que nesses mais simples que nos deixam com a tese de "quem quer, em copo cabe") e A Mão Que Afaga (representando tipos de solidão).

Conhece mais algum curta ou vídeo reflexivo para indicar? O que achou dos indicados? Acrescentaria algo em relação às reflexões primordiais? Não deixe de contar nos comentários!

LEIA TAMBÉM:

50 COMENTÁRIOS

  1. Já assisti a maioria e tem alguns que até me deixaram bad sabe? Tipo caramba que mundo nojento ou o que eu to fazendo da minha vida? Mas acho super validos para lembrar a gente de ser humano, de se importar com o outro e que no fim a gente não é nada!
    Hurricane Stars

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alá, é uma alegria imensa ler essas suas palavras e saber que mergulhou nas reflexões, nas profundidades tão pessoais e coletivas que os vídeos invadem. O mais bacanas são as vertentes tão particulares de cada um que vão se complementando de certas maneiras, não é? Espero que possa ver os que ainda não conhecia e aprofundar ainda mais em releituras o que já tinha visto, viu? E espero também ver demais opiniões suas por aqui! Obrigada por compartilhar as suas sensações. E lembremos do que o último vídeo nos passa, enlaçando com todos os outros, é assim que podemos começar as mudanças. Um super beijo!

      Excluir
  2. Nossa, o que eu mais gosto sao as suas explicações, principalmente dos primeiros vídeos... fico de boca aberta com elas sempre, suas analises são incriveis!! Amei os videos que já terminei de ver aqui e vou deixar o post nos favoritos pra ir vendo os outros depois. Sao maravilhosos mesmo! O que mais adorei ate agora foi o segundo, que com o que voce escreveu fez ainda mais sentido e mexeu muito comigo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kami, que delícia ler essas suas palavras! Obrigada demais por esse carinho tão lindo e incrível de sentir, viu? Fico maravilhada por saber que as análises, ainda que tão curtinhas e resumidas, como no caso desta postagem, agregam profundidades a mais nas suas leituras, sensações e reflexões. É esta troca que faz tudo por aqui ter sentido! Obrigada por intensificar os significados do tão nosso cantinho. E que alegria por saber que o segundo vídeo mexeu assim com você, ele é bastante intenso, e também deixa aquele peso com gosto de leveza no meu coração. E assim não é o amor? Basta sabermos se ele está pesando mais para o lado da leveza ou da negatividade, porque ele sempre é uma via de mão dupla em relacionamentos de quesitos românticos. Devemos prosseguir naquilo que faz mais bem do que mal, mas esse gostinho agridoce sempre fincará. Acho incrível como o vídeo nos faz sentir! Espero que possa reler esses fatores com ainda mais intensidade, viu? Um super beijo!

      Excluir
  3. Fui passando pela lista rapidamente para ver se conhecida algum e fiquei impressionada ao só conhecer UM, que é o da pizza para o morador de rua! Depois voltei para o início e assisti aos três primeiros. Como sempre, suas reflexões e análises encaixam bem com o que é mostrado, com um aprofundamento impressionante! :)
    Deixei os outros vídeos para ver mais tarde, achei bem interessante esse post!

    Um beijo! ♥
    www.daniquedisse.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dani, é tão maravilhoso sempre ler suas palavras repletas de energias incríveis e trocas significativas por aqui! Obrigada por tamanho carinho tão gostoso de sentir e retribuir! E adorei demais saber que tantos dos vídeos foram totalmente novos para você. E, ainda mais bacana é saber que as análises feitas, mesmo que mais resumidas, como é no caso desta postagem, puderam incrementar em detalhamentos aprofundados para a sua leitura diante das reflexões emitidas. Espero demais que possa ir vendo os outros e mergulhando, inclusive, nas conexões entre eles, viu? Porque são incríveis de maneiras super singulares! Um super beijo!

      Excluir
  4. Adoorei o post, alguns eu não conhecia! Eu amei o "Reflections of skyline", realmente o amor é simples apesar de toda a sua complexibilidade. Sei la, estranho falar que fiquei triste vendo o vídeo hehe?

    beijos, Love is Colorful

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bá, é tão maravilhoso ler essas suas palavras! Seus comentários são sempre repletos de sensações emitidas e/ou incrementações maravilhosas. Obrigada por enriquecer o nosso cantinho sempre! E, olha, esse gosto de "peso leve" que o "Reflections of a Skyline" também fica em mim. É uma emoção singela mesclada com tons de melancolia, não é? Como se diversas angulações que o amor causa no nosso âmago fossem despertadas intensamente e de uma só vez. Acho maravilhoso isso que o vídeo causa, nos trazendo essa carga reflexiva e sensitiva do que é esse sentimento tão repleto de espelho, de nós no outro, do outro em nós, de uma base tão simples para ser sólida e tão sólida para ser simples! É uma alegria tremenda por saber que pôde mergulhar assim nas reflexões e nas emoções. Espero demais que sempre seja possível fazer releituras dessas incríveis obras, viu? Um super beijo!

      Excluir
  5. Que postagem sensacional! Esse video do cego e publicitario é incrivel. Todos sao. Nao conhecia nenhum! E essas suas analises? Fazendo cada um ter mais sentido. Genial

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, que alegria imensa por ler essas suas palavras, Ingrid. Fico super feliz por saber que pôde conhecer tantas novas obras reflexivas através da postagem e que as análises, ainda que tendo sido tão resumidas, deram suportes a mais para aprofundamentos das lições. Obrigada por compartilhar aqui suas sensações, viu? Um super beijo!

      Excluir
  6. Respostas
    1. Oba! Que alegria por saber que mergulhou nas reflexões e sensações e pôde intensificar cada uma! O mais bacana é ir discutindo, principalmente internamente, cada uma das mensagens enquanto as conectamos, não é? Obrigada por compartilhar suas sensações, viu? Um super beijo!

      Excluir
  7. Gosto bastante de assistir, alguns eu já havia visto. Tem um que já até compartilhei no meu blog onde o rapaz é surdo e em um belo dia todo mundo passa a falar com ele pela língua de sinais é emocionante. Beijos
    http://www.charme-se.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oba! Que bacana! É uma delícia ir conectando tamanhas reflexões que invadem nossos pontos mais íntimos e coletivos, não é? Manda aqui o link desse outro quando puder, viu? Vou adorar conferir! Imagino que diversas vertentes densas de críticas ficam inclusas no vídeo, assim como em cada um dos aqui indicados cabem muito mais do que as angulações mais nítidas. Espero que possa reler cada vez mais as pontuações de cada um. Um super beijo!

      Excluir
    2. Segue o link http://www.charme-se.com/index.php/2015/07/21/maos-que-houvem/

      Excluir
  8. Só conhecia dois deles! Estou numa fase de buscar curtas em animação, mas às vezes é tão difícil encontrar, né? Até agora não consegui ver todos os indicados ao Oscar desse ano, agora imagina só aqueles fora do mainstream... O layout do seu blog é simplesmente incrível! Beijos!
    Blog Vintee5 | Canal Vintee5

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lu, que delícia é saber que tem esse gosto por curtas. Diversos dos de animação são tão reflexivos e intensos, não é? Obras maravilhosas e metafóricas como vários dos aqui indicados. O Balance foi vencedor do Oscar há muitos anos. Tenho também que conferir os mais novos! Adorei esse lembrete seu. Espero que os que não conhecia tenham invadido suas reflexões de formas aprofundadas e que, os já tinha visto, possam ter ganhado releituras ainda mais intensas em conjunto com as análises resumidas emitidas, viu? Um super beijo! E obrigada por esse carinho tão lindo! Este cantinho é nosso.

      Excluir
  9. Nossa, nunca tinha assistido a esses vídeos. Vi 3 e já estou adorando! Excelente post!
    Beijos
    BlogCarolNM
    FanPage

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, Ca, foi uma delícia separar cada um para vocês. São incrivelmente reflexivos, com muitas entrelinhas para aprofundamentos maravilhosos nas lições. É uma alegria imensa saber que adorou e espero que possa ir conferindo os outros e mergulhando em cada mensagem, viu? Obrigada por compartilhar suas sensações e por navegar em cada partilha de sentimentos neste nosso cantinho. Um super beijo!

      Excluir
  10. Logo quando abri o post, assisti o segundo vídeo porque o titulo me chamou a atenção e logo depois que eu vi, ja tava emocionada e fui ler o que voce escreveu sobre, proque suas analises sao sempre sensacionais. Agora to aqui toda pensativa.. como voce é intensa!! Sou louca pra comprar um livro seu e vou comprar, juro. Esse post é incrivel e suas analises deixam mais incrivel ainda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lu, que delícia ler e sentir essas suas palavras de tamanho carinho. Muito obrigada por essa energia incrível! Saber que as análises, mesmo que sendo tão mais objetivas/resumidas no post, puderam dar acréscimos e forças para as reflexões emitidas, dá ainda mais sentido a cada partilha aqui feita. Obrigada por esta alegria, por intensificar os motivos do nosso cantinho, viu? E também fico super emocionada com o Reflections! É maravilhoso aprofundar os sentidos primordiais dessa junção de emoções que o vídeo transmite, não é? Espero que possa mergulhar em cada um, viu? Um super beijo!

      Excluir
  11. Adorei incrievl... Beijos http://blogpriscilabruno.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Pri! Que alegria gigantesca por ler as suas palavras. Obrigada por compartilhar suas sensações no nosso cantinho. Espero que cada vídeo possa e análises em acréscimos possam ter invadidos seus sensos críticos em âmbitos pessoais e mais sociais, viu? Um super beijo! E espero ver demais opiniões suas por aqui!

      Excluir
  12. Esse Foco na tarefa x Foco no resultado é genial!!!! E a sua explicação deixou mais genial! Achei incrivel demais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, que delícia ler isso! É um dos meus favoritões de todos, acho as metáforas muito bem construídas e sensacionais. O vídeo inteiro carrega mensagens incríveis, não é? Foi maravilhoso escrever um tiquinho sobre ele, ainda que ele fale tanto por si só. Adorei saber que mergulhou assim nas reflexões e que gostou tanto quanto adoro, viu? Um super beijo!

      Excluir
  13. Essa primeira animação é tão linda *-* tão singela e diz tanto.Um tapa bem na nossa cara, que nos esquecemos que em tudo o que usamos/comemos/vestimos/fazemos, tem o dedo de outra pessoa por trás.E o pior é que essas pessoas nem sempre são valorizadas como deveriam.

    ótimo post!

    Beijos!

    Poesia em Transe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente! Ai, como é uma alegria ler detalhamentos mergulhados em vertentes reflexivas de uma obra tão bacana. É um vídeo simples, com mensagens que podem parecer bem simples e até batidas, mas que carregam tantas outras, não é? São diversos aprofundamentos a serem feitos, diversas vertentes a serem colocadas em conjunto e fortalecimentos... Adorei saber que navegou assim pelas reflexões, viu? Espero que possa conferir os demais, sentindo também as tão particulares intensidades. E espero ver mais opiniões suas por aqui, viu? Um super beijo!

      Excluir
  14. Nunca assistir nenhum desses vídeos, acredita? Vou ver com calma depois.
    bjs
    http://marymicucci.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oba! Que maravilha saber que descobriu tantas obras incríveis por aqui, Mari! Espero demais que possa conferir cada vídeo e mergulhar nas lições que nos emitem, unindo umas com as outras, viu? Conta depois o que achou, vou amar saber! Um super beijo!

      Excluir
  15. Pena que com essa internet aqui fica difícil assistir video... mas achei teu post super legal e bem completo.

    Beijão !

    | O Blog Que Não é Blog |

    | Instagram: @aquelenaoblog |

    | Canal no Youtube |

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, Anna. ): Espero demais que possa ir conferindo, mesmo que aos poucos, porque são obras incríveis, críticas e reflexivas com temáticas super diferenciadas. Vou amar saber a sua opinião! Mas é uma alegria saber desde já do seu apreço, viu? Muito obrigada por compartilhar a sua opinião! Espero ver mais das suas visões por aqui! Um super beijo!

      Excluir
  16. são tão bons essas curtas de reflexão né? adoro as asiáticas, tem um canal chamado legendados que sempre que assisto choro, muito bom!!
    www.byanak.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana, que alegria imensa por ler isso! Já vi vários curtas asiáticos também, são lindíssimos, tocantes demais, daqueles (em sua maioria) para o coração apertar enquanto refletimos. Vou procurar esse canal para ver mais, viu? Adorei a indicação! Oba!

      Excluir
  17. Que maravilhoso esse post.
    Vou assistir todos, com certeza... adoro, principalmente, os curtas!

    =*
    Mani Piñeiro
    @Blog_ManiPineiro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mani! Que alegria imensa por ler essas suas palavras! Maravilhoso é receber essa sua energia incrível. Sou louca por curtas incríveis assim também, tão poéticos, metafóricos, críticos, reflexivos e com artes belíssimas para cada representação de tamanha sensibilidade e visão ampla. Espero demais que possa conferir e analisar as entrelinhas abordadas por cada um, viu? Vou adorar saber as suas opiniões! Um super beijo!

      Excluir
  18. De todos os vídeos o que mais me chama a atenção é "o emprego". Pior que eles mostram a verdade... como o ser humano virou uma máquina de trabalhar e só!!! As vezes não passamos disso :(

    ❣ Blog ❣ www.amigadelicada.com ❥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, que delícia por saber que navegou em tais pontos! O vídeo traz diversas vertentes reflexivas que vão além do quesito, mas ele também é abordado para nos fazer refletir sobre o quanto, não pausando, deixamos de descobrir outros dons e evoluções possíveis, não é? Adorei saber que mergulhou nas reflexões assim, viu? Espero demais que as análises, ainda que tão resumidas no post, possam abrir alas para aprofundamentos das lições emitidas. Um super beijo!

      Excluir
  19. Muito legal esses videos
    amei!
    Beijos
    www.jessicarcoelho.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oba! Que alegria imensa por ler isso, Jé! São obras com reflexões para diversos âmbitos, que fincam nos fatores mais pessoais e coletivos em variedades grandes de um vídeo para o outro, não é? Variedades que acabam abraçando umas as outras. Espero demais que possa ir mesclando em releituras as mensagens tão repletas de angulações diversas de cada vídeo, viu? Um super beijo!

      Excluir
  20. Eu estava louca por um post assim, que reunisse esses videos que eu adoro assistir. Desses que fazem a gente parar e analisar nossa vida, nossa sociedade, sabe?
    Agora preciso fazer uns trabalhos pra faculdade, mas, assim que terminar, vou voltar aqui e assistir todos.
    Acho que, dentre os que mencionou, eu só assisti aquele do cego e do publicitário. Adoro aquela história.

    Beijos,
    Bi.

    - www.naogostodeunicornios.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bia, que alegria imensurável por ler essas suas palavras e saber que que vai mergulhar com tanta intensidade em cada reflexão. A ideia é justamente essa: que possamos mesclar as lições emitidas, podendo ampliar meios de criticidades e de visões mais interiores e mais voltadas para o coletivo também. Que nossas vidas pessoais, profissionais e como membros de "um todo" possam ser ainda mais aguçadas com inspirações e "tapas" de "acorda!" com obras assim, não é? Precisamos lembrar que essas obras são sempre registradas em cantinhos do nosso cotidiano e basta que saibamos enxergar ainda mais afundo. Espero que adore os vídeos indicados e que possa navegar em cada um. Um super beijo!

      Excluir
  21. Adoro esse tipo de vídeos! Vou assistir todos!
    Adorei conhecer seu cantinho <3
    http://estilosalheios.com.br/

    ResponderExcluir
  22. Um dos melhores posts que vi nas últimas semanas!
    Adorei as dicas de vídeos e até guardei alguns na minha lista de assistir mais tarde!
    Xerim :)
    www.trilouca.com
    Canal no YT: http://www.youtube.com/c/blogtrilouca

    ResponderExcluir
  23. Da lista toda eu só assisti Reflections of a Skyline, Gift e Sings. Todos de partir o coração huahua

    http://bruna-morgan.blogspot.com

    ResponderExcluir
  24. Que delicia de vídeos! E suas analises só complementam e dão um toque ainda mais pessoal e poetico a cada um deles.
    Amei todos especialmente os 3 primeiros! Tapa na cara rs!!

    Vontade de rever e compartilhar já

    Bjos
    Pri
    http://www.styledchicas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  25. Muito bom... arrumei algo para fazer euqnato espero o povo terminar as tarefas deles e me passar mais! :)

    ResponderExcluir
  26. Eu já vi alguns na net, mais penso que se todo mundo gastasse um tempo pra ler esse post seriamos pessoas melhores em um mundo melhor. ♥
    www.meninacaprichosa.com

    ResponderExcluir
  27. Eu tinha assistido apenas dois.
    Gostei de todos. Videos simples e que passam uma mensagem muito boa.
    Beijos, Aline
    Verso Aleatório

    ResponderExcluir
  28. Resenha e dicas maravilhosas amei
    Blog:https://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br
    Canal:https://www.youtube.com/watch?v=DmO8csZDARM

    ResponderExcluir
  29. Oi Vanessa, bt!
    Lendo as sua análises já gostei de todos, mas como não tive tempo de ver todos e deixar uma análise minha, então salvei o seu link p/depois com bastante calma cair de cabeça nos vídeos pq tenho a certeza de que vou amar todos.
    Bjssssss

    ResponderExcluir

Obrigada por chegar até aqui para deixar a sua opinião. É fundamental para mim. O que dá sentido com ratificação para cada reflexão entre análises, dicas, informações e sentimentos aqui escritos são essas nossas trocas evolutivas de sensações e pitacos.

Não esqueça de clicar em "notifique-me" abaixo do seu comentário para receber por e-mail a resposta dada.

Posts Recentes Mais Posts

TRANSBORDOU NESTES?

Direitos Autorais

Todos os escritos aqui postados são de autoria da escritora, poetisa, compositora e blogueira Vanessa Brunt. As crônicas, frases, poesias, análises e os demais diversos escritos, totais ou em fragmentos, podem ser compartilhados em quaisquer locais e sites (quando não para fins lucrativos: criação de produtos para vendas, entre outros), contanto que haja o devido direcionamento dos direitos autorais. Ademais, as imagens utilizadas no blog para as postagens não são, em sua maioria, feitas pela autora. Portanto, para qualquer problema envolvendo os créditos das fotos, basta entrar em contato e o caso será resolvido prontamente.