VÍDEO: DICAS DE FILMES E SÉRIES COM KÉFERA BUCHMANN

sábado, novembro 11, 2017


São tantas as músicas, os clipes, os filmes, as séries, os livros e as diversas artes que deixo em análises nos meus blocos de notas e papéis soltos pelas bolsas. A cada momento em que penso o quanto queria estar compartilhando cada descoberta e reflexão aqui, no Sem Quases, dói o estômago, a minha faringe, cai o meu sistema imunológico. Drama? Não exatamente. Vamos utilizar como metáfora, que é a forma que mais faz parte deste espaço [e de mim]. Mas por que estou abordando todos esses quesitos? Bom, preciso explicar o motivo deste nosso canto do mundo não estar frenético como costumava, pelo menos por enquanto.

O que tem acontecido é, simplesmente, a minha vida profissional. Melhor elaborando: um outro lado dela. Ser escritora, poetisa e fazer cada análise e indicação aqui, são detalhes que fazem parte das partes principais de mim, da minha totalidade, do que já alcanço, do que sempre serei. Meus livros sempre estarão indo para o mundo e as postagens aqui vão ter ainda os retornos dos seus momentos de dinamização maior. Mas estou precisando equilibrar o desfecho da minha graduação em Comunicação Social — Jornalismo, com o meu trabalho no Jornal Correio e com todas essas demais prioridades. Acontece que estou em uma fase: momento em que aglomero o TCC, os projetos finais do curso e, obviamente, muita produção na redação do jornal. Por lá, inclusive, vocês podem acompanhar dicas de séries, filmes e certas análises que não deixo de emitir, já que a minha editoria principal é a de Cultura.

Daqui a alguns meses, o ciclo da graduação estará finalizado e poderemos ficar nos alimentando e mergulhando aqui até os tímpanos doerem. As produções no jornal vão continuar, porém, obviamente, a forma de abordagem lá é outra, apesar de, nas entrelinhas, sempre que possível, existir o encaixe sobre as implicitudes, metáforas e mensagens diversas de cada arte sobre a qual venho a tratar. Então, afirmo de pés juntos, com força nas cordas vocais, que temos muitas coisas nas gavetas para ir soltando ainda nesta nossa esquina intensa. E não poderia finalizar tal explicação sem uma frase: Os mais vivos são os afogados. Os únicos que conseguem, realmente, respirar.

Observação: o vídeo principal desta postagem está no final.


Resultado de imagem para gosto se discute

VÍDEO 1: ENTREVISTA COM KÉFERA E AS ENTRELINHAS DO FILME:
GOSTO SE DISCUTE

Após as justificativas do nosso movimento atual, o assunto do título da postagem finalmente chega por aqui. Como jornalista, fui conferir, um tempo antes do lançamento, o novo longa nacional Gosto Se Discute, que chegou nas grandes telas nesta semana [confira o trailer abaixo] e que tem no elenco protagonista os nomes Cássio Gabus Mendes e Kéfera Buchmann, dona do maior canal de YouTube feminino do país.

A obra utiliza a gastronomia como metáfora para críticas que vão desde a necessidade da pausa e do lazer para um trabalho mais bem feito até a mistura do novo ao tradicional sem uma necessária dicotomia. No filme, Kéfera interpreta a rigorosa Cristina, que é enviada por um banco para a tentativa de salvação do restaurante de Augusto (Cássio), que perdeu a clientela para um food truck instalado bem na frente do seu estabelecimento.


A trama, que sai do estilo de comédia escrachado e apresenta predominância de tons dramáticos, é poética em sua linha principal. Cada detalhe conversado na cozinha, cada prato produzido, cada imagem relacionada e cada acontecimento, são utilizados como metáforas para referenciar aos quesitos desejados. A gastronomia do filme é colocada como metáfora para discussão e quebra de tantos dos padrões sociais. O título não fica de fora das ponderações encaixadas, já que lembra que nada vai agradar a todos e que a novidade e a essência/antigo tem, ambos, seus pontos a serem aproveitados e sempre unidos, pontos que podem ficar ainda mais fortes e acrescidos, quando juntos. Afinal, gosto deve ser discutido, para quem realmente não quer parar no tempo e nem, simultaneamente, se vender para o que hoje vende.

As reflexões abordadas e as entrelinhas são relevantes e bem escolhidas, apesar de certas falas preconceituosas como 'baiano trabalhando' [sendo utilizada em tom irônico] e das falhas do filme ao chegar na sua reta final das cenas. A mensagem de desfecho, apesar de uma conclusão geral que faz jus ao que seria necessário, acaba perdendo força pela execução. A ideia final que os personagens têm: de passar a perna, de dar o troco, de formular uma vingança para alcançar o desejado, poderia ter aderido consequências mais severas ou outras quebras de preconceitos e ideais pragmáticos. Mas o caso não foi aproveitado para maiores críticas dentro do roteiro, fazendo o oposto e enfraquecendo a sequência, que ganha um ar muito maior de ficção, muito menor do poético e até meio bestial. Ainda assim, pelas reflexões do decorrer, a obra fica válida e deixa um gostinho de criar ideias, para que pensemos em uma outra forma, melhor executada, para o desfecho.

Para entender melhor e saber mais sobre as entrelinhas, confira as mensagens do filme e a minha análise jornalística [que não deixa de destrinchar metáforas] clicando aqui. O machismo é apenas um dos outros pontos tocados.

Após assistir a trama, fomos então, em nome do Jornal Correio, entrevistar a Kéfera sobre a nova fase da sua carreira. Tivemos um problema técnico em relação à qualidade e tamanho da imagem deste primeiro vídeo, o que não ocorreu com o último gravado [que está abaixo]. É possível utilizar a ferramenta do vídeo para escolher a melhor qualidade de imagem. Confira:


Foram produzidas três matérias sobre a temática. Uma, que pode ser conferida mais acima [ou aqui, novamente], com a minha breve análise sobre o longa. Outra, que pode ser conferida aqui, com outras curiosidades e declarações da Kéfera e, por fim, a que faz jus ao título desta postagem, e que pode ser conferida abaixo.

VÍDEO 2: DICAS DE FILMES E SÉRIES COM KÉFERA BUCHMANN


Leia a matéria que contém este vídeo e confira todos os trailers e sinopses [com algumas das entrelinhas principais de cada trama], clicando aqui.

Os meus comentários nos vídeos seriam mais repletos de análises e de outras indicações, mas como estava ali representando o jornal e não o Sem Quases, a postura precisava ser outra: um pouco mais imparcial. Mas podemos ainda fazer análises mais aprofundadas de alguns dos filmes indicados pela Kéfera. Qual você gostaria de ler por aqui?

Detalhe: Lá no nosso canal [que está também nesse ritmo mais lento pelos mesmos motivos explicados no início da postagem], criei uma parte nova, para encaixar alguns desses vídeos que tenho produzido no jornal no qual trabalho. Vem mais por aí!

Conferiu a matéria [ou as matérias]? Já tinha conferido algum dos filmes? Já assistiu Gosto Se Discute? Encontrou outras entrelinhas reflexivas? Quais seriam as suas respostas para a TAG que fiz com a Kéfera? Ufa! Muitas perguntas para vocês. Contem as respostas nos comentários e vamos conversar.

LEIA TAMBÉM:

4 COMENTÁRIOS

  1. MARIA CLARA PILLONI11 de novembro de 2017 10:57

    Estava sedenta pelas suas análises. Nem tinha pensado em ver esse filme novo dela, mas agora vou assistir com essas visões que você passou. Fico sempre de cara com a sua profundidade! E os vídeos ficaram bons demais! Mesmo você mais contida, por estar sendo jornalista neles, ficaram enriquecedores. Adorei as dicas e vou parar pra responder a tag e voltar aqui pra comentar com as respostas

    ResponderExcluir
  2. Eu assisti o trailer e achei bem bonitinho. O Cássio Gabus Mendes parece estar ótimo no papel de chef. E achei bem legal a Kéfera estar fazendo personagens tão diferentes.

    Assim que der vou assistir!

    ResponderExcluir
  3. Adorei os vídeos, Brunt! Você arrasa demais! Queria ver mais e mais vídeo no seu canal. E essa análise do filme? Sempre nos trazendo visões que nem iríamos pensar. Já sei que vou assistir com outros olhos. As dicas que a Kéfera deu foi bem rica também. Mas prefiro te ver como a Brunt do Sem Quases, que faz intervenções poéticas e reflexivas, do que como jornalista mais imparcial. Mas amei!

    ResponderExcluir

Obrigada por chegar até aqui para deixar a sua opinião. É fundamental para mim. O que dá sentido com ratificação para cada reflexão entre análises, dicas, informações e sentimentos aqui escritos são essas nossas trocas evolutivas de sensações e pitacos.

Não esqueça de clicar em "notifique-me" abaixo do seu comentário para receber por e-mail a resposta dada.

Posts Recentes Mais Posts

TRANSBORDOU NESTES?

Direitos Autorais

Todos os escritos aqui postados são de autoria da escritora, poetisa, compositora e blogueira Vanessa Brunt. As crônicas, frases, poesias, análises e os demais diversos escritos, totais ou em fragmentos, podem ser compartilhados em quaisquer locais e sites (quando não para fins lucrativos: criação de produtos para vendas, entre outros), contanto que haja o devido direcionamento dos direitos autorais. Ademais, as imagens utilizadas no blog para as postagens não são, em sua maioria, feitas pela autora. Portanto, para qualquer problema envolvendo os créditos das fotos, basta entrar em contato e o caso será resolvido prontamente.