O QUE ASSISTIR NOS CINEMAS EM ABRIL

segunda-feira, abril 04, 2016


Mais um mês que promete reflexões incríveis nas nossas telonas! Para começar os recheios chamativos: os filmes "Mogli: O Menino Lobo" e "Invasão à Londres" mudaram suas datas para, respectivamente, 14 de abril e 7 de abril. Eles já haviam sido destrinchados aqui. Confira abaixo as análises das mensagens prioritárias que podem ser esperadas de cada uma das demais obras. 

  • Sr. Holmes

O famoso detetive Sherlock Holmes (Ian McKellen) está com 93 anos, aposentado, vivendo em uma casa remota no litoral com sua governanta Mrs. Munro (Laura Linney) e o filho dela, o pequeno Roger (Milo Parker). Lidando com a deterioração da sua mente por causa da idade, ele continua obcecado com um caso que não conseguiu decifrar. Sem a companhia do seu fiel escudeiro Dr. Watson, Sherlock tenta desvendar o antigo mistério. Baseado no livro "A Slight Trick of the Mind", de Mitch Cullin, o filme leva ao detetive uma história de amor, de amizade e de respeito ao próximo. Em outras palavras, a obra ganha vertentes mais humanizadas, de reflexões em âmbitos de temática familiar. Nos deixando, portanto, com angulações ainda mais intensificadas de lições. O foco promete ficar no potencial emotivo dos relacionamentos tratados pela trama. Primeiramente, a estória parece fazer um excelente trabalho ao ressaltar que o olhar aguçado e o senso de dedução de Holmes continuam impressionantes, embora não sejam mais usados para fins profissionais. Logo, mensagens sobre o quanto talentos e gostos devem estar entrelaçados em um ser humano para que uma profissão tenha, de fato, uma paixão que jamais seja cessada, parecem não faltar. A amizade entre Holmes e o garoto já nos deixa, desde já, rastros sobre incríveis entrelinhas reflexivas abordadas. O quesito de um aprender com o outro de formas densas, finca a mensagem do quanto idade não quer dizer maturidade, do quanto maturidade é algo relativo, que depende da temática, e do quanto uma experiência (para ser válida) depende mais de quem a viveu (de quem busca ali aprendizado, evolução, sentidos), do que do que seria por si. Quebra de julgamentos, do quanto, de fato, não sabemos do ocorre atrás "das cortinas", permeiam a obra desde o trailer. Um longa com mensagens que vão muito além do que a sinopse pode emitir, com minúcias precisam ser captadas de formas poéticas e mais sentimentais para serem compreendidas, gostos de lealdade, vida profissional e pessoal, capacidade humana independente dos anos de vida e muito mais, fica a nos aguardar. 

Lançamento: 28 de abril. Roteiro: Jeffrey Hatcher. Observação: O filme já foi lançado (em 2015), porém chegará aos cinemas brasileiros apenas neste mês.

  • Decisão de Risco

Primeiramente, um detalhe super triste a ser enfatizado: Esse será um dos últimos filmes que poderemos ver sendo lançado com a atuação do nosso eterno Professor Snape (Alan Rickman). A obra retrata o encontro de três perigosos terroristas em Nairobi, no Quênia, que faz com que uma elaborada operação seja coordenada diretamente da Inglaterra. É lá que a coronel Katherine Powell (Helen Mirren) e o general Frank Benson (Alan Rickman) acompanham os movimentos dos alvos, através de um avião-drone estrategicamente posicionado para que não seja detectado por radares inimigos. Inicialmente, a operação seria para capturá-los, mas a descoberta de dois homens-bomba faz com que o objetivo mude para eliminá-los a qualquer custo, visando a proteção de muitos mais vidas. Inicia-se então um debate interno, envolvendo o lado militar e também o político, sobre como agir causando o mínimo possível de danos colaterais, já que uma vida inocente pode ser atingida em meio ao processo. A trama, portanto, nos deixa com noções do quanto irá abordar, além dos pontos mais vistos nas entrelinhas (como quesitos políticos a serem discutidos), também os conflitos humanos internos. Lições sobre escolhas, princípios, caráter e humanização, não estarão em falta. Podemos ainda enxergar cada mensagem do filme de forma mais metafórica, buscando a compreensão do quanto um detalhe que parece minúsculo diante de um objetivo, pode sim o deteriorar caso não seja bem tratado, pensado, lidado. É preciso saber renunciar para escolher e entender o que é de maior valor e impacto para continuar a ser livre, podendo fazer demais escolhas sem perder o que considera como prioridade. Mas e quando a renúncia requerida é também uma prioridade? E se for necessário balancear e observar que a "menor" por ser tão grande quanto? São vertentes emitidas para qualquer situação do nosso cotidiano.

Lançamento: 7 de abril. Roteiro: Guy Hibbert.

  • Capitão América: Guerra Civil

Não costumo ser muito conectada a filmes de super-heróis, porque sempre sinto que as mensagens poderiam ser mais aprofundadas, intensas, fora de clichês. E, finalmente, está chegando um filme que parece ser mais denso do que todos os que já vimos dentro dessa temática! Estou realmente ansiosa para devorar a trama. Assim como em "Batman vs Superman" (citado aqui), a realidade está mais contida, escancarando fatores mais firmes sobre como uma sociedade realmente encararia algum poder que desequilibrasse a igualdade de possível força entre os seres. Isso nos serve como excelentes metáforas, inclusive, em relação a qualquer "poder que possa diminuir o poder da população, o poder social", devendo esses encararem "o gigante" como, de fato, gigante. Porém falta o "gigante" entender seu tamanho e, principalmente, buscar melhor compreensão em relação ao que está sendo feito consigo. Não é uma luta de times, não deveria ser. É uma luta em prol do que é melhor. Não existe "rouba, mas faz", temos que caçar a melhoria e não aceitar uma migalha só porque é parte de um pão. Mas voltando a fixar nos fatores mais diretos da obra: Nela, Steve Rogers (Chris Evans) é o atual líder dos Vingadores, super-grupo de heróis formado por Viúva Negra (Scarlett Johansson), Feiticeira Escarlate (Elizabeth Olsen), Visão (Paul Bettany), Falcão (Anthony Mackie) e Máquina de Combate (Don Cheadle). O ataque de Ultron fez com que os políticos buscassem algum meio de controlar os super-heróis, já que seus atos afetam toda a humanidade. Tal decisão coloca o Capitão América em rota de colisão com Tony Stark (Robert Downey Jr.), o Homem de Ferro. Além dos quesitos mais sociais e políticos, poderemos de forma certeira, portanto, ter reflexões sobre amizade, persistência e, como sempre, força e importância do trabalho em equipe. O bacana é que a obra realmente parece abordar tudo isso com tons muito mais amadurecidos, críticos e até com analogias mais próximas das práticas civis, em suas eternas lutas entre si, enquanto deveriam ser união para lutar com maior senso. Os lados lúdicos não parecem sumir, então certas descontrações, com as ironias dos personagens, são garantidas. A diferença do impacto da obra e até dessas cenas mais jocosas, está em como você irá captá-las em meio a essas novas entrelinhas.

Lançamento: 28 de abril. Roteiro: Christopher Markus e Stephen McFeely.

  • Mais Forte Que Bombas

Anos após a morte da mãe (Isabelle Huppert) em um acidente de carro, Jonah (Jesse Eisenberg) volta para casa para uma retrospectiva de seu premiado trabalho como fotógrafo de guerra e reencontra o pai (Gabriel Byrne) e o irmão caçula (Devin Druid) ainda abalados pelo trauma. Com mágoas não superadas, os três buscam uma conexão através das lembranças completamente diferentes que têm da mulher. O filme nos deixa, além de com um super gostinho de mistério a partir do trailer, com a jura de lições incríveis relacionadas ao poder fundamental da verdade e a própria relatividade que ela carrega, precisando de fatos secos sendo lidos para que as mágoas sejam menores. A mentira abre alas para menos perdão e mais culpa de todos os lados, e a obra parece captar esses seguimentos de formas nada clichês. Outra vertente bem conectada à estória, é a de que, o que cada um vai guardar de alguém é diferente, variado, por isso é preciso que lembremos de não ler a bula antes de tomar remédios na vida, é preciso que possamos ler cada um à nossa maneira e tomar os riscos. É preciso, ainda e acima de tudo, que ratifiquemos que o maior legado a ser deixado é sempre ser bom. Nada é mais enriquecedor do que ser humilde e querido. Como discorri na análise das metáforas de Wildest Dreams, da Taylor Swift: Ser bom, tendo caráter, tendo lealdade, é o que realmente causa marcas mais fincadas, é o que faz com que você seja ainda mais inesquecível, porque os ruins causam amadurecimento e podem até deixar certas saudades, mas jamais permitem com que, realmente, mente e coração de alguém desejem voltar para tal "local". Nas horas dos apertos, das dores, das vitórias, de todas as maiores intensidades da vida, do querer compartilhar as alegrias ou desabafar os pesares, é para os bons que queremos correr, para os que sabem respeitar, para os que se preocuparam em como serão relembrados (sem deixar de ser quem são, mas sabendo fazer escolhas e renúncias diante do que querem ser). Isso tudo é cabível para qualquer tipo de relacionamento, seja uma amizade, uma questão familiar ou um romance. E a obra nos deixa as premissas de diversas mensagens dentro dessas visões.

Lançamento: 7 de abril. Roteiro: Joachim Trier e Eskil Vogt.

  • Em Nome da Lei

Vitor (Mateus Solano) é um jovem juiz federal recém-chegado na cidade de Fronteira, disposto a desmontar um esquema de contrabando e tráfico de drogas na região. Para prender Gomez (Chico Diaz), ele vai contar com a ajuda da procuradora Alice (Paolla Oliveira), por quem se apaixona, e da equipe do policial federal Elton (Eduardo Galvão). A obra foi inspirada no trabalho do juiz federal Odilon Oliveira: "ele tem um trabalho sério na fronteira do Brasil com o Paraguai e virou uma lenda na região", declarou o diretor Sérgio Rezende. "A gente partiu desse mote de um juiz decidido a colocar ordem e enfrentar os bandidos para construir o filme. É uma história de ação que tem em paralelo um romance, um pouco de humor e até um tabu sobre o qual prefiro guardar segredo". Já ficou com as pontadas de curiosidade? Fica claro o quanto a obra é informativa, feita com base em apurações interessantes, com dados estatísticos, para abrir nossos olhos em relação a quesitos corruptos do nosso país e demais problemas sociais que vivemos. A crítica mais aprofundada, até sobre os principais temas abordados e as lições de base, são daquelas que só podem ser feitas após conferir minuto por minuto da trama. Mas o fato é que mensagens super bacanas estarão nas nossas mãos para mais criticidade, argumentos, soluções e visões.

Lançamento: 21 de abril. Roteiro: Sergio Rezende.

  • De Onde Eu Te Vejo

E mais uma obra nacional! Dica antes de tudo: Não veja o trailer até o final, o spoiler pode até ser dos esperados, mas acho que estragou um pouco mostrando cenas que deveriam ficar guardadas para um contexto mais denso, que será apresentado no decorrer. Uma das perguntas do trailer já nos deixa mergulhados em certas reflexões: "Quantas histórias cabem em uma mesma história?". É preciso escolher, abrir mão de várias para que caibam, de fato, histórias com "h", com verdade, com intensidade, com construção que valham como legados. É preciso lembrar que uma história não deve ferir os juramentos da outra, caso contrário, não está havendo a sabedoria do que é ou não trivial, do saber renunciar, porque renunciar é saber respeitar princípios, e só assim as histórias vistas como tais podem viver. Na trama, agregando mensagens sobre escolhas, lealdade e amor, Ana Lúcia (Denise Fraga) e Fábio (Domingos Montagner) decidem se separar após vinte anos de casamento e ele se muda para um apartamento do outro lado da rua. Além da separação, eles passam por uma crise no trabalho e precisam enfrentar a iminente mudança de cidade da filha. Com todas essas modificações, eles precisam aprender a viver uma nova realidade e reinventar o amor. Família, romance, amizade. Três palavras de valores que precisam estar interligados para que haja, de fato, um relacionamento saudável assim, a dois. Outra palavra que seria super cabível: espelho. Saber olhar para o outro e lembrar do outro sempre pensando no que magoaria ou felicitaria a si, tendo de tal forma, as melhores atitudes para impulsionar a vida de com quem compartilha a vida! Quesitos profissionais, sociais, humanos. Mensagens que captam tantas densas sobre juras e persistência real em um relacionamento, sobre lembrar que, em casos assim, sofrer calado já é desistir de tentar (como aborda o vídeo "Separação" da postagem de vídeos reflexivos). O filme nos deixa diversas vertentes a serem aprofundadas, com muitas ideias de perícias inclusas. Pode até parecer que virá carregado de clichês, mas as construções mais "simples" da estória, emitem a consideração de deixá-la muito mais do que carismática, ficando, acima de tudo: meditativa (para qualquer um: seja para os já casados, para os separados, para os solteiros que vivem seus conflitos profissionais, etc). Uma obra para suavizar os problemas e os martelarem um pouco mais, simultaneamente.

Lançamento: 7 de abril. Roteiro: Leonardo Moreira, Luiz Villaça e Rafael Gomes.

  • O Conto dos Contos

Esse, para mim, foi o filme mais curioso da lista. Realmente fica difícil saber quais temáticas esperar nas mensagens passadas. O longa nos apresenta três fábulas, que são mostradas paralelamente. No reino de Longtrellis, o rei (John C. Reilly) e a rainha (Salma Hayek) vivem com uma frustração, já que não podem ter filhos. Em busca de uma solução, eles entram em contato com um mago, que oferece uma receita: é preciso capturar o coração de um monstro marinho e fazer com que uma virgem o cozinhe, sem que alguém esteja por perto. Entretanto, ele faz um alerta: toda vida criada exige uma perda, para que o equilíbrio seja mantido. Em outro país, um rei (Vincent Cassel) que permite ser guiado pelo desejo, está obcecado por uma mulher que o encantou com sua voz ao surgir pela janela, no alto do palácio, sem saber que ela, na verdade, já está idosa. Em um terceiro país, um rei (Toby Jones) se surpreende com a descoberta de uma mosca que, alimentada por seu sangue, cresce cada vez mais. E como essas estórias irão ganhar entrelaçamentos? Precisamos conferir para analisar nos maiores detalhes. Lições relacionadas a esta frase aqui (que já citei diversas vezes como exemplo para variadas situações, principalmente ao tratar sobre a temática de escolhas e princípios), ficam claramente cabíveis. De resto, podemos presumir que mensagens relacionadas aos interiores (em relação a moça com a bela voz), como algo que pode estar em eternas juventudes, levando cores por aí, muito acima de qualquer fator externo, também serão abordadas com bastante originalidade. Mas para realmente navegar em cada caminho reflexivo, captando-os até em suas mais simples pilastras, precisamos ir para muito além do já apresentado.

Lançamento: 28 de abril. Roteiro: Matteo Garrone, Massimo Gaudioso, Ugo Chiti e Edoardo Albinati.

  • Mente Criminosa

E se você fizesse parte de algo grandioso socialmente e, por isso, todos os seus sentimentos em formato de lembranças, fossem parar na mente de outro ser humano que, confuso, estivesse tentando entender quem é? Em "Mente Criminosa", os segredos, memórias e habilidades de um agente da CIA morto são implantados em um prisioneiro imprevisível, com a intenção de ajudá-lo a interromper uma trama diabólica. Tudo irá, no entanto, virar de cabeça para baixo quando ele der prioridade aos afetos englobados em si. Apesar do trailer e da sinopse não nos deixarem com tantas pistas sobre as reflexões, de fato, abordadas, é possível crer que os enfoques vão partir para fatores relacionados aos sentidos de "sucesso", sendo algo com significado totalmente divergente de pessoa para pessoa e para a importância da união entre razão e emoção na busca de qualquer alcance. O que nos deixa com diversas linhas possíveis de abordagens e mensagens a mais conectadas a essas de base.

Lançamento: 14 de abrilRoteiro: Douglas Cook e David Weisberg.

  • Ave, César!

Hollywood, anos 1950. Edward Mannix é o responsável por proteger as estrelas do estúdio Capitol Pictures de escândalos e polêmicas e vive um dia intenso quando Baird Whitlock, astro da superprodução "Hail, Caesar!", é sequestrado no meio das filmagens por uma organização chamada "Futuro". A vida pessoal do Baird está um caos, embora ele esteja esteja na profissão mais bem paga do mundo. Em meio ao seu melhor momento e, talvez, sua última hora antes de uma completa auto-destruição, ele é sequestrado por um lúdico bando de comunistas que quer que ele os ajude a mudar o mundo. Na obra, até escolhas entre fazer o mundo seguro para Hollywood, ou seguro para a diplomacia da Guerra Fria, estão inclusas. São reflexões que permeiam o mundo do entretenimento e suas manobras de distorções e alienações populares, assim como quesitos mais íntimos, com mensagens sobre realização pessoal e demais pontos. É fato que na lista do mês, os dois filmes acima, somados a esse, deixam curiosidades imensas abertas em relação às suas teses maiores de mensagens a serem transmitidas, porém, o temor que fica em "Ave, César!" é apenas que suas discussões, representadas em uma época passada que tanto pode refletir em quesitos problemáticos intensificados, até então, na nossa atualidade, sejam tomadas por desejos midiáticos de clímax "rasos" que percam chances de criticidades fundamentais.

Lançamento: 14 de abril. Roteiro: Joel Coen e Ethan Coen.

  • O Maior Amor do Mundo

Na comédia romântica, várias estórias associadas à maternidade se cruzam: Sandy (Jennifer Aniston) é uma mãe solteira com dois filhos, Bradley (Jason Sudeikis) é um pai solteiro com uma filha adolescente, Jesse (Kate Hudson) tem uma história complicada com a sua mãe que pouco vê, Kristin (Britt Robertson) nunca conheceu a sua mãe biológica e Miranda (Julia Roberts) é uma escritora de sucesso que abre mão de ter filhos para se dedicar à carreira. Cada uma dessas vidas vão impulsionar outras a buscar soluções. Sabe aquele caso de "sei aconselhar os outros, mas não sei aconselhar a mim?", é o que veremos por aqui. Muitas vezes sabemos sim a resposta, sabemos o que é melhor, o que é mais amor (que é sempre o mais correto), mas precisamos do "empurrãozinho" alheio para reler o caso, reler a nós, e compreender melhor. O filme, portanto, nos trará diversas mensagens de amizade, família, prioridades profissionais e, lições sobre o quanto precisam estar todos esses tópicos conectados, sem abdicar um do outro, para prosseguirem de formas satisfatórias, com mais positivo do que negativo. É preciso observar, ler o mundo, sair das cascas, analisar o que você acharia se aquele ato seu fosse tomado por outra pessoa. É preciso julgar menos o que está de fora e mais o que está no próprio interior. E, não, não é nada clichê abordar esses pontos de uma maneira densa e leve simultaneamente, que é o que o longa nos deixa como tese. Uma obra para deleitar com a família, com os amigos e/ou a sós. Uma obra para captar suas atitudes em relação ao que está deixando de lado, para enxergar o quanto é necessário trazer somas pessoais para os ângulos profissionais e vice-versa, para refletir sobre para onde deseja correr quando tudo aperta ou folga demais: você está sentindo os amores maiores do mundo? Está se permitindo os mesclar? Como tem os tratado? Eles precisam, todos, estar no topo da sua lista, e de momento em momento, é que ganham um grau maior entre um e outro, dependendo das urgências de cada um. Se for amor, eles vão compreender (incluindo aqui seu emprego) os momentos de abdicações, e continuarão a crescer em conjunto.

Lançamento: 20 de abril. Roteiro: Garry Marshall.

Além dos filmes discorridos e dos dois que mudaram de data, ditos na introdução ("Mogli: O Menino Lobo" e "Invasão à Londres"), teremos ainda, neste mês, os lançamentos de: O Caçador e a Rainha do Gelo (21 de abril), Asterix e o Domínio dos Deuses (7 de abril), Rua Cloverfield, 10 (7 de abril) e Milagres do Paraíso (21 de abril).

Qual dos filmes mais ganhou a sua vontade de conferir? O que espera deles e acrescentaria em relação às análises (resumidas) de bases feitas? Não deixe de contar nos comentários!

LEIA TAMBÉM:

50 COMENTÁRIOS

  1. Estou super ansiosa pelo Capitão América e Mente Criminosa, com certeza são dois filmes que não posso perder!
    Beijos
    BlogCarolNM
    FanPage

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ca, que alegria gigantesca por saber as obras que mais impactaram desde já nos seus gostos e visões. Estou louca para conferir Guerra Civil também, dá até aquele certo temor da obra desperdiçar o tanto de criticidade e reflexão que pode nos trazer, não é? Mas, de qualquer forma, a premissa nos faz aguardar que seja um filme muito mais repleto de argumentações plausíveis para a sociedade atual (assim esperemos). E Mente Criminosa é super curioso, também me deixou com diversas pontinhas imaginativas, basicamente criei em mente diversas versões do que pode ser o desenrolar, rs. Tomara que eles captem as mensagens de forma bacana e não só com focos em clímax rasos, não é? Espero que os outros filmes possam também ter seus meios reflexivos para você. Um super beijo!

      Excluir
  2. Tive que escolher um só pra comentar mesmo (pra não deixar um comentário longo demais), apesar de todos parecerem legais, e o escolhido foi "o conto dos contos" porque, realmente, que curioso.
    Eu não entendi muito bem a proposta deles, mas posso ter certeza que é um filme chocante que engloba vários tabus. Não imaginava a Selma participando de um longa assim, para falar a verdade. Mesmo curioso, não fiquei com vontade de assistir; não sei você. Me pareceu confuso, no mínimo.

    Beijos,
    Bi.

    - www.naogostodeunicornios.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bi, que alegria imensa por saber que navegou nas análises encurtadas das reflexões possíveis de cada obra. Creio que "O Conto dos Contos" tenha uma "confusão intencional", de forma que os contos abordados ganhem encontros que deem mais sentido para o filme. O que fez a minha vontade de assistir ficar aguçada, foram as possíveis lições abordadas. Parece ser uma trama que desenvolve muitos fatores bacanas para refletir, e eles aparentam ficar nas entrelinhas mais singelas. Uma obra metafórica: é o que nos deixa a pensar. Adorei essa sua visão da quebra de tabus, é bem possível que fique super inclusa! Justamente pela possível "confusão que é a vida", com tantas histórias paralelas que se cruzam, foi que fiquei com vontade de dar uma chance para a obra. Mas, realmente, é aquela que nos deixa sem ter noção alguma de se vale esforços. Esperemos que sim! Espero que os demais filmes possam ganhar também sua atenção em meio às lições apresentadas, viu? Um super beijo!

      Excluir
  3. Oi Vanessa :)
    Confesso que os que mais me chamaram atenção foram os nacionais!
    Mas também amei as temáticas de O Maior Amor do Mundo e Ave, César!
    Beijos.

    claramenteinsana.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Du, os nacionais do mês estão com aqueles gostinhos super diferentes que ganham encontros no quesito "quero ver", não é? São repletos de mensagens e vertentes variadas, um mais voltado para críticas sociais e o outro mais voltado para quesitos íntimos, para os sentimentos e relações mais intrínsecas. O bacana é que as mensagens de cada podem virar excelentes complementos umas para as outras. E achei a proposta de O Maior Amor do Mundo lindíssima também! Estou querendo demais devorar o filme e refletir com cada pedacinho. O "Ave, César!" me deixou com aquele receio que citei, mas também ganhou a minha curiosidade. Tomara que você possa conferir cada um e que surpreendam positivamente (amém, rs). Um super beijo!

      Excluir
  4. Analises sensacionais, como sempre! Intensas e nos fazendo refletir desde agora em mensagens maravilhosas. Amei! Fiquei louca pra ver o do Holmes e fiquei curiosa pra esse Mais forte que bombas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lu, que delícia ler essas suas palavras e saber que mergulhou nas análises apresentadas, mesmo sendo tão prévias e "resumidonas". Fico super alegre por saber que, ainda assim, puderam despertar desde já suas profundidades nas reflexões abordadas. Obrigada por tanto carinho emitido e por trazer ainda mais sentido para o nosso cantinho com essa declaração! Tudo aqui é para que possamos refletir em conjunto. E estou louca para conferir essas duas obras também! O Mais Forte Que Bombas despertou bastante a minha curiosidade sobre os mistérios por trás e, principalmente, sobre as tantas lições que parece abordar. E esse do Holmes é lindeza pura em suas premissas, não é? Desde já podemos observar o quão diferenciado vai ser, o quão mais humanizado e repleto de quebra de preconceitos será. Adorei saber que ficou tão com o coração entregue. Um super beijo!

      Excluir
  5. GUERRA CIVIL VEEEEEEEEEEEEM estou te querendo *_*

    www.raposalaranja.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, Nanda, estou louca para conferir Guerra Civil também! Dá até aquele certo temor da obra desperdiçar o tanto de criticidade e reflexão que pode nos trazer, não é? Fica o receio de que, em certos momentos com uma hiper base possível para detalhes argumentativos e úteis, eles façam alguma quebra dessas abordagens. Mas, de qualquer forma, as ideias de base apresentadas nos fazem aguardar que seja um filme muito mais repleto de argumentações plausíveis para a sociedade atual (assim esperemos). Espero que outras das obras possam também suas reflexões prévias e desejos para conferir mais. Um super beijo!

      Excluir
  6. Apenas SUPER ANSIOSA por Guerra Civil! Olha, você pegou no ponto certo quando disse "como uma sociedade realmente encararia algum poder que desequilibrasse a igualdade de possível força entre os seres". Essa é a trama central do filme, quero muito assistir para entender os lados, ver os argumentos... Mas assim, já imaginando por alto como deve ser, eu sou totalmente #TeamCap! :)

    Um beijo! ♥
    www.daniquedisse.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, Dani, que alegria por saber que mergulhou nas análises e nos aprofundamentos de demais reflexões. É tão maravilhoso sempre encontrar por aqui as suas visões que trazem tanto sentido a mais para toda a proposta deste tão nosso cantinho! Obrigada por compartilhar suas sensações com fulgor e tanto carinho. Estou louca para conferir Guerra Civil também, e como falei para a Nanda (acima): dá até aquele certo temor da obra desperdiçar o tanto de criticidade e reflexão que pode nos trazer, não é? Mas, de qualquer forma, como você mesma ratificou, só pela premissa, a obra já nos faz aguardar que seja muito mais repleta de argumentações plausíveis para a sociedade atual (assim esperemos). Só por essa base já é possível observar que tem suas angulações para valer a pena e para que possamos captar excelentes entrelinhas. Não sei qual lado será "o mais plausível", mas estou super curiosa para analisar os argumentos e ideias também, que tanto nos prometem colocar para refletir sobre o hoje. Um super beijo!

      Excluir
  7. Quero MUUUUUUUITO ver Guerra Civil! hahaha eu tô tentando até juntar uma turma para ir na Pré-Estreia de tão ansiosa que estou! Em Nome da Lei também está na minha lista, amo o Mateus Solano e eu quando gosto de um ator quero acompanhar tudo e escolher os meus favoritos. E Mentes Perigosas parece ser um ótimo filme, vou tentar ver também! haha

    Beijos,
    rodoviadezenove.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, Lo, que alegria imensa por saber que já mergulhou em aprofundamentos das bases de lições de cada obra. Espero que as reflexões tenham sido válidas desde já, para que possa ir indagando e captando possíveis vertentes a mais. Estou louca para conferir todos esses! O "Em Nome da Lei" parece ser super "utilidade pública", não é? Os dados, a realidade de forma tão densa demonstrada e as angulações pela visão de quem realmente se indigna com essas verdades trágicas, prometem nos deixar enxergando mais do nosso país, apesar de acharmos que já tanto sabemos sobre os absurdos. Guerra Civil também está naquele meu topo de ansiedade, rs. Como falei para a Nanda e Lola (acima): só pela base da estória já é possível observar que tem suas angulações para valer a pena e para que possamos captar entrelinhas bacanas. Tomara demais que eles façam essas criticidades maiores tão cabíveis para "dar tapas" de "acorda!" na nossa sociedade. E Mente Criminosa é um filme com apresentação super curiosa, também me deixou com diversas pontinhas imaginativas. Espero demais que possa captar reflexões excelentes com cada um e que os demais também consigam espacinhos na sua agenda. Um super beijo!

      Excluir
  8. Geeente, como assim capitão américa já em abril? Pensei que só ia ser lançado em Junho, estou delirando HAHAHHHA

    Beijos, Love is Colorful

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oba! Que alegria por sentir a sua animação, Bá! Em alguns países só será lançado em junho mesmo, mas aqui (pulemos, gritemos) será neste mês. Estou querendo demais conferir. Como já citei: fica o temor do filme desperdiçar o tanto de criticidade e reflexão que pode nos trazer, não é? Mas, de qualquer forma, só pela base já é possível observar que tem suas angulações para valer a pena. Tomara que aborde as tantas teses com lições maiores de análises sociais. Espero que os demais filmes possam também invadir as suas linhas reflexivas e que possa conferir vários, viu? Um super beijo!

      Excluir
  9. Estou louca para ver esse nacional "De onde te vejo", pelo trailer, parece ser tão lindo!
    O restante também tenho interesse mas, esse nacional, ah esse está com um desejinho especial ;D

    blog | facebook

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pam, que alegria gigantesca por saber que navegou nos prometidos para o mês e nas reflexões de base de cada um. O "De Onde Te Vejo" nos deixa com aquele gostinho de leveza, de suavização do que está pesando nossos ombros e, simultaneamente, com a ideia de que, para isso, nos fará reler ainda mais de nós e dos nossos entornos, futucando certas feridas das melhores maneiras. Parece nos deixar com intensas análises de relacionamentos e quesitos pessoais que mesclem com todos os outros âmbitos da vida, não é? Um estilo de filme para que possamos desabafar e repensar valores, importância da insistência no relacionamento e de diversas que foram passadas, inclusive, neste vídeo aqui. Espero que os outros filmes possam também ganhar suas reflexões prévias e conferidas a mais, viu? Um super beijo!

      Excluir
  10. To doida pra ver Mogli, fiquei triste que mudou de data porque fiquei esperando mes passado. E quero muito agora ver tambem o Sr. Holmes e Guerra Civil! Esses nacionais parecem ser super legais tambem. Mandei ate pro meu pai essa postagem, porque voce fala dos filmes como nunca vi em nenhum lugar, suas reflexoes sao sensacionais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, Tai, que alegria gigantesca por ler essas suas palavras e sentir esse carinho. Obrigada por disseminar cada reflexão emitida e mergulhar nelas, principalmente. Também fiquei louca para conferir Mogli no mês passado, mas "agora vai"! Rs. Os nacionais parecem ser incríveis, com suas linhas de lições que ganham complementos pelas angulações mais íntimas em um e mais sociais em outro, não é? E o Sr. Holmes e Guerra Civil estão em vários topos de listas, o que é maravilhoso. Estão nos deixando com diversas teses borbulhantes e nos resta esperar que Guerra Civil saiba captar com mais criticidade os quesitos realísticos em metáforas e que Sr. Holmes, de fato, aprofunde essas intensidades de questões tão humanizadas quanto aparenta abordar. Espero que cada um possa agregar em excelentes virtudes e que adore, viu? Um super beijo!

      Excluir
  11. Estou mega ansiosa pelos lançamento de abril! Eu não conhecia esses dois brasileiros e parecem ser muito bons! Espero que entrem em cartaz nos cinemas da minha cidade. O que mais quero ver é a sequência de Cloverfield. Eu amo o primeiro filme e achei o trailer desse segundo muito bom! Apesar de não gostar de suspense/terror, é um dos meus filmes favoritos da vida. Beijos!
    Blog Vintee5 | Canal Vintee5

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lu, que alegria gigantesca por saber mais do que está aguardando! Os nacionais parecem ser super bacanas mesmo, cada um com uma vertente principal super diferenciada, porém com diversas mensagens que podem ganhar mesclagens e com mutias críticas inclusas em ambos. Estou louca para conferir cada um e espero que possa os devorar também! Não conheço muito sobre a obra que citou como a que mais aguarda e não cheguei a ver o primeiro filme, por isso não discorri sobre a base de mensagens dela e deixei citada no finalzinho do post. Mas vou procurar saber mais e vou conferir a primeira parte da trama! Obrigada por trazer esse impulsionamento super bacana para que eu não demore tanto de conferir, viu? Achei o trailer bem legal também, mas imagino que faça ainda mais sentido e traga muito mais emoção após assistir o outro longa. Um super beijo!

      Excluir
  12. Nossa eu ja quero assistir, Mogli e Capitao America... Esse mes ta fortee ^^
    Mes passado fui assistir Convergente, e eu amei tb ��
    Adorei o post ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Leandro! Que alegria imensa por saber que está nesse barco de desejos também, rs. O ano está cheio de promessas incríveis e o mês, realmente, está nos trazendo a possível realização de várias delas. Ainda não conferi Convergente, por conta daquele certo temor que a obra deixou e citei na postagem de filmes do mês passado (de que perdesse as criticidades pela autora no livro por conta de quesitos "mercadológicos" que levassem embora a essência mais fundamental da obra), mas assim que sair do cinema e estiver disponível para checar, vou assistir, com certeza! Adorei saber que gostou, viu? Espero que cada um dos filmes prometidos para o mês possa já despertar diversas reflexões. E rezemos para que Guerra Civil não caia em macetes de clímax que façam perder as grandes chances de tornar a obra ainda mais diferenciada e útil, não é? Um super beijo!

      Excluir
  13. ah, ir ao cinema é um dos meus programas preferidos! bastante coisa boa nesse mes hein ;)

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma delícia mergulhar em um cantinho com variadas sensações sendo captadas simultaneamente, não é, Lí? Maravilhoso quando o filme é incrível e nos faz refletir em conjunto, debater de formas saudáveis. Cinema é tudo de bom mesmo! O mês está sensacional no quesito, já transbordando reflexões bacanas que podemos ir aprofundando às nossas maneiras até checar como foram desenlaçadas. Espero demais que cada indicação e certo aprofundamento possa ter invadido sua mente e coração, viu? Um super beijo!

      Excluir
  14. Oi Vanessa, acho que os filmes que me deixaram mais animadas foi o Sr. Holmes e o Ave, César (eu nunca perco um filme dos irmãos Coen). Beijo, beijo :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, Mila, que alegria saber de alguns dos que já cativaram suas sensações e reflexões de maneiras afloradas! O Sr. Holmes já nos deixa refletindo sobre diversos quesitos e abre portas para diversas lições a serem intensificadas e abordadas de variadas maneiras, não é? Estou louca para conferir logo também! E o "Ave, César" deixou diversas incógnitas que também quero desvendar; parece que, nos confins, é uma obra repleta de críticas nas entrelinhas e mensagens super bacanas. Meu receio é só que isso perca lugar para muitas partes caricatas e/ou jocosas demais. Tomara que façam valer! Conta depois o que achou, viu? Um super beijo!

      Excluir
  15. Assisti Mr Holmes em uma ~plataforma paralela~há um tempo, mas não consegui acabar. Tenho bloqueio com filme de velhinho. Ele é muito, muito, muito bom e não é tão triste, mas eu só não consigo (e tô arrasada por isso, a atuação do Ian McKellen estava maravilhosa).

    E eu achei a proposta de De Onde eu Te Vejo muito sensacional, mas também não sei se tenho estrutura.

    Basicamente eu devia parar de encher o saco e ficar só vendo uns desenho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ni, espero demais que você possa aproveitar o gancho e terminar de ver Sr. Holmes! E também mergulhar de cabeça e coração nesse nacional que parece ser super bacana e com intensidades válidas para diversas reflexões. Se a gente chorar, ficar com algum aperto no coração ou até com indignações em relação às obras, ao menos teremos feito mais uma leitura, teremos lido mais de nós, do nosso entorno, do que sentimos... são formas incríveis de autoconhecimento, sempre úteis. E esses dois em especial parecem ter tanto a oferecer, não é? Tomara demais que possa conferir até os fins dos fins. E tem vários desenhos com mensagens tão xodós, não é? Já chorei horrores com vários, rs. E é uma delícia sentir as nostalgias das sensações depois. Um super beijo!

      Excluir
  16. Van, cê viu que os filmes nacionais estão com uma carinha nova? Tô adorando esse amadurecimento no cinema brasileiro!
    Ansiosíssima por Capitão América: Guerra Civil *-*

    Beijo, Cá entre nós, miga!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, Sthe, como é maravilhoso ler essas suas palavras! O nosso cinema nacional está cada vez mais incrível! Estou curiosa demais para mergulhar nas obras de abril e é uma delícia ver a divergência de temáticas entre os filmes, não é? Aglomerando realidades com mensagens aprofundadas, e com diversas vertentes super diferenciadas de uma estória para outra (que podem dar acréscimos pensantes uma para a outra!). Tem filmes incríveis bem antigos do nosso Brasil, mas é uma beleza observar esses novos tão mais sóbrios. E também estou louca para conferir Guerra Civil, tomara demais que eles abordem com maior intensidade esses quesitos mais reflexivos que terão a chance. Amém, rs. Um super beijo!

      Excluir
  17. adorei as dicas, quero muito assistir Batman x Superman!
    Beijo
    ;)
    http://www.umalindapromessa.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ge! Fico super alegre por saber que mergulhou nas indicações e análises prévias. Espero que possa conferir diversas das obras. E Batman x Superman tem angulações super originais e visões reflexivas legais, como citei nos filmes do mês de março. Conta depois o que achou, viu? Vou adorar saber! Um super beijo!

      Excluir
  18. Belas sugestões, vai ser um mês em grande!
    Beijinho,
    http://bloguerosapt.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O cheirinho de grandes inspirações e reflexões está no ar, não é, Ju? Adorei demais saber que mergulhou nas análises prévias e espero que possa conferir vários deles. Aí em Portugal quais são os filmes prometidos para o mês? Compartilha depois com a gente! Vou adorar saber se algum diferente e bacana foi indicado. Um super beijo!

      Excluir
  19. Oi, Vanessa! Eu estou esperando ansiosa por Em Nome da Lei e, como adoro obras nacionais, acredito que o outro vou curtir também (eu não conhecia). E a comédia romântica com Kate Hudson também quero assistir! Beijos!

    www.chezb.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Bru! Tudo bem? Estou louca para conferir Em Nome da Lei também! Parece ser daquelas obras que saem "dando tapas nas nossas caras" constantemente, não é? É chocante, triste e super útil analisar certos absurdos do nosso país que acabam sendo encaixáveis para a humanidade em geral. Um filme para aumentar a nossa criticidade é o que nos deixa a imaginar. E o outro parece ser daqueles que viram nossos eternos xodós. Com mensagens que futucam e ajudam, ao mesmo tempo, a cicatrizar feridas e dúvidas, parece fazer até dos clichês, diferentes. O "O Amor Maior do Mundo" nem se fala, né? Estou querendo demais ver e refletir também. Já chamei a minha mãe para assistir esse comigo, rs.

      Excluir
  20. Nossa, eu nunca pensaria tanta coisa pra refletir assim só pelos trailers kkkkkkk amo essas suas analises! To doida pra ver varios, mas sr. holmes e os nacionais principalmente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, Lu, que alegria imensa por saber que mergulhou assim nas análises tão prévias, mesmo sendo tão mais encurtadas/resumidas e com detalhes de possibilidades. É uma delícia saber que já pôde aprofundar certas reflexões e as aderir através de tais visões. Obrigada por trazer ainda mais sentido para o tão nosso cantinho! Sr. Holmes está no super topo da minha lista do mês também! Parece ser daquelas obras que nos trazem uma certa paz e diversas mensagens impactantes com levezas simultâneas, não é? Espero que adore! Um super beijo!

      Excluir
  21. Só filme bom!
    Quero assistir Holmes, Mente Criminosa e o Maior Amor do Mundo!

    Beijos!
    Blog Bianca Schultz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, Bia, estou super louca para conferir cada um desses também! São tão diferenciados, mas parecem ser super reflexivos às suas maneiras, não é? Estou bastante curiosa para captar o desenrolar e as propostas mais nítidas de Mente Criminosa e estou doida para captar mais as lições de Holmes e O Maior Amor do Mundo, que captam tanto os quesitos mais íntimos que podemos aderir. Espero que adore cada um! Um super beijo!

      Excluir
  22. Que maravilha... eu adoro trailer's, estou aqui escondida com os phones a fingir que estou a trabalhar e a ver todinhos (ahahah).

    Beijinhos!
    http://www.ofabulosodestinodemariaamelia.pt/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, Maria, que alegria imensa por saber que navegou assim desde já nas obras (espero que não tenha atrapalho pontos importantes do trabalho, rs). Trailers às vezes nos dão certos spoilers (como até sinalizei em alguns dos filmes) ou possíveis distorções, não é? Mas o bacana é que podemos ir refletindo diversos fatores desde já. Espero que possa conferir diversos filmes completamente. É maravilhoso saber que pôde ver alguns dos brasileiros em conjunto, viu? O que achou das impressões passadas por eles? Vou adorar saber!

      Excluir
  23. Já quero ver vários, mas mente criminosa estou super hiper ansiosa
    http://www.charme-se.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou super curiosa para Mente Criminosa também, Si! Achei super curioso, com uma proposta que abre alas para diversas mensagens e possíveis lições. Não parece ser um filme de "clímax sem grandes valores", não é? Espero que nos surpreenda e que você possa conferir vários outros! Um super beijo!

      Excluir
  24. Me parece que abril está recheado de boas opções!!
    Xerim :)
    www.trilouca.com
    Canal no YT: http://www.youtube.com/c/blogtrilouca

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De, abril está com muitas promessas cinematográficas incríveis mesmo! Estou repleta de curiosidades! Adorei saber que pôde mergulhar nas análises prévias das obras. Espero demais que possa aderir e aprofundar reflexões desde já e conferir vários com completude, viu? Um super beijo!

      Excluir
  25. Que post legal! Vários desses filmes eu nunca tinha ouvido falar e adorei as sinopses.
    Eu estou louca pra assistir Guerra Civil! Amooo <3
    Seu blog é lindo, parabéns!

    http://www.mecontababi.com.br/

    ResponderExcluir
  26. Que analises sensacionais as suas! Acho que ja me deram uma ajuda pra quando eu assistir olhar muito alem. Adorei!

    ResponderExcluir

Obrigada por chegar até aqui para deixar a sua opinião. É fundamental para mim. O que dá sentido com ratificação para cada reflexão entre análises, dicas, informações e sentimentos aqui escritos são essas nossas trocas evolutivas de sensações e pitacos.

Não esqueça de clicar em "notifique-me" abaixo do seu comentário para receber por e-mail a resposta dada.

Posts Recentes Mais Posts

TRANSBORDOU NESTES?

Direitos Autorais

Todos os escritos aqui postados são de autoria da escritora, poetisa, compositora e blogueira Vanessa Brunt. As crônicas, frases, poesias, análises e os demais diversos escritos, totais ou em fragmentos, podem ser compartilhados em quaisquer locais e sites (quando não para fins lucrativos: criação de produtos para vendas, entre outros), contanto que haja o devido direcionamento dos direitos autorais. Ademais, as imagens utilizadas no blog para as postagens não são, em sua maioria, feitas pela autora. Portanto, para qualquer problema envolvendo os créditos das fotos, basta entrar em contato e o caso será resolvido prontamente.