O QUE ASSISTIR NOS CINEMAS EM MAIO

sexta-feira, maio 06, 2016


Enquanto diversos filmes analisados em "O que assistir nos cinemas em abril" ainda estão passando nas telonas, temos mais uma fase deleitosa para os cinemas iniciando em mesclagem, a qual está incluindo estreias super aguardadas desde antes de 2016 iniciar. Vamos começar então falando dos longas que tiveram as datas modificadas e estarão lançando neste mês? Os filmes "O Maior Amor do Mundo", "O Conto dos Contos" (ambos com análises prévias no link dos filmes de abril) e "A Vingança Está na Moda" (com análise do que poderíamos esperar dele aqui e agora com trailer legendado) mudaram os lançamentos nos cinemas brasileiros para, respectivamente: 5 de maio, 12 de maio e 19 de maio. Confira abaixo as análises das mensagens prioritárias que podem ser esperadas de cada uma das demais obras.

  • Alice Através do Espelho (Lançamento: 26 de maio / Roteiro por Linda Woolverton)

Uma obra incrivelmente metafórica (e esperemos que não de formas muito pueris), que nos apresenta a sensação de ser ainda mais poética e com lições mais aprofundadas do que pudemos conferir no primeiro filme. Baseada no livro homônimo, a trama permeará a volta de Alice ao País das Maravilhas (que nos enfatiza o quanto defeitos são imprescindíveis para algo ser considerado próximo à realidade, intimidade e afins). Lá, ela é informada de que terá que viajar através de um universo misterioso, iniciado pelo mergulho em um espelho (o que já nos deixa a metáfora de que estar "mergulhando na própria essência" e "nos avessos dessa essência", já que é mais descobrindo os limites que devemos ter, que acertamos nos nossos princípios, como muito citei na análise do último filme indicado aqui), comandado pelo Senhor Tempo, que planeja transformar o País das Maravilhas em uma terra sem vida. Reencontrando velhos amigos, como o Chapeleiro (Johnny Depp) e a Rainha Branca (Anne Hathaway), ela terá que dar provas de fatores que firmem uma amizade verdadeira, sempre então ratificando que escolhas só são válidas quando vêm com renúncias (e não somente na hora de escolher, mas nos momentos de continuar mantendo a escolha feita) e que, portanto, não merece o fundamental quem não sabe abrir mão do trivial. Ela ainda terá que descobrir um jeito de parar a Rainha de Copas (Helena Bonham Carter), que quer aproveitar a situação para voltar ao trono, e pode estar representando o que seriam os atos/acontecimentos que podem ferir as nossas prioridades (que só devem ceder lugar em urgências de uma para outra e não para detalhes menores) e devemos lutar contra, diariamente. Em meio a diversas conturbações, podemos esperar mensagens densas, e bastante vívidas nas entrelinhas, sobre autoconhecimento, lealdade, riqueza imensa gerada pelos relacionamentos que fazemos valer e a conexão de cada uma das lições para além de umas com as outras, mas, principalmente, para com o respeito. Respeito a si, ao que jura, ao que afirma como amizade, ao que não deverá deixar passar, ainda que nos "tempos mais corridos", porque amizade e consideração são diferentes, como ratifico: "Amizade é diferente de consideração. Elas se complementam, se ajudam, mas diferem. A consideração responde: "O que houve?". A amizade inicia um diálogo com "Tudo bem?". A consideração quer bem, e marca presença nas urgências. A consideração lembra na hora de colocar o nome na lista de aniversário. A amizade faz bem, e marca presença no cotidiano. A amizade ajuda a fazer a lista do aniversário. Deveriam comparar mais amizade com namoro do que com acatamento. Porque repare: fidelidade e bem-querer, supririam um namoro caso não falasse com seu namorado sempre que possível? Caso largasse ele por semanas sem notícias? Caso passassem meses sem se comunicar? A consideração só supre um namoro de perto, só supre por ser um namoro. A amizade é menos afoita, menos necessitada de milésimos, mas faz o mesmo jus. Só consideração, não faz a presença, não faz o contato sem grandes lacunas. Sem presença, perdemos a amizade, perdemos o conhecer do outro, e só fica o considerar. A consideração diz: "Não esqueço de você". A amizade diz: "Como foi ontem no jantar?" (Trecho do meu próximo livro, Depois Daquilo)". E entre muitos valores que poderemos conferir com maiores profundidades checando cada metáfora da estória (entre diálogos e pontos imagéticos), fica a jura de que o enfoque não seja o tempo, como muito aparenta, mas as nossas abdicações corretas diante dele: o que você sabe que vale a pena abrir mão, pelo que você sabe que vale a pena respeitar, porque, também, como muito ratifico: Todas as palavras tomadas literalmente são falsas. A verdade mora no silêncio que existe em volta das palavras. Prestar atenção ao que não foi dito, ao tom, ler as entrelinhas. O mais fundo mora na areia. Cuidado com a sedução da clareza! Cuidado com o engano do óbvio! Um "oi" pode ser só um "oi", mas desde quando um "oi" só quer ser um "oi"? Só quando por traz dele existe um "tchau". Não existe uma falta de respeito feita "sem maldade". É que sinônimo de liberdade é respeito. Só é livre quem sabe ao que se prende. Quem quer ter tudo de uma vez, não escolhe. Quem não escolhe, não abdica. Quem não abdica é preso pelos rastros que deixa por nada ganhar, nada conseguir segurar, sem ser livre para ter. Escolhas devem ser complementos umas para as outras, ou, ao menos, não devem ferir prioridades. E quem não vive retendo por não ter prioridades, nunca atingirá o autoconhecimento e bom caráter, que é a chave mestra para a porta da gaiola. Todos têm noção do que é certo e errado, basta pensar no que não gostaria que fosse consigo. Não existe meio termo em casos de escolhas para respeitar, para mostrar que quer bem. Ou faz ou desfez. Ou é amigo ou é falso. Ou é simples, por ser bom. Ou é complexo, por ser negativo. O negativo não tem desculpas, não tem intenções mal interpretadas. A falta de respeito é difícil de entender, porque é simples de captar como não a cometer. O bom pode até ser feito sem ter muita noção do que fez. Mas a falta de respeito é exatamente o que sabe que não deveria ser feito. É por isso que um erro costuma ser uma morte, uma quebra, um vidro espatifado. E um acerto, só mais um acerto. O reconhecimento mesmo, vem no meio, quando o erro quer nos beijar, deixa na cara que ali poderia ser cometido, e sem delongas, pelo simples, pelo bom, pelo que não precisa ser pedido para saber que é o certo, ele é esquivado. Assim é que damos provas e fazemos reconstruções. Onde já se viu aplausos para um prédio construído impecavelmente, a não ser pela falta de base?

  • Uma Noite em Sampa (Lançamento: 26 de maio / Roteiro por Ugo Giorgetti)

Um dos filmes brasileiros que mais me deixou curiosa nos últimos tempos. Ainda mais metafórico do que o próprio apresentado acima (e, claramente, mais maduro), o longa nos traz críticas sociais fortíssimas, com reflexões que captam o âmago da humanidade, utilizando de fatores curiosos e que, muito provavelmente, merecerão uma análise aprofundada após serem vistos com completude. Ugo Giorgetti, cineasta e cronista da cidade de São Paulo, traz mais uma das suas obras aos cinemas este ano: Uma Noite em Sampa. Desta vez, ele narra a história de um grupo de adultos de classe média-alta que vai assistir a uma peça no teatro Ruth Escobar, com um ônibus fretado. Quando termina o espetáculo, no entanto, o motorista não está presente, e o ônibus está fechado. Como eles vão voltar para as suas casas, já que não moram na cidade? Mudaram-se de São Paulo em busca de melhor qualidade de vida e maior segurança (e mais uma crítica vindo aí: é assim que mais "tentamos resolver nossos problemas", em fugas, e não em lutas para melhorias mais internas possíveis! Tal reflexão fica cabível não só perante quesitos sociais, mas para âmbitos pessoais de mesma maneira). Com medo dos moradores de rua e da escuridão do centro da cidade, logo ficam paranoicos. Como é fácil perceber pelo trailer, a luta de classes será retratada com o máximo de ironia pelo diretor. E você não viu errado: Otávio Augusto, Cris Couto, Suzana Alves e outros nomes do elenco estão realmente contracenando com manequins (um dos pontos "curiosos e metafóricos" dentre os diversos), num recurso que também deve contribuir ao potencial crítico da narrativa. O grupo de pessoas, com suas diferenças singulares, passa a observar mais os outros componentes do próprio grupo e as pessoas (moradores de rua, principalmente) e escuridão (também nos sentidos mais poéticos - de analogias - possíveis) ao seu redor, dando mais valor a pequenos detalhes antes embutidos por temores que transformavam em "esconde-esconde", ao invés de em buscas por entendimentos mais aprofundados e caças por reflexões que levassem possíveis soluções a serem alegadas. A principal violência que sofremos é a acomodação causada pelo medo: e para além dessa mensagem de base, teremos todas as outras diante de cada diálogo minucioso que reflete a falta de percepção e compreensão social e pessoal que estamos acrescendo perante a ideia distorcida de que a realidade é algo "duro demais para mudar". 

  • Jogo do Dinheiro (Lançamento: 26 de maio / Roteiro por Jim Kouf, Jamie Linden e Alan Di)

Lee Gates (George Clooney) dá dicas de investimentos e presta consultoria financeira para os espectadores em um programa de televisão. Durante uma transmissão é feito refém ao vivo. Kyle (Jack O'Connell), o invasor, perdeu tudo que tinha após seguir um conselho de Gates e agora quer explicações. Enquanto a tensão aumenta, a audiência alcança níveis estratosféricos. Apesar de nos deixar com certas noções clarificados dos prosseguimentos mais possíveis, a obra instiga e aparenta agregar lições singulares que vão se unindo em forças e sentidos com tantas outras ao decorrer. Críticas sobre o universo do entretenimento, sobre as grandes mídias, sobre éticas distorcidas em meio ao capitalismo e teses que vão se entrelaçando, inclusive, com críticas políticas, podemos aguardar com fulgor (é possível imaginar como vertentes das mensagens, muito do que ganhamos com a série Black Mirror, porém de uma maneira menos metafórica. Se assim for, apesar de venerar BM e a forma de construção que não será, possivelmente, atingida nas telonas, já ficamos com um grande presente). Devemos culpar alguém por um conselho que seguimos à nossa maneira? Até onde é justo considerar os impactos de terceiros, quando tais impactos dependeram das nossas observações? São também perguntas, das mais básicas, que ficam nítidas a serem destrinchadas de maneiras mais intensas na trama. O outro lado da moeda, de quem esquece do quão responsável é, sendo uma figura pública ou não, por cada curva que dá na vida e vai atingindo a vida alheia, também fica explícito como um a ser explorado em grandes lembretes fundamentais para o nosso cotidiano mais consciente. Mais um fator a ser abordado é a temática da vingança e o quão pouco nos faz ganhar. Uma frase que gosto muitíssimo do Augusto Cury e que representa o que creio que será bem tratado no filme é: "Os fracos se vingam. Os fortes se protegem.". E assim, afastando males, os fazemos aprender melhor conosco e ganhamos mais por lembrarmos que superação jamais é dar o troco, mas pegar o dinheiro de volta. E se o outro não pode nos devolver, nada melhor do que seguir em frente como a melhor "vingança".

  • Pais e Filhas (Lançamento: 19 de maio / Roteiro original por Brad Desch)

A obra aborda como base o relacionamento entre pai e filha na cidade de Nova York. A narrativa alterna-se entre o passado, nos anos 80, quando o viúvo Jake Davis, um escritor premiado, vencedor do Pulitzer, luta contra uma doença mental enquanto tenta criar sua filha pequena, Katie (o que esperemos que nos lembre os impactos de um filme como Uma Lição de Amor), e o momento presente de Katie em Manhattan, na faixa dos 30 anos, enquanto ela ainda enfrenta grandes cicatrizes abertas dos traumas que resultaram da sua conturbada infância. O filme vai ratificando que caráter e bloqueios são coisas distintas que podem não parecer tão distantes quando alguém carrega grandes feridas e, por não levar a tese de que amadurecer é não desistir de sentir, acaba magoando quem fica entorno como "instinto de proteção" (é claro que aqui entram limitações, porque certos fatores, como mentiras que magoam, entram nos quesitos de mau-caratismo). O amor pode sim mudar alguém, e para quem não acredita que é possível mudar a essência, a fé fica para que mude o que distorceu a essência daquele ser, ajudando-o a encontrar o próprio autoconhecimento perdido e a capacidade de amar com mais respeito e firmeza. O drama, portanto, é de um super bacana teor psicológico. A direção de "Pais e Filhas" é assinada por Gabriele Muccino, o mesmo de "À Procura da Felicidade", "Sete Vidas" e "Um Bom Partido". A narrativa dramática do novo longa desmembra a forte relação entre pai e filha, ambos enfrentando seus próprios empecilhos e ratificando o quão um relacionamento de bem-querer mútuo não deve ser gerado como algo totalmente fora dos demais âmbitos próprios diversos, incluindo os profissionais da vida, por ser o que pode salvar diversas angulações (e, caso não, estará provando não ser o ideal). Saudável é o que nos ajuda a achar nossos caminhos, a segurar as pontas nas quedas e a observar que precisamos ter objetivos firmes de vida, assim como precisamos do amor em mesma escala. O que nos segura quando um relacionamento desmorona, são os nossos focos pessoais. E o que nos segura quando nossos eixos próprios tremem, são os nossos laços humanos. Nenhum desses lados deve ser desprezado ou procrastinado. Claro que, por vezes, a prioridade será um deles (até porque, um deve somar no outro), mas o equilíbrio e a persistência salvam ambos, quando existe amizade. A amizade é o maior ingrediente para qualquer relacionamento, isso é óbvio. Se você não é amigo, não é íntimo do que faz (intimidade, para mim, é o melhor sinônimo de amizade), se não consegue sequer prever a sensação de "estar em casa", então isso não vai para frente. A amizade é a chave para tudo o que deseja cativar e a conexão dessas ideologias (como já citadas, em um caso diferente, em relação ao filme "Um Dia", na lista dos meus filmes de estimação) nos deixa a jura de permear a trama como ilustração para quaisquer tipos de relacionamentos, principalmente ao captar o futuro amoroso da personagem protagonista. Gabriele Muccino (diretor) diz que "era um dos melhores roteiros que eu já tinha lido. Altamente emocional, altamente empático, há tanta vida nele e eu simplesmente me conectei [...] Ele fala sobre vida, morte, perda, sobre amor e medo de perder a pessoa amada". Sherryl Clarke, uma das produtoras, comenta que o roteiro era "perfeito para Gabriele porque ele adora dramas. Ele ama o amor, a paixão, corações partidos, e todas essas coisas boas do filme o tocam em nível pessoal". O elenco também se conectou fortemente com o roteiro. Russell Crowe afirma: "eu simplesmente desmoronei lendo o texto. É tão emocional. Ele nos atinge num nível muito profundo. Eu não faço um filme a menos que seja fisicamente afetado pelo roteiro, e aqui foi inegável. No momento que terminei de ler o texto já estava conectado ao projeto". Aaron Paul, que faz o papel de Cameron, diz que achou o roteiro "tão honesto, puro e genuíno. Soube que Amanda interpretaria Katie e Russell seria seu pai, então eu realmente tinha que aproveitar essa chance". O meu temor em relação ao filme é que ele não capte muito além do que já podemos aprofundar pelo próprio trailer e detalhes já emitidos em sinopses e afins, tendo poucas cenas impactantes que cheguem em pontos ainda mais densos. Esperemos que as entrelinhas a mais possam fazer valer.

  • X-men: Apocalipse (Lançamento: 19 de maio / Roteiro por Simon Kinberg)

Na trama, o ancestral dos mutantes, En Sabah Nur, retorna com planos de mergulhar o mundo em um apocalipse para garantir a supremacia dos seus semelhantes. O filme é a sequência de "X-Men: Dias de um Futuro Esquecido". Em cada novo longa da série de filmes da franquia, podemos sempre esperar mensagens sobre lealdade, autoconhecimento, consequências do medo "do novo" (ao invés da tentativa de o desvendar de formas que abracem mais do que expulsem, para após tomar decisões), e até bons pingos de reflexões sociais que quebram ideologias de preconceitos causados, principalmente, pelos "padrões" errôneos até hoje muito impostos. Para além desses quesitos, não é possível muito imaginar sobre a nova obra em relação às reflexões a serem transmitidas, porém, apesar da enlouquecida linha do tempo utilizada nos últimos filmes, uma coisa é certeira: sempre há algo de bacana e bem atual para extrair como valor meditativo diante, principalmente, de críticas sociais, ainda que seja algo apresentado da maneira mais superficial.

  • Prova de Coragem (Lançamento: 5 de maio / Roteiro por Roberto Gervitz)

"Há algo de heroico em vencer a si mesmo". Na obra, que é adaptação do livro "Mãos de Cavalo" (que nos deixa mensagens super bacanas, como as que podemos esperar do filme), Hermano (Armando Babaioff) é um médico bem-sucedido que está planejando uma escalada de alto risco em uma montanha na Terra do Fogo. Neste período, sua mulher Adri (Mariana Ximenes), com quem vive há sete anos, descobre que está grávida. Mesmo na iminência de se tornar pai, ele dá prosseguimento a seus planos. Esta é a prova de coragem que Hermano acredita dever a si mesmo após ter testemunhado seu melhor amigo ser agredido até a morte e não ter feito nada para ajudá-lo. Porém, em meio a uma prova para descansar detalhes do passado que assombram o presente, o protagonista passa a negligenciar detalhes da sua atualidade que podem, ao serem abdicados, assombrar o futuro. Hermano passa a não achar que a gravidez da esposa veio em um "momento certo", mas a maior prova de amor a ser dada em meio às surpresas mais dificultosas, é apenas: estar. Então, o que devemos fazer perante duas prioridades senão as balancear? Como devemos lidar com as dificuldades senão as vendo como portas para novas oportunidades? Como devemos acalmar o passado doloroso, senão guiando no hoje o que não cause mais tamanhas dores? Como devemos provar a nós que poderíamos ser melhores, senão, sendo nas novas causas e não ficando em maior grau nas que já passaram? São esses questionamentos retóricos dentre as opções, ainda neblinadas e invertidas, de fugas, redenções e castigos que Hermano vai ter que lidar, As reflexões vão surgindo diante de baques crescentes nascidos como consequências das suas prisões mentais e da maneira pouco cautelosa de lidar com o que seriam os seus próprios tópicos de "topos da lista". A cada decisão tomada, devemos lidar com as opções perdidas ali instantemente, assim como com as decisões que não dependerão de nós. É preciso mergulhar afundo no que vai estar acima de todas essas perdas. Apesar das premissas repletas de ideologias firmes, que permeiam lições válidas adentradas nas péssimas escolhas feitas pelo protagonista, o filme vem sendo bastante criticado negativamente por conta de certas superficialidades nas atuações e roteiro, fazendo que seja mais dificultoso o envolvimento emocional do telespectador. Ainda assim, focando nas possíveis mensagens (que devo conferir vendo para mais alastrar), para quem deseja refletir e aprofundar teses a mais à sua maneira, pode ser uma excelente pedida. Principalmente para os apaixonados por estudos da área de psicologia.  O único temor, de fato, que o filme deixa para mim, é de não explorar com a força necessária as mensagens que deixa em reflexões desde então, fazendo de uma forma muito "aberta", que não leve a afirmações dos melhores caminhos (sendo diferente do que o livro nos deixa a ideia de fazer). Acaba sendo mais certeiro, no caso, portanto, adquirir a obra literária. Mas não devemos anular a chance, obviamente, de navegar pelas possíveis novas entrelinhas dadas na reformulação em tela.

  • Roteiro de Casamento (Lançamento: 26 de maio / Roteiro por Pablo Solarz e Juan Taratuto

Uma atriz iniciante e pouco conhecida, passa a namorar o diretor do filme no qual está trabalhando e o relacionamento acaba desencadeando em casório. No entanto, ela passa a observar que se apaixonou por uma figura oposta ao que seu marido mostrou ser de fato durante a fase da real convivência em que passaram a ter. Ela estava apaixonada pelo personagem que ele havia interpretado durante a produção do filme (ou pelo personagem que ela criou mentalmente? Ou pelo personagem que ele a incentivou a alimentar em criações? A parcela de culpa nunca é somente de um lado em casos assim). "Roteiro de Casamento" acaba sendo uma proposta para apresentar com leveza e em somas de algumas maneiras bem simbólicas, o problema que é confundir paixão e amor, já que só o segundo pode assegurar algo que perdure e, inclusive, que faça captar de fato se a paixão era "real o suficiente", porque o encanto decairá, e só de tal maneira poderá ter chance de ser reascendido (falo um pouco sobre isso nesta crônica aqui). Só ao mergulhar nos defeitos, nas quebras das ideologias mais fantasiosas, é que temos mais firmeza dos sentimentos e dos planos palpáveis. Pode parecer ser algo clichê, mas parecemos anular da mente ao conhecer alguém novo e que traz boas expectativas. Só conhecendo o caráter e as formas de entendimento do que é respeito, amor, paixão e demais valores e sensações lidados por aquela pessoa, é que saberemos sobre as possibilidades de encaminhar a história. É preciso mergulhar, principalmente, nos valores de vida do outro ser, nos encontros do que ele considera limite para cada uma das suas prioridades. No resto pode-se dar jeito, nisso, muito raramente. Apresentando então quesitos como as complicações da pressa de forçar uma intimidade e não de criar uma (não sabendo dar espaço para a tal se instalar), a trama nos deixa as juras de um aprofundamento sutil em mensagens assim, prometendo lições que, podem até decair em certos clichês, mas martelarão para aqueles que estão vivendo fatores semelhantes.

  • A Garota do Livro (Lançamento: 26 de maio / Roteiro por Marya Cohn)

O maior sonho de Alice Harvey é ser escritora, mas por enquanto ela é apenas uma assistente de editora de livros. Filha de um agente literário de Nova York, ela recebe a grande chance de avançar na carreira, mas para isso terá que enfrentar os piores fantasmas do seu passado. Alice também sofre com um terrível bloqueio criativo, que a tem impedido de escrever. Desde a invisibilidade perante a família e a figura de um pai egocentrista até a baixa autoestima causada por traumas que a perseguem durante 15 anos, o filme nos submerge a temáticas que apresentam a fragilidade e submissão da personagem mediante as pessoas ao seu redor (e como lidar com isso visando uma superação). Como a maioria dos indivíduos que a cercam não lhe dão a devida importância, reforçando o seu estado negativo, a sua piora ocorre quando vê oportunidades novas que poderiam virar algo maior e ela tem, portanto, que encarar seus traumas passados enquanto luta para guiar os atuais perante o sentimento de solidão. A trama nos deixa a promessa de reflexões motivacionais que utilizam dos delicados temas mais psicológicos como meios também simbólicos para estilos de auto-ajuda que captem lições sobre as consequências de não saber lidar com o que sabe fazer parte da sua lista prioritária e afins, de não focar na capacidade própria e em relacionamentos que impulsionem os talentos pessoais tidos, de formas abusivas de lidar consigo ao não selecionar bem os arredores e/ou não lembrar de utilizar os negativos antigos como boas evoluções. Um filme sobre amor próprio, mas acima disso, sobre o quanto só amar a si (como uma única prioridade) é desamor, inclusive, por si. A trama ainda aparenta caber em diversas vertentes de lições para vida profissional (que se adentram na pessoal), e o aguardo majoritário que nos deixa, é diante de uma ideologia que apresente soluções possíveis e não só as problemáticas já visíveis.

Outros filmes que temos prometidos para o mês de maio são:

Vizinhos 2 (19 de maio)
Um Brinde à Vida (12 de maio)
Memórias Secretas (12 de maio)
O Décimo Homem (5 de maio)
Mulheres no Poder (12 de maio)
Os Inimigos da Dor (5 de maio)
Ponto Zero (26 de maio)
Heróis da Galáxia (5 de maio)
Angry Birds (12 de maio)
Amores Urbanos (19 de maio)

Ratificando: Além dos últimos citados, teremos também os lançamentos dos três filmes ("O Maior Amor do Mundo", "O Conto dos Contos" e "A Vingança Está na Moda") que mudaram as suas datas de chegadas nos cinemas brasileiros e já foram destrinchados aqui, em diferentes postagens, indicadas na introdução com as respectivas novas datas de cada um.

Qual das obras mais chamou a sua atenção? Estava aguardando alguma há muito tempo? O que espera a mais das possíveis das reflexões/mensagens a serem emitidas por cada uma? Não deixe de compartilhar as suas visões aqui nos comentários! 

LEIA TAMBÉM:

39 COMENTÁRIOS

  1. Esse roteiro de casamento deve ser muito legal!

    Bjs
    www.garotadebotas.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma delícia para possamos conferir de uma forma simbólica, que representa o que pode ocorrer diante de qualquer encanto (e tem a tendência de), não é? Estou super interessada em conferir também, Je! Espero que as mensagens sejam tão bacanas e tão desenvolvidas nas entrelinhas quanto aparentam. Se assistir, conta aqui depois mais das suas percepções, viu? Vou adorar saber! Um super beijo!

      Excluir
  2. Olá!!
    Eu gostei de quase todos os filmes. Tenho certeza que no mês de maio vou várias vezes ao cinema.
    A garota do livro será o primeiro que vou assistir <3
    Ótimo post.
    Beijos lindona..

    www.meumundosecreto.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oba! Como fico alegre por ler isso, xará! É uma delícia saber que mergulhou nas análises prévias. O mês, mesclando com os lançamentos do mês passado, está realmente nos fazendo bater palmas para o cinema (incluindo o brasileiro!). Estou super curiosa para conferir A Garota do Livro também! Já recebi notícias de que o final pode ser considerado meio clichê, mas o que mais vale é "a jornada", não é? E o encaminhar/desenrolar da obra parece ser super interessante com mensagens válidas, então é o que mais conta. Espero depois saber o que achou, viu? Um super beijo!

      Excluir
  3. Amo essas suas reflexoes, em cada postagem acabo pegando uma nova frase sua pra minhas notas do celular, minha memoria ainda vai explodir só com isso kkkkkkkkkkk esse trecho de amizade e consideração que voce colocou na analise de Alice nao poderia ter mais a ver com o que to passando. E fiquei louca pra ver varios dos filmes!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, Mari, como é delicioso ler isso e saber que aprofunda assim, mesclando tanto do seu coração e mente, cada pedaço do que emito a partir de dentro. Obrigada imensamente por trazer ainda mais sentido para este nosso cantinho, por compartilhar as suas sensações e agregar mais alegria ao meu dia. Espero demais que cada trecho ou pensamento que for, possa abrir alas para que tenha seus processos de autoconhecimento mais aguçados e escolhas que façam mais bem do que mal em quaisquer instâncias, viu? E espero que leituras como são assistir a filmes, possam também fazer suas incríveis contribuições, como parece ser possível (de forma bem proveitosa) em vários desses acima. Um super beijo!

      Excluir
  4. Confesso que eu estou interessada em todos os filmes, prevejo que irei falir nesse mes, porque cinema ta caro e ver um monte de filmes assim quebra o orçamento kkkkk
    Mas o que eu estou mais interessada em assistir é o da Alice, estou esperando a bastante tempo ♥

    Beijos
    www.conversandocomalua.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que delícia ler isso, Day! Estou quebrando um bolso que está quase vazio com o cinema também! Mas ganhamos assim riquezas que duram para uma vida e que podemos passar para tantas outras, não é? É uma forma incrível de leitura e releitura que pode nos emitir mensagens "salvadoras da prátia" em grandes escalas, então, podemos nos perdoar, rs. Estou louca para ver Alice também! Parece que dessa vez a obra será menos pueril, mais repleta de lições menos clichês nas entrelinhas e com metáforas ainda mais elaboradas, não é? Esperemos que sim (amém! Rs). Um super beijo!

      Excluir
  5. Eu estou ansiosa pelo Alice, e torcendo para que seja melhor que o primeiro =/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, Cla! Também fiquei um pouco decepcionada com o primeiro! Esperava mais valores que foram pouco aproveitados, mais lições que acabaram sendo apresentadas de maneiras caídas em clichês que poderiam ser tidos de outras formas bem mais proveitosas e reflexivas, não é? Mas os trailers da sequência de agora causaram a empolgação de uma melhoria, de uma obra mais voltada a metáforas elaboradas, de entrelinhas mais valorizadas e afins, então vamos dar a chance abrindo alas para captar em cada minúcia implícita o que pode vir. Oba! Espero que possamos adorar. Um super beijo!

      Excluir
  6. oi, oi.

    to muito ansioso por "Alice Através do Espelho". vai ser demais e eu já prevejo eu brigando por espaço no cinema. hahaha. sim, sou aquele barraqueiro que chega querendo tomar de conta da fila da comida e de espera pra iniciar a sessão.

    não conhecia nenhum dos outros filmes, mas to in love pela sinopse de "a garota do livro". se ele entrar em cartaz aqui (acho difícil), vou amar vê-lo.

    parabéns pelo post super completo! <3

    bjs!
    Não me venha com desculpas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adri! Como é maravilhoso sempre mergulhar nas suas sensações emitidas com esse seu carisma por aqui! Seu carinho é lindo de receber e retribuir com gosto! E estou louca para ver Alice também, dessa vez a obra parece estar lidando com mais lições aprofundadas, com entrelinhas mais bem elaboradas e metáforas interessantes, não é? Nos deixa a jura de valer a pena lutar pelos lugares, ainda que seja para assistir na escada, rs. Tomara que assim seja! E A Garota do Livro também aguçou extremamente as minhas curiosidades. Aparenta ser uma trama bem aprofundada em pontos psicológicos com soluções motivacionais super bacanas, não é? Amém! Rs. Um super beijo!

      Excluir
  7. Oi, tudo bem?
    Amei, não conhecia nenhum, fiquei in love e muito curiosa para assistir. Adorei!!
    Beijos,
    www.blogdavivinh.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oba! Que delícia ler isso, Vi! Espero demais que possa mergulhar nas lições possíveis em cada um, principalmente nas mais implícitas e que tragam reflexões super válidas que agucem seus caminhos de autoconhecimento, viu? É uma alegria saber que navegou pelas análises prévias e indicações. Um super beijo!

      Excluir
  8. Menina to louca para assitir Alice <3 to esperando a muito tempo essa estreia <3
    tambem estou louca para ver X-men <3

    http://www.seteprimaveras.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, Gabs, também estou! A primeira adaptação me decepcionou um pouco. Senti que captou em clichês desnecessários e perdeu diversas chances de aprofundar lições, diálogos e metáforas incríveis de maior valor. Mas dessa vez, pelo que já foi possível ver e captar, estou torcendo imensamente para que faça jus ao tantão de mensagens maravilhosas que tem portas abertas para nos emitir. Adorei saber que está no aguardo assim também! E X-Men é daquele tipo de filme que não espero muita coisa, mas sempre tem uma reflexão proveitosa aqui e ali e não sinto que perdi tempo assistindo, então também quero logo conferir! Oba! Espero que possa ser surpreendida pelos demais também, viu? Um super beijo!

      Excluir
  9. Oi Lindona !
    Só filmes top, adorei saber.
    Tem postagem nova no meu blog, vem conferir !
    Meu Blog: ➥ Plantão da Beleza
    Meu Instagram➥@simarapink
    Meu Canal no Youtube: ➥ Vídeos do Canal
    .¸.•*¨*•►BeijosssssssssSimara Pink ♥♥♥

    ResponderExcluir
  10. quero mt ver alice! adorei conhecer esses outros filmes, me interessei mt por pais e filhas tbm!

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  11. Já anotei o nome de todos para assistir depois! ♥
    Beijos, Aline
    http://versoaleatorio.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Nossa, esse mes tera muitos filmes bons hein!!
    Pelo menos uma vez na semana terei que ir ao cinema hehehe
    beijinhos, Rê
    https://blogsonhosdeverao.com.br

    ResponderExcluir
  13. Alice através do espelho e X-men eu to esperando anciosamente haha <3

    www.outrodetalhe.com

    ResponderExcluir
  14. Que maravilha! Cada vez que leio um post teu, faço uma viagem tão boa!
    Tudo tão explicado, tão fluido, tão bom de se ler...
    OBRIGADA! <3
    Fiquei tão curiosa de ver alguns desses filmes!
    Beijinhos!
    http://www.ofabulosodestinodemariaamelia.pt/

    ResponderExcluir
  15. Quero muito muito ver Alice Através do Espelho, deve ser mágico ♥

    http://heyimwiththeband.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Jogo do dinheiro me deixou bem curiosa!
    www.byanak.com.br

    ResponderExcluir
  17. Eu acho que sou a única menina que não quer ver o filme da Alice, eu não consigo gostar! Meu amigo me chamou de louca mas, sério, acho tão sla. Mas enfim, estou super ansiosa para vizinhos e X-men. O filme mãos de cavalo eu também quero ver, achei a história interessante e sou apaixonada por psicologia!

    www.antesdaprimavera.com.br

    ResponderExcluir
  18. Com certeza Alice através do Espelho e X-Men Apocalipse irei assistir, também achei interessante Roteiro de Casamento e Garota do Livro que não tinha ouvido falar ainda, mas que irei aguardar e assistir pela internet.

    Beijoos

    www.grazielanogueira.com

    ResponderExcluir
  19. Amei as dicas, não tem um que eu não queira ver. Meu namorado é amante de filmes como eu ele vai adorar
    http://www.charme-se.com/

    ResponderExcluir
  20. Doidas para assistir Alice através do espelho!
    *------*
    Amamos o post!
    Beijinhos princesa!
    www.princesasdorei.com.br

    ResponderExcluir
  21. Estou louca para assistir Alice e X-Men :)
    Beijos
    BlogCarolNM
    FanPage

    ResponderExcluir
  22. Estou querendo assistir alguns desses, uma pena que moro no interior e aqui não tem cinema o/
    Beijos, arrasou nas dicas.
    Filha do Rei | Larisse Design: Seu blog de carinha nova é aqui!

    ResponderExcluir
  23. Adoro cinema! Curti muito os lançamentos.

    Beijos
    Ruiva Cohen Store Blog

    ResponderExcluir
  24. Vanessa, eu tô louca por algumas estreias de maio e agora de algumas que acabei de conhecer por esse post hahah A dúvida é: como vou ter dinheiro para tanto filme?! Sério, tô indo ao cinema só quando eu quero muito ver logo. Desse post quero ver Alice através do espelho ♥♥♥, A garota do livro, X-man e Uma noite em Sampa. Também quero muito ir ver Guerra Civíl porque não deu para eu ir ainda ): Mas enfim, os lançamentos de maio estão muito bons!!!
    Beijão,
    Blog Ó, tô em dúvida...

    ResponderExcluir
  25. A Garota do Livro me pareceu ser bem intenso ~ e interessante. Gostei da premissa, quero assistir!

    ResponderExcluir
  26. Sem dúvida vou ir ver x-men *---*. Sou VICIADA neles, queria tanto que a Marvel tivesse os direitos de uso deles.
    Não sabia que Alice já era esse mês!

    Beijos, Love is Colorful

    ResponderExcluir
  27. Adoro esses posts sobre filmes! Tô ansiosa por Alice e O conto dos contos. =)

    Chiquereza

    ResponderExcluir
  28. Olá Vanessa,

    Estou super ansiosa para assistir Alice e X-Men!! Os outros não conhecia mas, fiquei interessada em ver Pais e Filhas. :)

    Um beijo,

    www.purestyle.com.br

    ResponderExcluir
  29. x-men e Alice estão na minha lista. Super ansiosa para ver.
    Beijos!
    www.jeniffergeraldine.com

    ResponderExcluir

Obrigada por chegar até aqui para deixar a sua opinião. É fundamental para mim. O que dá sentido com ratificação para cada reflexão entre análises, dicas, informações e sentimentos aqui escritos são essas nossas trocas evolutivas de sensações e pitacos.

Não esqueça de clicar em "notifique-me" abaixo do seu comentário para receber por e-mail a resposta dada.

Posts Recentes Mais Posts

TRANSBORDOU NESTES?

Direitos Autorais

Todos os escritos aqui postados são de autoria da escritora, poetisa, compositora e blogueira Vanessa Brunt. As crônicas, frases, poesias, análises e os demais diversos escritos, totais ou em fragmentos, podem ser compartilhados em quaisquer locais e sites (quando não para fins lucrativos: criação de produtos para vendas, entre outros), contanto que haja o devido direcionamento dos direitos autorais. Ademais, as imagens utilizadas no blog para as postagens não são, em sua maioria, feitas pela autora. Portanto, para qualquer problema envolvendo os créditos das fotos, basta entrar em contato e o caso será resolvido prontamente.