ENTENDA AS METÁFORAS DAS LETRAS DE DAYLIGHT (DE TAYLOR SWIFT) E DE COLORS (DE HALSEY)

domingo, outubro 13, 2019


Duas composições intensas, poéticas e repletas de mensagens sobre o que seria um relacionamento saudável. Assim são Colors (da artista Halsey) e Daylight (a minha letra favorita do álbum Lover, o mais recente de Swift). As duas músicas, apesar de trazerem mensagens basilares bastante opostas, se encontram em algumas lições e, principalmente, nas metáforas diversas feitas utilizando as cores como simbologias.

Analisei Daylight em vídeo e Colors por escrito, mostrando onde elas se encontram, onde se distanciam, mas independente das linhas emaranhadas: as reflexões de ambas trazem alertas sobre o que é o amor a dois, o amor-próprio e a importância de lembrar que eles não precisam estar sem as mãos dadas.

Colors serve para aqueles que entraram em um relacionamento conturbado e perceberam que a despedida era a única saída segura. Daylight serve para quem quer entender melhor o que é um amor real ou simplesmente comemorar por ter encontrado, finalmente, um solo seguro para fazer casa, cama e deitar.

Já tivemos, inclusive, várias análises das letras e dos clipes de Swift por aqui. Letra de The Archer, clipe de Lover, letra de Cruel Summer, clipe de Me e muitas outras da nova era podem ser conferidas, assim como de eras passadas, como é o caso de Out Of The Woods (uma das mais lidas de todo o blog), Style e Wildest Dreams. Estas são somente algumas das que podem ser encontradas: vá na categoria Música ou digite Taylor Swift na busca para mais.

Aproveite para acompanhar também pelo canal de YouTube.


Vem mergulhar nas novas entrelinhas:

ANÁLISE 1: METÁFORAS MINUCIOSAS DA LETRA DE DAYLIGHT | LUZ DO DIA

ANÁLISE EM VÍDEO (ACIMA). 

CORREÇÃO IMPORTANTE: Em 11:46 tivemos um pequeno equívoco na tradução da letra e, portanto, a análise fica um pouco diferente, ainda que o sentido dela não mude de forma tamanha. A composição acaba ficando ainda mais sagaz, poética e forte. Acontece que na tradução, ao invés de 'sala', seria: 'pequenos cômodos' ou, principalmente: 'quartos de solteiro da cidade'. O trecho correto, então, é assim: "Talvez eu tenha saído enfurecida de cada quarto de solteiro desta cidade (OU invadido cada...).". Sair enfurecida, inclusive, seria a tradução mais correta.

O quarto de solteiro é aquele espaço geralmente mais apertado e no qual não se cabe (não com naturalidade) mais uma outra pessoa. Ou seja, é a representação dos relacionamentos anteriores dela: nos quais ela não sentia que havia realmente espaço para que ela ficasse totalmente entregue e confortável, para que ela pudesse sentir que estava realmente conhecendo aquela pessoa profundamente.

Ela tinha essa sensação de não estar cabendo ali. Eram 'lugares nos quais ela não poderia dormir', ou seja: não poderia ficar tranquila ao ponto de ter uma real segurança, já que não davam cama suficiente para ela poder caber (ou seja: não davam motivos suficientes, não tinham as atitudes necessárias). Assim, o trecho está deixando a ideia/noção de que ela teria conhecido esses diferentes/diversos tipos de relações (vários quartos), mas que em todas:

1.
 Ela sentia que precisava forçar as coisas para parecerem naturais, reais... para tirar dúvidas e sentir que realmente conhecia a pessoa e que não estava sendo enganada (como se estivesse 'invadindo' aquela pessoa ou a forçando a ser transparente, já que nada parecia natural e o espaço pequeno representa o sufoco dela para tentar caber e fazer funcionar). E, portanto, saía enfurecida, porque nunca esteve em nenhuma dessas relações com tranquilidade, verdade o suficiente (sentindo que estava podendo 'deitar'/ficar confortável). E eles davam para ela a sensação de estarem sufocados, provavelmente, mesmo que ela estivesse pedindo o básico: que seria 'um espaço na cama'.

E: 2. Ela sempre acabava saindo das relações 100%, nunca ficando fixa em nenhuma, nunca sentindo que alguma foi realmente marcante ao ponto de, mesmo indo embora, poder sentir que aquela pessoa ficou dentro dela de alguma forma eternizada e vice-versa (já que ela nunca sentia que conheceu a fundo aquelas pessoas: que a enganavam).

A representação da intimidade, porém, assim como parte analisada no vídeo (que não estava totalmente correta), continuaria ocorrendo no trecho, já que agora, existe a estabilidade nesse amor no qual ela está. Ou seja, existe a ideia de ficar (como garantido na parte do não dizer adeus: logo, mesmo caso ela vá embora, é tão marcante e honesta a relação que eles não vão de fato ir embora de dentro um do outro; eles estão marcando com verdade a vida um do outro: ir também é ficar nesse caso). Além de tais pontos, agora essa relação não estaria sendo representada por 'um único cômodo do qual você pode sair para voltar para onde é realmente sua moradia' (para voltar para você mesmo), mas sim também pela noção de uma casa inteira (como mostrado no clipe de Lover); ou seja, ele se torna parte dela e vice-versa.

Assim, o quarto de solteiro seria para mostrar que todas as outras relações, até então, deram uma falsa ideia de intimidade para ela; uma falsa ideia do que era conhecer e amar alguém. Ela está aprendendo realmente o que é tudo isso de verdade agora com ele (com a representação da casa inteira).

Além disso, olha que bacana: a luz do dia, como pontuado no vídeo, representa aquilo que é, ainda (para além de constantemente esclarecedor), natural. Ou seja, diferente da noção do 'forçar' que é deixada pela ideia do quarto de solteiro, nesse relacionamento de agora tudo acontece naturalmente, porque os dois se esforçam e esclarecem as coisas sem que nada precise parecer pressionado ou muito solicitado. A intimidade é natural, assim como os esclarecimentos dados.

FIM DA CORREÇÃO.

INTRODUÇÃO (principalmente para caso não tenha dado ainda play no vídeo e não tenha entendido a correção acima) | Na música Red (2012), Taylor Swift mostra que chegou a pensar no amor apenas como algo 'vermelho' (a paixão, os sentimentos desenfreados... vivendo entre extremos), mas ela descobriu o que é realmente amar alguém: ter paz acima de tudo, ser amarelo/dourado (esclarecedor). É sobre ter algo que te faça brilhar mais do que chorar ou se desesperar quando for colocado na balança.

Essas seriam as mensagens mais basilares de Daylight, mas você já parou para pensar em cada frase da música? O que significaria, por exemplo, o trecho 'meu amor era tão cruel quanto as cidades em que vivi'? Para entender todos os detalhes das metáforas da letra (que vão para muito além dos pontos citados), assista ao vídeo completo acima e veja mais um pouco sobre as mensagens que se acrescentam também na letra de Halsey, abaixo.

Veja a letra completa de Daylight traduzida clicando aqui. Tenho visto, inclusive, diversas traduções bastante erradas pelo YouTube: destruindo, inclusive, a melhor parte da letra (sobre o amor vermelho e preto e branco). No vídeo acima todos os trechos traduzidos são citados corretamente durante a análise.

ACRÉSCIMO: é bacana de observar, ainda, a representação do 'preto e branco' da letra como referência ao álbum Reputation (da própria Taylor) e a parte, como dita, do 'amor vermelho ardente' ao Red.

Ouça a música:


POEMA RECITADO NO VÍDEO DA ANÁLISE:

Em algum ponto
o ódio vira perdão ou indiferença,
a incerteza vira resposta ou esperança.
Em algum ponto
a decepção vira força ou pertença,
o medo vira coragem ou poupança.
Em algum ponto
o amor vira outro tipo de amor,
porque ele é o único que permanece
sendo ele  mesmo quando se destrói.
O amor é hospital, o resto é o-dor
porque nossas decisões devem ser pelo que aquece
não pelo que corrói.
Queira ser definido pelo que fez de bom,
porque somos o que amamos,
o que admiramos,
o que deixamos para quem nos ama.
Pense antes de agir por um papel crepom,
por algo que derramamos,
que descartamos,
porque só o amor fica após o drama.
Em algum ponto,
a saudade vira lição ou cobertor,
o retorno vira livro ou retrovisor,
e ninguém esquece.
Em algum ponto,
você vira mais o que cativou
porque reputação não é o que ecoou,
mas o que fica em quem
prevalece.

Antes do ponto, a sua vírgula (sua).
Antes da vírgula, a decisão.
Antes da decisão, a escolha sobre o que é a sua trama (continua).
Depois do fim, uma criança pergunta: “e então?”.

// Poema de: Vanessa Brunt | @vanessabrunt

ANÁLISE 2: METÁFORAS DA LETRA DE COLORS | CORES

Antes de irmos para análise da letra é importante pontuar que o clipe lançado por Halsey para a música acaba fazendo muito pouco jus à composição. Foi claramente criada uma história à parte para o clipe, o que enfraqueceu a possibilidade de um vídeo artístico e repleto de forças para as metáforas da letra.

Por tal motivo, coloquei acima um lyric vídeo aleatório da música, sem o clipe em si. Mas, vamos contextualizar: os rumores mais fortes apontam para a possibilidade da música ter sido escrita para Matty Healy, frontman da banda britânica The 1975 e ex-namorado de Halsey (cantora e compositora da obra).

Alguns acreditam, inclusive, que a música foca nos problemas com drogas que o artista enfrentou (ou enfrenta), enquanto outras pessoas acreditam que outros significados podem estar nas entrelinhas. Na análise (abaixo), falei de todas as possibilidades das mensagens, simbologias e afins.

Confira a análise completa:

COLORS | CORES



Seu irmão mais novo nunca te diz, mas ele te ama tanto
Você disse que sua mãe só sorria no programa de TV dela
Você só está feliz quando sua cabeça arrependida está cheia de droga
Eu espero que você chegue até o dia em que tiver 28 anos de idade




Frase 1 | Quantas coisas deixamos de perceber por não nos tocarmos, no dia a dia, sobre o quanto o mais fundo está nas superfícies? Quando a letra afirma que o irmão mais novo não diz, mas o ama muito, ela está apontando para o fato de que existe muita coisa positiva que está acontecendo e que ele (a pessoa para a qual a letra é escrita) não percebe esse tipo de coisa (que podem ser sentimentos de outras pessoas, o bem que outras pessoas podem fazer a ele... e por aí vai) simplesmente porque ele não incentiva nada disso a acontecer! Ou seja, ele bloqueia as possibilidades, acaba bloqueando o que as pessoas poderiam fazer por ele simplesmente por não acreditar e não demonstrar também direito quando sente.

O irmão mais novo, por exemplo, é aquele que deveria ser incentivado/ensinado a falar sobre o amor, mas se o próprio irmão mais velho não incentiva isso, nada vai ser explícito e o que é bom e sentido vai estar retraído (como fica, no caso). Isso pode acontecer em diversos outros casos na vida dele (a pessoa para a qual a letra é escrita), já que ele não dá algo para incentivar as pessoas a exalarem esses sentimentos – e pode ser, inclusive, o que ele fez com ela (acabou travando os sentimentos dela, sufocando por não apertar).

Mensagem fundamental da letra | Logo, a questão é que, justamente por enxergar o mundo assim, ele acaba não só desconfiando calado, mas também tomando atitudes erradas, que afastam as pessoas, que faz com que ele as perca simplesmente por ele ter medo (provavelmente) de que elas tomem alguma atitude que o fira: mas como ele acaba agindo sem sequer tentar dar a chance para o outro, agindo pela dúvida, ele mesmo se fere pela perda.

Frase 2 | Logo depois, ela diz que ele fala que a mãe dele só sorri no programa de TV dela, ou seja, ele sente que ela falseia sentimentos (e, junto com isso, fica claro que ele vê um mundo repleto de falsidades, que ele não tende a acreditar no bom). Mas será mesmo que é tudo assim como ele enxerga? Com a primeira frase, que vem antes dessa, já fica o recado de que ele enxerga os lados negativos da vida com muita força e não dá abertura para que as coisas possam ser diferentes.

Frases 3 e 4 | Ela diz, então que ele só está feliz quando foge da realidade. Ela cita as drogas, mas isso não precisa ser levado no literal. As drogas podem servir como metáfora para qualquer forma de tentar fugir da realidade ao invés de encará-la: se jogar em uma vida apenas de festas, perder objetivos pessoais e passar a viver sem metas... todas essas são formas de fugas – e a fuga nunca é algo positivo.

Ele tem, portanto, se perdido de si. Ela então diz que espera que ele chegue 'aos 28 anos de idade', ou seja, espera que ele se encontre novamente e pare de tentar fugir antes que seja tarde e que ele tenha perdido diversas oportunidades reais da vida apenas por não enxergá-las e por estar vivendo nessa constante fuga (que, no fim, não ajuda em nada). A ideia dos '28 anos' ainda faz conexão com a conhecida 'crise dos 27', em que diversos artistas acabaram falecendo com tal idade.



Você está gotejando como um nascer do sol saturado
Você está derramando como uma pia transbordando
Você está rasgado em cada extremidade, mas você é uma obra-prima
E me deixou viciada nas suas páginas e na sua tinta




Frases 1 e 2 | As gotas, quando são muitas, sempre vão gerar algo transbordando, algo que 'não aguenta mais'. Ou seja, de atitude em atitude dele, as pessoas iam não aguentando mais e, em determinado ponto, o que poderia ser bom realmente passava a ser negativo, por conta de tais ações.

E ele tentava ser feliz 'fugindo da realidade'. Mas muita alegria falseada é como um sol saturado: ou seja, é um exagero tão gente, é tão irreal que, na verdade, é uma alegria falsa/inexistente. Ele acabava sendo a falsidade que ele tanto tinha medo.

Frases 3 e 4 | Mas ela acreditava que ele poderia ser melhor. Ele vivia entre extremos (e isso vai ser melhor explicado abaixo) e se sentia perdido, sem salvação (representado pela palavra rasgado), mas ela o via como uma obra-prima. Ela enxergava que ele poderia ser uma arte, que fica bela dentro do que é abstrato, que pode ser salva por mostrar outros caminhos no fim das contas.

E justamente por acreditar nessa salvação e nessa visão do que ele poderia ser (mas não do que era), ela afirma ter ficado presa nessa história, 'viciada nas páginas e tinta'. A tinta é aquilo que suja você também quando você toca nela ainda fresca, ou seja, ela também passou a ter menos fé sobre o mundo por estar com ele, passou a ser afetada por essas atitudes dele, mesmo que acreditasse que o bom ainda poderia estar vir.




Tudo é azul
Suas pílulas, suas mãos, seus jeans
E agora eu estou coberta com as cores
Separada pelas costuras
E isso é azul
E isso é azul




Frases 1, 2 |  Ela percebe que ele transforma tudo em algo triste, já que o azul simboliza a tristeza no inglês. As pípulas simbolizam a fuga dele para a realidade: e ele acaba transformando até os momentos de fuga em algo triste. As mãos representam as atitudes dele ao tocar em algo, ou seja, tudo o que ele toca, ele já toca tornando triste. O jeans é aquilo que ele veste: é aquilo que ele é, é como ele encara o mundo: sempre triste, tomando atitudes que deixam tudo mais triste apenas por consequências de como ele age. Logo, o mundo ao redor não é triste em si, mas fica assim por conta de como ele encara as coisas.

Frases 3, 4, 5 e 6 | Ela passou, porém, a perceber que só mecere ser salvo quem já é salvo por si de alguma maneira (que quem levanta o outro da queda só se levanta junto enquanto o outro souber pra cima também pular). Ela se viu também triste no meio disso tudo (coberta com as cores: coberta de tristeza pelas ações dele).

A costura é tudo aquilo o que ela tentou fazer de bom no relacionamento. Ela tentou juntar as peças, acreditar que as coisas podiam ser melhores, mas ele pegava tudo isso e destruía (separava as costuras). E ela foi percebendo o quanto cada vez mais tudo ao redor dele acabava triste.



Tudo é cinza
Seu cabelo, sua fumaça, seus sonhos
E agora ele está tão desprovido de cor
Que ele não sabe o que isso significa
E ele é azul
E ele é azul




Frases 1 e 2 | O cinza é aquilo que está abafado, que se perdeu. O cabelo cinza representa a perda da cabeça, do caminho, das razões boas que ele podia encontrar na vida. A fumaça é aquilo que respiramos, que poderia ser um ar bom, mas ele acaba respirando algo ruim para ele mesmo (cinza) por como age e recebe as consequências. Os sonhos fazem parte de tudo o que ele perdeu por tornar todo o resto (como as pessoas) azul (tristes).

Frases 3, 4, 5 e 6 |
E ela diz que ele chegou em um ponto que se perdeu tanto, que ela percebeu que suas tentativas já fariam mais efeito. Ela estava sendo afetada também e ele nem percebia essas coisas que aconteciam (ele não percebia o significado de afetar as pessoas negativamente, não percebia o peso das coisas que ele fazia). E isso tudo só o tornava cada vez mais triste/sozinho, mesmo que ele não visse.



Você era uma visão maravilhosa de manhã, quando a luz entrou
Eu sei que eu só senti a religião quando me deitei com você
Você disse que você nunca será perdoado até que seus amigos também sejam
E eu ainda estou acordando todas as manhãs, mas não é com você




Frase 1 | A manhã é o começo de tudo (o começo de um dia, que representa aqui o começo da relação em si). Ela diz que naquele início ele parecia ser o que ela pensava: algo belo, que a faria bem. A luz é a representação de algo que faz parecer mostrar tudo com clareza. Ela acreditava, no início, que o conhecia bem. Logo, foi por conta desse começo, de voltar a ele na mente dela, que ela continuou tentando por um tempo.

Frase 2 e 3 | Ela tinha fé nele. Uma forte fé nos pontos positivos que ele demonstrava de início. E ela representa isso na segunda frase acima. Mas ela deixa claro que ele diz que 'só será perdoado quando os amigos forem', logo, ele é do tipo que 'vai em bando', segue o que os outros fazem, é mente fraca, toma atitudes quando a maioria também está tomando, vai 'na onda' dos amigos.

Frase 4 | E então, finalmente, ela deixa claro que agora está recomeçando (com novas manhãs): sem ele, justamente por ter percebido que não adiantava tentar salvar alguém que, no fim, não tinha sequer a tentativa de tomar atitudes pensando nos outros ao redor, mas sim apenas em seguir o fluxo "da gaelra", por mais errado que fosse. Ele não tinha caráter.



Você está gotejando como um nascer do Sol saturado
Você está derramando como uma pia transbordando
Você está rasgado em cada extremidade, mas você é uma obra-prima
E me deixou viciada nas suas páginas e na sua tinta




Parte já explicada/analisada acima. 



Tudo é azul
Suas pílulas, suas mãos, seus jeans
E agora eu estou coberta com as cores
Separada pelas costuras
E isso é azul
E isso é azul




Parte já explicada/analisada acima.



Tudo é cinza
Seu cabelo, sua fumaça, seus sonhos
E agora ele está tão desprovido de cor
Que ele não sabe o que isso significa
E ele é triste
E ele é triste



Parte já explicada/analisada acima.



Você era vermelho
E gostou de mim porque eu era azul
Você me tocou e de repente eu era um céu lilás
E então você decidiu que roxo apenas não era para você




Este (acima) é um poeminha que Halsey recita em meio à música e que ela já havia escrito e utilizou como base para escrever todo o resto da letra. Ela havia postado o poema no Tumblr logo quando o fez e, depois, veio a canção em si.

O poema, portanto, é uma das partes mais importantes e repletas de significados. É sobre a conclusão das mensagens da composição de Colors. Veja:
Primeira frase | Ela diz que ele era vermelho. Ou seja, a metáfora é para deixar claro que ele vivia com sentimentos intensos, mas que eram extremos! E nada do que vive entre extremos é 100% real. Nada do que vive entre extremos está aqui de verdade. Para um relacionamento ou para qualquer coisa duradoura é necessária a constância de algo e o sobressair dos pontos positivos.

Raiva, ciúme, paixão, vergonha... estas são algumas das possibilidades que o vermelho representa. Quando temos esses sentimentos que vivem em extremos, assim como disse na análise de Daylight (acima), acabamos por ter muitas agonias e a paz e a sensação de segurança não reinam na situação, não conseguemm reinar. Por mais que às vezes os sentimentos vermelhos sejam bonitos, eles rapidamente podem ser sucubimdos por um terrível, como um emaranho de dúvidas. E era assim que ele vivia: tomando atitudes que machucavam os outros ou que afastavam os outros por sentir tais receios.

Segunda frase | Ela diz, então, que ele gostou dela porque ela era azul. O azul volta aqui a representar a tristeza e deixa claro que ela, por estar vivendo com alguma decepção (seja sobre o mundo em si, sobre algum fardo ou trauma que estava carregando...) acabou se tornando um pouco dependente dele. A dependência, porém, a depender do nível, pode ser parte da independência e não o contrário. Mas ele enxergou essa entrega dela e essa dependência dela como se ela fosse viver em função apenas dele e/ou aceitar qualquer coisa que ele fizesse, o que vamos descobrir que não era verdade.

Terceira frase | Quando ela fala 'você me tocou', ela está querendo dizer que ele passou a conhecer mais ela, a ver melhor quem ela era no fundo. Obviamente, em qualquer relacionamento ambos mudam um pouco, mas a essência continua, e ela está falando que ele passou a descobrir a essência dela: a ver que, na verdade, ela não era azul (não era triste, apesar de poder estar triste com algo; não era depende dele ao extremo).

Ela diz que ela era lilás. Ele descobriu que ela um céu lilás. O céu representa a ideia de voar, de liberdade. Ou seja, não importa o quanto ela se entrega a alguém, o quanto ela dá tudo de si: mas ela continua livre no sentido de ter seus próprios limites e não aceitar qualquer coisa que o outro venha a fazer; ela continua sendo a prioridade dela caso algo que ela não considera bacana aconteça. Logo, fica claro que ela passou a deixar essa mensagem para ele: de que não iria aceitar tais atitudes que ele tinha.

O lilás, inclusive, é a mistura do vermelho com o azul. Ou seja, ela sabia pegar esses sentimentos de agonia ou negativos (como a tristeza) e sair disso mais forte, enxergando sempre um novo caminho e continuando a ver os lados positivos que o mundo pode trazer para ela quando ela se liberta do que é negativo (ela vê as novas cores possíveis através das misturas das que foram ruins para ela). Ele viu que ela não iria ficar presa a ele caso esse vermelho que ele carregava não mudasse para algo mais estável.

Quarta frase | Ele, porém, não soube lidar com tudo isso. Não aceitou o fato de que ela estava ali para ajudá-lo, mas não aceitar qualquer coisa. Ela estava ali para ver evolução e não as regressões que ele sempre tinha. Ele não aceitou que ela não seria dependente dele ao ponto de esquecer de si.

O roxo, inclusive, é a mesma cor que o lilás, mas em um tom mais forte. Logo, toda essa força dela foi ficando maior a cada dia por conta das atitudes que ele vinha tomando: ela foi aceitando cada vez mais menos e tentando alertá-lo cada vez mais. Mas, ao invés de tentar melhorar algo, ele a afastou de vez com as suas ações, mostrou que continuaria sendo vermelho e que só queria ela por acreditar que ela poderia ser triste o suficiente para aceitar tudo isso.



Tudo é azul
Suas pílulas, suas mãos, seus jeans
E agora eu estou coberta com as cores
Separada pelas costuras
E isso é azul
E isso é azul



Parte já explicada/analisada acima.



Tudo é cinza
Seu cabelo, sua fumaça, seus sonhos
E agora ele está tão desprovido de cor
Que ele não sabe o que isso significa
E ele é azul
E ele é azul



Parte já explicada/analisada acima.



Tudo é azul
Tudo é azul
Tudo é azul
Tudo é azul




Tudo vai continuar sendo triste ao redor dele (tudo é azul) e ela só estaria se permitindo ficar ainda pior se continuasse tentando. Ela viu essa confirmação se repetindo (e por isso repete a frase) e, então, ela soube foi até a última gota: até o momento em que percebeu que não teria como fazer um final diferente para aquilo. Leia a história enquanto sentir que pode escrevê-la.

E então, com qual letra mais se identificou? Em breve teremos mais análises do Lover por aqui e de outras compositoras. Tivemos, por exemplo, diversas de Billie Eilish, assim como outras de Coldplay, Adele e mais. A próxima, provavelmente, será da letra de Miss Americana. Fique de olho por aqui e pelo Instagram (@vanessabrunt)!

LEIA TAMBÉM:

9 COMENTÁRIOS

  1. MEU DEUS, que perfeição! Você consegue mostrar o que ninguém nem pensou sobre. É impressionante a sua sensibilidade e inteligência pros detalhes

    ResponderExcluir
  2. adoro suas analises, sempre cheias de mt profundidade, adorei saber mais sobre as entrelinhas dessas musicas

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  3. Adorei!! Nunca tinha percebido essas mensagens!
    Beijinho

    www.keke.pt

    ResponderExcluir
  4. Incrível sua análise de ambas as músicas, principalmente da segunda. Faço algo parecido no meu blog de análise de clipes.
    Bom restante de semana!

    Até mais, Emerson Garcia

    Jovem Jornalista
    Fanpage
    Instagram

    ResponderExcluir
  5. Olha, preciso confessar que eu não ouso muito as musicas da Halsey, porém ao ler o seu post quando falou sobre os 28 anos, me lembrou aquele clube dos 27 sabe? que músicos que tem problemas com drogas acabam morrendo com essa idade e na letra acaba esperando que chegue aos 28, como se fosse o fim os 27 anos... (eu nao sei explicar essas coisas, parei desculpe) Olha eu sei que é maluco, mas me veio isso na cabeça. hahahah

    Adorei o post!

    Post novo: www.jessribeiro.com.br

    ResponderExcluir
  6. Ainda não tinha escutado essas músicas, as letras estão bem poéticas, como sempre Halsey e Taylor fazendo um excelente trabalho
    Beijos
    www.opsquerida.com.br
    instagram.com/siteopsquerida/

    ResponderExcluir
  7. O que seria de mim se não fosse você para me mostrar todas as metáforas nas músicas
    Beijos ♡ Blog | Instagram | Youtube

    ResponderExcluir
  8. Sua sensibilidade sempre me fazendo ver vários detalhes que eu não tinha notado <3

    beeijos

    ResponderExcluir
  9. Não conhecia essas músicas e muito menos as suas letras, logo achei interessante saber sobre as metáforas trazidas. A música da Taylor achei bem gostosinha, masa Halsey não me desce não kkk

    um beijo,
    gabi ramalho

    ResponderExcluir

Obrigada por chegar até aqui para deixar a sua opinião. É fundamental para mim. O que dá sentido com ratificação para cada reflexão entre análises, dicas, informações e sentimentos aqui escritos são essas nossas trocas evolutivas de sensações e pitacos.

Não esqueça de acompanhar frases e outras indicações também pelo Instagram e de clicar em "notifique-me" abaixo do seu comentário para receber por e-mail a resposta dada.

Posts Recentes Mais Posts

MAIS DICAS: @VANESSABRUNT

Direitos Autorais

Todos os escritos aqui postados são de autoria da escritora, poetisa, jornalista e blogueira Vanessa Brunt. As crônicas, frases, poesias, análises e os demais diversos escritos, totais ou em fragmentos, podem ser compartilhados em quaisquer locais e sites (quando não para fins lucrativos: criação de produtos para vendas, entre outros), contanto que haja o devido direcionamento dos direitos autorais. Ademais, as imagens utilizadas no blog para as postagens não são, em sua maioria, feitas pela autora. Portanto, para qualquer problema envolvendo os créditos das fotos, basta entrar em contato e o caso será resolvido prontamente.