ÚLTIMAS INSPIRAÇÕES EM IMAGENS #2 + ILUSTRAÇÕES

quinta-feira, maio 17, 2018


  • Decoração (parte 1)
1. Um buraco pode ser transformado em uma poesia sobre olhar mais profundamente ou sobre renascer o tempo inteiro. Uma bota que perdeu seu par pode virar o mais singular jarro de flores. As metáforas e as entrelinhas mais intensas e mais repletas de porquês, nascem justamente do que a vida quebra e de como, ao invés de buscarmos consertos, caçamos como novas utilidades advindas das falhas. Afinal: "Há uma rachadura em tudo. É assim que a luz entra." (Leonard Cohen). Ao olhar para a imagem, lembrei bastante da inspiradora casa da atriz Bruna Linzmeyer, a qual indiquei em uma das postagens de links favoritos. A noção de não tentar ajustar todas as quebras e outras falhas que ocorram na casa, tentando, ao invés disso, enxergar como aquilo pode ser aproveitado para deixar o ambiente ainda mais singular, belo e repleto de poesias e histórias por todos os cantos, é esplêndida. A mensagem, que serve, inclusive, para algumas falhas próprias (como dizia Lispector: "Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso. Nunca se sabe qual é o defeito que sustenta nosso edifício inteiro."), acaba nos inspirando também para esses aspectos literais. Uma parede descascada precisa mesmo de reajustes ou apenas de acréscimos? E se você aproveitasse para colocar uma música nas alturas, escolher algumas cores e sair pintando o craquelado com uma boa companhia? Além de um momento incrível que viraria foto ali mesmo, no próprio feito, as cores e os descascados ganhariam ainda mais sentido e serviriam de lembrete tanto quanto – ou até mais – que um grande quadro.

2. Há mais de um ano postei a imagem lá no Instagram e, revendo há alguns dias atrás, os tantos significados dela ganharam a minha admiração novamente. DIY, minimalismo e todas as boas fontes de reaproveitamentos bacanas ficam mescladas na ideia de utilizar blocos de concreto de maneiras criativas e frutuosas. Que tal, por exemplo, tê-los como mesa de cabeceira? De quebra, ainda ganhamos diversas estantes e variados compartimentos para organizações.

3. Um dos meus sonhos supremos é ter uma casa pequena, aconchegante e com detalhes decorativos personalizados que encham o espaço de sentidos poéticos. Dentro desses quesitos, penso em uma cozinha americana e um escritório que não precise se dissociar tanto do quarto, logo, a ideia é de poucas portas e mais compartimentos. Assim, inclusive, fica mais fácil de otimizar o espaço e de poder modificá-lo com mais frequência e mais facilidade. Essa divisão de madeira pintada, por exemplo, poderia ser levada para um outro cômodo, fazendo com os que os espaços, antes divididos, virassem um só. Uma nova cara fica mais simples de ser 'feita', a depender do humor, das mensagens e das utilidades requeridas. Por exemplo: se você fosse fazer um 'reg' (como chamamos, aqui em Salvador, as reuniões entre amigos) em casa, poderia deixar o espaço ainda maior modificando a divisão de lugar. Não é uma delícia deixar tudo mais prático de redesenhar?

4. "Não achei ainda o forro certo para o sofá". "Fica muito caro mandar o sofá para ser forrado". Por vezes, ficamos tão presos nos problemas, que não olhamos para o que temos nos arredores e não testamos soluções com o que já está nas nossas mãos, não é? E se 'jogar um lençol' em cima do sofá acabar ficando ainda personalizado do que ter todo o trabalho de colocar um forro dentro dos padrões? E se um travesseiro no lugar das almofadas acabar gerando um conforto e uma visão ainda mais 'a sua cara' e 'a cara do seu canto'? E se um edredom esquecido acabar virando algo mais certeiro do que uma manta comprada por sensação de obrigatoriedade? Por vezes, reparar que toda bagunça tem sua organização, é o grande segredo para que todas as peças se encaixem.

5. Sempre que chego cansada em casa, acabo largando algum brinco, uma bolsa, um colar ou tantos outros objetos em um canto não muito favorável para ser lembrado depois. E se, ao invés de tentar sempre chegar colocando no lugar certo, fosse possível ter um espaço para 'jogar tudo' e arrumar no dia seguinte? Afinal, o que precisamos, às vezes, é simplesmente da liberdade de fechar os olhos para abri-los sem piscar tanto depois (os mais vivos são os afogados!). Para essas e outras ideias, ter um móvel planejado é uma ideia sensacional, mas quando a grana aperta e não nos deixa selecionar cada detalhe tão bem, buscar móveis que podem se complementar também é outra chance de personalizar mais o espaço. No caso do armário da foto, ele foi colocado somente de um lado, enquanto o resto do espaço das gavetas virou um certo tipo de mesa com caixinhas e, ainda, com espaço para penduras objetos logo acima. Seria, certamente, o meu cantinho do 'cheguei, larguei tudo e, dá lincença, porque agora vou morrer um pouquinho": tão necessário para respirar.

6. Essa imagem é do Instagram do @apartamento84, casa da youtuber Rayza Nicácio. Das diversas inspirações que o local pode proporcionar, essa é a minha favorita. Utilizar uma escada que perdeu sua utilidade óbvia para criar novas finalidades para ela é uma ideia de ouro. No caso da Rayza, a escada virou suporte para revistas e ainda virou mais um ponto de luz do espaço. Mas são tantas as opções. Elas podem servir como estantes para quartos, como meio para colocar aqueles sapatos que não couberam no armário ou até como um pendurador de roupas e objetos.

7. Móveis multifuncionais são uma das minhas paixões quando o assunto é decoração. Uma cama suspensa é uma ótima maneira de poupar espaço, principalmente quando mesclada a um móvel de diversas utilidades, como é o caso da imagem: em que armários, mesas, cabeceiras e diversos quesitos se mesclam em um único compilado. Existem diversos modelos de "quartos compactos" com móveis de variadas utilidades, como esses, que seguem o 'estilo palanque' e agregam espaço a mais para unir o escritório, a cama e demais utensílios embaixo, além de outros formatos.

8. No @apartamento.33, que é a minha maior inspiração decorativa atual, a televisão da sala não fica localizada em uma parede 'solitária' na lateral do ambiente, não estando de frente para o sofá ou em algum outro canto que 'faça sentido' para que os moradores podem assistir as imagens sentados. Porém, ela foi colocada em tal direcionamento justamente para que pudesse ser vista em qualquer um dos cantos da sala: na cozinha, na mesa ou no sofá. Como? Um braço mecânico fica embutido na parede e, assim, a TV pode ser 'puxada' e controlada para várias direções. Existem diversas formas de aproveitar uma única televisão para várias áreas da casa e, uma delas, é colocando um divisor de ambientes (que permite que dois lados sejam aproveitados por dois diferentes locais da casa). A imagem proposta acima foi colocada para ilustrar a ideia colocada em um vídeo, que realiza um sonho de utilidades para quem pensa em aproveitar melhor os espaços, principalmente quando pequenos.

9. Na postagem anterior de últimas inspirações em imagens, o número 5 já abordava a minha paixão por janelas que vão do teto até o chão. É maravilhoso não precisar abrir as janelas em um dia de chuva ou extremo frio e, ainda assim, poder sentir o movimento da natureza, da sociedade e do local em geral, refletindo sobre tantos aspectos. Além de trazer o quesito que tanto admiro (ainda com a soma de uma espécie de sofá grudado nas janelas que, provavelmente, serve também como baú ao retirarem as partes de cima), temos mais um detalhe que brilha na imagem. Para quem deseja morar em apartamento, como eu, mas queria realizar desejos como os de ter um balanço ou uma rede, logo diversas vontades são cortadas pela falta de uma varanda extensa ou de um jardim. Mas, quem disse que é realmente necessário ter algum desses espaços para realizar essas vontades? Imagine abrir várias dessas grandes janelas e sentar em um balanço ou uma rede, ainda que internamente no espaço: a sensação de estar tanto no ambiente interno quanto externo ganharia variadas mesclagens. Esquecer que 'uma rede precisa estar na varanda' e quebrar esses estigmas sociais é o primeiro passo para fazer diferente.


  • Decoração (parte 2)
1. Quem disse que uma porta é só uma porta? Uma porta pode ser metáfora sobre estar à porta ou sobre aportar, pode ser sobre encontrar o que é casa e lembrar que os pequenos querem caça. No fim, assim como tudo, uma porta é sempre mais de um detalhe, sempre mais de uma utilidade. E, na imagem referida, após perder a sua utilidade para abrir e fechar locais no literal, ela ganhou uma nova pintura e virou mesa. Reaproveitar é sempre a melhor saída enquanto ler a história ainda é sentir que pode escrevê-la.

2. Malas podem servir como gavetas até que seja preciso tirá-las do quarto. Nem sempre é preciso adquirir todos os móveis convencionais para ter todas as utilidades necessárias e dadas por eles. Nem sempre é necessário comprar uma mesa de cabeceira ou uma gaveta extra, afinal, a sua cadeira pode servir como mesa de canto e as suas caixas podem formar uma amontoado ao lado da cama, servindo melhor do que diversas gavetas por aí. Na imagem, duas malas ganham as utilidades de gavetas e mesas de cabeceira, deixando tudo ainda mais repleto de singularidade.

3. O primeiro detalhe que me ganhou na imagem foi a planta seca, pouco florescida e com tantas poesias inclusas. Afinal, não só o colorido gera cor em uma vida: a questão é saber para além olhar. Mas, logo depois, mais aspectos ganharam ainda mais a minha vontade de entrar na foto e fazer dela morada: para quem está buscando economizar e não pode comprar um sofá gigantesco, que tal adquirir uma poltrona e um tapete super confortável? Quem disse que tapete também não é lugar para se esparramar, sentar e ler? Assim, dois locais de recosto acabam surgindo na figura. E os papéis colocados no chão? Mais uma quebra de padrão que gera conforto e uma organização única que pode acabar sendo bem mais útil do que gavetas esquecidas.

4.  O primeiro ponto no qual pensei ao visualizar tal imagem, foi adentrado na linha de raciocínio que pontuei no item 9 do primeiro compilado fotográfico. Mas, no caso da imagem agora pontuada, existe sim uma varanda, com a possibilidade da rede estar lá. Mas, e se chover, por exemplo? Seria o momento de largar tudo o que o espaço poderia proporcionar ou seria interessante ter uma casa com área interna adaptada para receber ao máximo o que ela teria do lado de fora? Dá para perceber que a rede estava sendo utilizada, ali, junto com um fone de ouvido e almofadas, em um momento de autoconhecimento e liberdade para aproveitar a chance tanto dentro quanto fora do ambiente, já que a rede ganhou adaptadores também para estar ali.

5. Painéis organizadores são meios certeiros não somente para colaborar com a organização, mas também para aproveitar uma melhor utilização do espaço (deixando as mesas mais 'limpas' para objetos essenciais) e, ainda, causando uma facilidade maior de encontrar o que deseja, já que tudo acaba ficando visualmente mais acessível através deles. E, eu, que sou cheia das minhas 'bagunças organizadas' (que só eu entendo), às vezes, quando esqueço algo em casa e preciso da ajuda de alguém, demoro trezentos e vinte e nove anos explicando onde está o bendito item. Ou seja: abençoados sejam esses painéis.

6. Quem disse que um closet precisa ser embutido no quarto e repleto de armários comuns? E se o seu for feito apenas com caixas, estantes e roupas penduradas nos cabides de formas visíveis, sem portas que as escondam? Ao olhar para a imagem, pensei bastante em uma mesclagem entre um ambiente de escritório e essa 'closet aberto' na mesma área. Apesar de organizar ao máximo as minhas peças no armário, sempre acabo esquecendo de alguma por não abrir certas gavetas ou por acabar colocando junto com outra no cabide. Além de poder visualizar melhor as peças e, assim, lembrá-las com mais facilidade, a sensação de quebrar padrões e poder inovar melhor dentro do seu próprio 'guarda-roupa' fica incrível de tal maneira.

7. Que mania que este mundo tem de colocar as mesmas coisas nas varandas, não é? Cadeiras, espaço gourmet e por aí vai: são coisas clichês que encontramos nesses cantos onde o vento bate mais forte nas moradias. Mas, meu sonho mesmo, é fazer um espaço mais zen quando tiver meu canto. Um canto para ler, ouvir música e sentir a conexão com os arredores, para além de um espaço só meu. Mas, afinal, é necessário uma poltrona ou algo semelhante para relaxar? A imagem trouxe um amontoado de almofadas no chão, com um grande tapete e uma inspiração que pode servir, também, para áreas internas. Que tal, ao invés de comprar um sofá maior para receber as visitas, fazer um canto desses, repleto de travesseiros de várias cores, por exemplo?

8. Carrinhos organizadores: outro sonho que dá suportes semelhantes aos de um painel organizador, só que com um acréscimo, o da mobilidade. Que delícia é poder levar seu escritório completo para onde for na casa, não é? Em um espaço pequeno, por exemplo, em que não houve espaço para a criação de uma área específica para trabalhar, essa seria uma solução certeira. Preparar um carrinho desses com todos os quesitos que precisaria para fazer seu home office, pegar seu notebook e sentar em qualquer mesa ou canto da casa para se sentir 'no seu próprio ambiente de trabalho', é tesouro! Ah, e uma dica para quem sente que não consegue trabalhar em casa, porque não consegue disciplinar bem os horários e afins: já tentou tomar banho, trocar de roupa, se arrumar e ter um horário pontual para começar, um horário de pausa e um horário para voltar ao trabalho, como se realmente saísse de casa para ir ao escritório? Nossa, é a ajuda da vida!

9. A imagem acompanha a ideia de 'salvação' da foto de número 6 do primeiro compilado. Mas, com um acréscimo. Se você ainda não teve condições (por tempo, grana ou pelo motivo que for) de adquiri um objeto para guardar e organizar pequenas peças, como bijuterias, ou se você chega, às vezes, de um dia tão exaustivo ao ponto de sair jogando tudo 'por aí', que tal pegar uma bolsa com compartimentos e deixar logo na entrada da sua casa (substituindo essa caixa)? Que tal, ainda, deixar um espaço para já receber os seus sapatos ali perto, junto com apoiadores de bolsas? Assim, você pode já 'desmontar' tudo ao chegar no ambiente, sabendo onde tudo estará para reorganizar melhor depois.


  • Estilo
Como sempre ratifico ao falar do tema Estilo: o desejo das inspirações nunca é, aqui, o de impulsionar a ideia de "tendências a serem seguidas" ou de diversos quesitos de padrões e "moda". Por isso mesmo, o nome da categoria é "Estilo". O bacana de quando surgem tendências são as propostas com grande fulgor para que possamos testar e, consequentemente, descobrir mais dos nossos gostos, navegando em releituras internas para além, em autoconhecimento. Nada disso significa que tudo o que surge em ascensão deve ser utilizado ou que o que acaba por "sumir da moda atual" deve ser "deixado de lado". Pelo contrário, a sustentação ou o abandono de cada aderência deve partir das sensações próprias, do que mescla com o bem-estar e com a identidade que sente captar. Sei que tudo isso pode parecer imensamente clichê, mas é preciso assentar.

Cada uma das peças indicadas aqui, portanto, serve como inspiração para que testemos, encontremos mais de nós em cada minúcia (enxergando metáforas possíveis e reflexões em cada detalhamento) e para que usemos enquanto nos representar e engrandecer. Nada é por futilidade quando se sabe manter boas prioridades e enxergar para além do literal, como costumo afirmar. O que viso ao indicar qualquer produto dentro desta temática é o conforto, os significados dos entornos (mensagens) e outros tantos pontos que são úteis para mente, corpo e coração em somas.

1. Pantalonas, pantalonas, pantalonas! É fácil perceber, lá no Instagram, que estou em uma fase repleta de pantalonas e vestidos longos. Confortável e útil para quaisquer ocasiões (a depender do sapato, blusa e dos demais casamentos que ousar), as pantalonas dão uma liberdade para que seja possível vestir o despojado e o formal em mesma escala, na mesma conjunção. E eu, que nunca fui apaixonada por jeans com 'bocas de sino', pude encontrar, finalmente, a solução para vestir calças que não sejam tão prejudiciais, por permitirem mais entrada e circulação de ar. Afinal, calças não costumam fazer bem para as áreas íntimas: esquentam, apertam, possibilitam mais chances de infecções, entre outros pontos negativos. As pantalonas costumam colaborar para que nenhum desses pontos ruins ocorram, já que traz um tecido mais fino, dando suporte para a saúde.

2. Moro no calor de Salvador, mas acho que vivi outras vidas em algum outro país. Minha paixão por roupas de frio e o conforto que sinto com elas é algo impressionante. Qualquer blusa de manga confortável e que aqueça no frio dos ar condicionados já faz com que eu me sinta abraçada. Mas percebi, recentemente, que tenho adquirido muitas blusas e calças soltas, sem o aproveitamento de pegar peças casadas (conjuntos), as quais poderiam ser aproveitadas separadamente ou de forma unida, gerando ainda mais opções. Quando bati o olho na imagem, além de lembrar disso, já senti 'aquele conforto' pelo tecido visível. Vai um abraço?

3. A bolsa transversal – que nos permite colocar também como bolsa lateral – funciona como uma espécie de coringa no guarda-roupa. Super práticas e versáteis, as bolsas transversais possuem uma alça longa e ajustável e sua maior vantagem é deixar as mãos e braços livres, sem algo recheado ficando entre o braço e o resto do corpo, por exemplo. A facilidade de dar nos formatos e as variadas maneiras de utilizar fazem com que elas possam caber em quaisquer situações. Como estou sonhando com uma maiorzinha, não poderia faltar na lista.

4. Se já sinto que estou sendo abraçada com qualquer roupa de frio confortável, imagina só com um sobretudo. Percebi que tenho pouquíssimos no armário e que seriam a saída ideal para os extremos que temos no nosso Brasil: saímos em um sol escaldante e, de repente, só falta nevar! Aqui em Salvador saímos pouco com gorrinhos, luvas e objetos semelhantes, mas sou apaixonada por tudo isso, então pelo menos um sobretudo entraria na listagem. Afinal, é o que mais se aproxima do que queria que fosse super normal neste mundo: sair enrolada em um edredom por aí. Ter um casaco que cobre até as pernas é quase como realizar esse sonho, não? Não à toa, citei um trench coat na primeira postagem de inspirações em imagens que tivemos.

5. Ah, liberdade! Se ela é saber ao que se prende e se ela é saber abdicar para ter, só faço ratificar mais esses pontos a cada dia. Até os meus 19 anos, jamais iria para uma festa/boate sem salto, jamais iria para uma reunião de negócios sem salto... até que, opa! Veio aquele lembrete de que cultura é algo em eterna mutação e que desrespeitos e desconfortos não precisam, jamais, cair em aceitação. Em um belo dia, eu, que vou para festas para dançar do começo ao fim, resolvi que não iria entrar de salto só para tirá-lo no meio da madrugada até acabar pisando em um caco de vidro. Coloquei o meu vestido, me arrumei como sempre, fiquei de bem comigo e meti as minhas rasteirinhas nos pés. Que glória! Foi a minha alforria e a minha aceitação maior para os meus 1,56 de altura. A partir daí, fui acumulando rasteiras de tudo o que é tipo: as gladiadoras, para momentos mais festivos; as mais simples e que fecham atrás para uma passada no shopping; as mais abertas, para ir 'ali' na casa de uma amiga... e fui percebendo o quanto tudo é versátil quando saímos das caixas para aderir em novas situações. "Ah, mas então você não usa salto nunca?", só às vezes e, olhe lá. Muitas dessas, confesso que ainda acontecem por certos padrões sociais, o que me entristece muito, já que dores nos pés e nas costas não deveriam ser bem-vindas por nenhum motivo: ainda mais para quem não quer ficar com a bunda na cadeira o tempo inteiro. Afinal, o quanto estaria ligado à terrível noção de que mulher nasceu para ser 'quietinha'?

6. Gargantilhas podem não passar uma ideia tamanha de conforto, afinal, é algo enrolado no seu pescoço, o que pode transmitir uma noção de sufoco. Mas, para mim, foi o oposto. Virou quase uma marca registrada e é difícil que eu saia sem uma. Eu, que tenho asma na lista da vida, não sinto nada semelhante a fadigas ou sensação de engarguelamento com as gargantilhas. Coloco no ponto que é ideal para mim e até esqueço que estou com elas. Misturo duas ou três, coloco com várias voltas ou com uma... e vou experimentando novas maneiras a cada dia. Essa versatilidade, que pode estar acompanhando um colar com um pingente repleto de significados, é uma das coisas que ganhou meu encanto para com o objeto. Por isso, se uma mulher utiliza um salto ou algo que não fica confortável em mim (ou em você), nem sempre significa que ela está apenas seguindo padrões, mas, por vezes, pode ser uma linha de autoconhecimento, autoconfiança e, até, de um melhor conforto. "Eu não gosto daquele homem. Eu preciso conhecê-lo melhor." (Lincoln).

7. Certo, eu trocaria a bota por uma rasteira na conjunção dessa imagem. Mas, ainda assim, ela junta tudo o que mais tenho apreciado: o básico, o real, uma bolsa transversal repleta de utilidades, uma blusa confortável, um jeans que não precisa ser esquecido e: pronto. Isso significa não ousar? Afinal, a rasteira que estaria nos meus pés, vieram do 'ousar', a gargantilha que estaria no meu pescoço (nesse mesmo conjunto da foto), vieram do 'ousar'. O ousar, às vezes, está em um pequeno detalhe em alguém que parece navegar em comodismos e, na verdade, está sempre inovando. Inovar não significa abandonar o antigo, mas incrementar até, quem sabe, ter uma gama tão maior ao ponto de mudar bastante: para continuar o mesmo.

8. Pantalona, blusa de frio e... tênis. Tá aí uma coisa que não costumo aderir e quero tentar mais. Não coloco tênis para nada além de quando vou fazer as minhas tentativas frustadas de iniciar as idas à academia. Estou com um par de oxford extremamente confortável e, querendo ou não, andar direto com rasteiras por aí nos deixam mais suscetíveis a certos riscos, como doenças. Trabalhar na redação de um jornal não é só ficar 'lá dentro, digitando no computador', é ir para as ruas fazer apurações, é ir cobrir um evento ou acontecimento debaixo da chuva, é pisar em poças, é ter que correr para não perder uma fonte... então, um sapato mais fechado, nesses casos, é mais seguro para a saúde. Por isso, o oxford foi muito bem-vindo! Mas ele se aproxima bastante de vários estilos diferentes de tênis que existem e, na minha cabeça, quando penso em colocar um tênis no pé, surgem somente aqueles estilos que utilizo na academia e pronto. E, mesmo que fossem de um estilo semelhante, misturando com um look como o da imagem, será que não seria justamente o ideal? Portanto, esse foi um tópico para plantar, para mim mesma e para você (se pensa igual a mim), a quebra de um preconceito.

9.
Macacão é a coisa mais prática que tenho na minha vida hoje. Estar com pressa e colocar um macacão no corpo é sinônimo de ver descendo aquela luz do céu, com aquele barulho de glória ("óoo!"). A elegância, o conforto e a rapidez com que 'ficamos prontas' é uma delícia. Por isso, comecei a aderir também os vestidos longos com mais frequência. Essas peças únicas que conseguem nos dar identidade e nos preparar em segundos são meios práticos para o dia a dia, tanto quanto portas abertas para o lembrete de que é preciso mesclar com outros tantos detalhamentos para dar mais personalidade 'à coisa' (nos dando, inclusive, mais tempo para elaborar essas minúcias; para lembrar daquele colar com uma chave na ponta que nunca mais usamos...), ou seja, é ideal para lembrar que "Quem ama a solidão não ama a liberdade." (Lispector). 


  • Viagens (em diversos sentidos)
Viajar é lembrar que pausar é estar fazendo e continuando. Viajar é não deixar que a maturidade seja sinônimo de endurecer, é não esquecer que viver intensamente é sobre poder lembrar que o mundo gigante, é sobre poder sair sendo turista na própria cidade e na própria vida, é sobre não esquecer das consequências para ir podendo voltar. Porque só consegue voar alto quem tem ninho de aterrissagem. Porque para os maus, analise, o mundo acaba sendo pequeno.

Com esses lembretes, eu poderia citar o quanto uma flor na frente de uma porta faz um trilhão de metáforas sobre renascimentos: fins que são sempre inícios. Poderia falar o quanto o brilho na calçada após a chuva remete a uma poesia intensa sobre os ganhos das perdas (que traz à tona o trecho da música Fearless, de Taylor Swift: "Há algo sobre como a rua fica logo após a chuva. Há um brilho na calçada"). Poderia falar do meu louco desejo em conhecer os cantos românticos que são Gramado e Veneza, da minha vontade atual de fazer um curso de Artes e Design na Pratt Institute, em Nova York, ou de conhecer a Julliard por lá também (sempre lembro do filme Na Trilha da Fama quando falo sobre isso). Inclusive, meu sonho era achar alguma universidade que tivesse a mesma linha da Julliard, mas focando em literatura/poesia, para que surgissem aquelas discussões bem no estilo de Sociedade dos Poetas Mortos, mas já temos muito disso aqui pelo Brasil, nos grupos de saraus e encontros artísticos diversos. Às vezes esquecemos que existem diversos projetos incríveis bem na ponta do nosso nariz, não é? Ou, até, que podemos iniciar um.

Poderia, ainda, falar da minha saudade de fazer longas viagens de carro com companhias que elastecem intimidades enquanto cantarolamos entre travesseiros e poderia, até, berrar sobre o meu desejo de ir para a Disney e entrar no universo de Harry Potter por lá. Inclusive, caramba, já repararam quantas metáforas incríveis sobre energia, dedicação e tantos outros pontos existem na cena em que Harry está aprendendo a utilizar o Expecto Patronum? Falando sobre Disney, foi negando ir para lá aos 15 anos que acabei indo para o Rio achando que ia encontrar a 'paixão da minha vida', levei um bolo e criei o meu primeiro blog de poesias logo após. Ai, ai, como a vida é... No meio dessas imagens tem um tanto de todas essas veias poéticas, de tantas possibilidades e, até, da minha paixão por cafeterias e do meu desejo de convidar você, que está aqui lendo, para ir comer uma torta enquanto papeamos sobre a vida, sobre filmes, séries e tudo o que é arte e lição. Mas, no fim das contas, viajar é saber enxergar, acima de tudo, as entrelinhas que façam sentido para o que você precisa entender agora. Por isso, não vou falar nada. Afinal, a vida só é inteligente e faz sentido para quem deseja achar algum e observa o poder que há cura em uma cicatriz.


  • Mistura poética
Obviamente, todas as imagens de toda esta postagem são poéticas. Tudo deste mundo é poético, basta ter o olhar que aprofunde. Mas, aqui, separei algumas das imagens nas quais mais vi poesias intensas recentemente. E o Instagram da @martinhabarreto (que está logo ali, na primeira imagem deste compilado) tem algumas das minhas imagens poéticas favoritas de todos os tempos: como é o caso de uma que indiquei na TAG Últimas Reflexões.

Na segunda imagem, temos uma das fotos que mais amei ter capturado na vida. Para mim, ela é um grande resumo sobre os ganhos das perdas. O céu nublado atrás, enquanto as flores se refazem, dizem muito sobre tudo o que penso ao visualizar quaisquer entrelinhas da vida. Logo após ela, na terceira imagem, temos uma poesia imagética sensacional em uma foto da @brumarquezine. Qual a principal mensagem que você visualiza nela? Para mim, é uma ilustração ideal para o trecho de um dos últimos poemas que escrevi (Maiores na Infância):

"Marcados demais para a ingenuidade
Sozinhos demais para o acolhimento
Apunhalados demais para a confiança.
Esquecido que só vale o que causa 
Ansiedade
Enrugada demais para ser de momento.
Que dure até enquanto 
pudermos ser 
crianças". 
(Vanessa Brunt)

A imagem da janela de vidro, quinta do compilado, com a chuva escorrendo é uma das minhas favoritas da vida também. Foi olhando para ela que escrevi o poema no qual cito que 'os mais vivos são os afogados; os únicos que conseguem realmente respirar'. A sexta imagem, das flores saindo daquilo que era inesperado, que parecia escondido, nem precisa de muita citação sobre, não é? Já a sétima imagem, do espelho mostrando o fragmento de alguém, remete meus pensamentos rapidamente para mensagens sobre legado, sobre as marcas que deixamos nos outros, mas, leva a minha mente, ainda, para diversas das metáforas que acompanham o trecho da música So It Goes, que diz: "Nos quebramos um pouco. E todas as peças caem, exatamente no lugar ideal" (Taylor Swift).

Por fim, além da noção de tantas representações na última imagem, ainda temos a do oitavo clique, que traz uma das minhas ilustrações favoritas aparece em formato de foto, com alguns conceitos diferenciados, mas com a base da mensagem semelhante. Ela foi a primeira analisada aqui.  


  • Aconchego
Eu poderia falar, em relação à mesclagem acima, sobre: Solidão. Só-lidão. É o momento que não existe por acaso. É feito para ler com atenção, o que quando não só, fazia descaso. Nada é tão nosso quanto ela. Nada é tão ela quanto o que é nosso. Divisor de águas em fraqueza e força é, na solidão, o que eu coço.

Mas, em equilíbrio, poderia citar ainda a importância da lágrima e da mão entregue a outra como meios, também, de amor-próprio. E poderia até relembrar que: Sentir demais é apenas sentir. O excesso, para quem sente, é somente a falta.

O aconchego de saber equilibrar entre seus momentos compartilhados e seus momentos "tão seus" é o segredo para sentir abraços todos os dias, mesmo que seja dos próprios braços para com o próprio corpo. Por isso, é importante lembrarmos, ao falar de aconchego, sobre o quanto chorar na rua deveria ser sinônimo de força e não de queda; é importante lembrarmos se amar é também se permitir sofrer até a última gota, para não se martirizar por muito mais tempo com perguntas incessantes após. É preciso que o aconchego seja lembrete de que deve ficar tudo o que no final, faz: fe-RIR. E, por isso, aconchego é sempre relativo e cada um desses cliques que me deram a sensação dele, dará em algum outro grau para você.

ILUSTRAÇÕES

Não é difícil lembrar que sou fissurada pelas ilustrações de Pascal Campion se você me acompanha lá no Instagram, porque ele sempre acaba aparecendo nos meus Stories. E muitas das ilustrações que tem nesse compilado aqui, são dele: como a primeira, a terceira e a sétima e oitava. As metáforas que ele consegue construir através das luzes utilizadas são tão poéticas e tão intensas que chegam a doer. Uma dor daquelas que lembra que o caos vem para colocar no lugar algo que estava fora dele, sabe? São diversas as mensagens que as ilustrações de Pascal são capazes de pontuar, mas a única dica que deixo, em meio a cada interpretação que virá é: veja o que cada luz tem a dizer.

Além das ilustrações de Campion, temos ainda diversas outras  tanto no compilado acima como nos que virão abaixo , de autores não pontuados (que gostaria imensamente de saber mais sobre), que fui salvando nos meus arquivos ao longo do tempo. Em geral, foram imagens captadas dos Tumblrs de ilustrações que acompanho com muito fulgor: os quais já indiquei aqui

Para conhecer mais ilustradores poéticos e acompanhar ilustrações com análises mais bem elaboradas, você pode começar relembrando a primeira postagem de Playlist + Ilustrações aqui no Sem Quases.

E, obviamente, eu poderia, como costumo fazer, analisar cada ilustração e pontuar as poesias e lições que visualizo como primordiais em cada uma dessas artes aqui pontuadas. Mas, desta vez, vou deixar que elas falem inteiramente por si, conectando metáforas e detalhes com o seu coração, enquanto conversamos sobre as mensagens captadas nos comentários ou em mensagens que vocês podem mandar.


• Créditos: Além dos Tumblrs de ilustrações poéticas que indiquei acima, todas as outras imagens desta postagem (que não tiveram seus créditos pontuados) foram retiradas do Pinterest. A maioria dos perfis que acompanho já foram indicados aqui. É bacana informar que o perfil da Gabi Barbosa, que muito indico, mudou o seu link e pode ser acessado agora a partir do: /gbbrbs.

0

Enquanto formulava esta postagem, estava ouvindo músicas como: Come In With The Rain, Come Clean (nostalgia!), Alma (mais nostalgia!) e Clean. Todas elas podem ser conferidas na playlist A Bagunça Daqui de Dentro, no Spotify: que mescla novas e antigas composições.

Qual compilado ou imagem mais mexeu com o seu âmago? Qual inspiração mais fez com que a vontade de quebrar padrões fosse alavancada? Tem alguma ilustração, algum(a) ilustrador(a) ou algum perfil do Pinterest que tem ganhado os seus sentimentos? Não deixe de compartilhar!

LEIA TAMBÉM:

21 COMENTÁRIOS

  1. ameei as ideias de decorações, fotos super lindas!
    Blog Entrelinhas

    ResponderExcluir
  2. Eu olho essas inspirações e fico com uma vontade enorme de ter uma casinha ou um apê pra fazer uma decoração assim, mas como não tenho ainda eu me acomodo com meu quarto que é todo minimalista do jeito que eu gosto <3 woont amei as imagens e salvei várias aqui!

    Beijão <3
    Blog >> www.seteprimaveras.com

    ResponderExcluir
  3. Essa sua visão tão poética e tão fora dos padrões, que abre nossas cabeças para sermos diferentes e melhores é o que torna cada postagem sua tão diferente de qualquer outra que posso achar em qualquer outro lugar, além, claro, de todo esse cuidado que voce tem com cada detalhe escolhido. Ler suas palavras me fez querer mudar meu quarto inteiro, minha rotina, meu guarda-roupa.. reparei quanta coisa estava errada. E as ilustrações? Apenas incríveis!

    ResponderExcluir
  4. nossa senhora, mas to passando mal com tanta lindeza nesse post! amo ver essas inspirações, tanto de decoração, quanto de viagens sao minhas preferidas!! sonho de consumo pra colocar como metas!

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  5. it is very interesting post dear, I enjoyed reading this post and watching pictures..

    https://clicknorder.pk online shopping in pakistan

    ResponderExcluir
  6. Meus preferidos foram os painéis de Viagem e Aconchego. Adoro essas cores de outono e realmente me remete a sensação de aconchego. De ficar no sofá de casa tomando alguma bebida quentinha na minha caneca favorita ♥

    ResponderExcluir
  7. Eu amei os painéis de viagem e de estilo! As roupas de frio abraçam mesmo e eu acredito que as tendencias são feitas para testarmos e adicionarmos ao nosso estilo o que gostamos, não necessariamente o que todas estão usando. Se bem que tudo que é tendência hoje já existiu antes. é uma boa forma de relembrar.

    Adoro referências de Harry Potter! Cada parte do filme e livros tem um aprendizado "mágico". O expecto patronum é um feitiço muito bonito que pode ser interpretado de várias maneiras, felicidade, dedicação, concentração. Amei a analogia <3

    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Quantas inspirações maravilhosas! Gostei demais! <3

    Beijo!
    www.coresdovicio.com.br

    ResponderExcluir
  9. UAU!!

    Gostei muito das inspirações de decoração, achei perfeito e gostaria de ter um cantinho da casa desta maneira.. mas, como sou bagunceira nunca iria parar arrumado. xD

    Um beijo,

    My Pure Style x My Instagram x My Facebook 

    ResponderExcluir
  10. estou bem apaixonada por ambientes mais clarinhos e com poucos detalhes. Adorei boa parte das imagens que você selecionou, queria uma casa assim <3
    Esses tons clarinhos são delicados e não enjoamos com frequência né?
    bjs www.diadebrilho.com

    ResponderExcluir
  11. Caramba que post mega inspirador ♥
    Dá vontade de ficar olhando e admirando por horas essas belas imagens!
    Essa foto da Bruna Marquezine é lindíssima!!
    Amei muito as ilustrações, me transportaram para outra dimensão.
    Eu adoro posts assim!!

    https://heyimwiththeband.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Adorei as inspirações, principalmente as de decoração.

    Se quiser participar, estou sorteando alguns livros lá no blog: http://www.cobaiaamiga.com/2018/05/sorteio-de-livros.html

    ResponderExcluir
  13. Adoro quando o assunto é decoração, adoro navegar no pinterest buscando inspirações, amei as suas.

    http://www.colecionandosaudades.com/2018/05/look.html

    ResponderExcluir
  14. Quantas inspirações lindíssimas e incríveis! Essas fotografias são tão inspiradoras, que até faltar o ar... Sou completamente apaixonada por ilustrações e esses desenhos acabou me fazendo viajar, sem nem sair do lugar <33 Que post MARAVILHOSO *-*
    Beijos,
    www.dosedeilusao.com

    ResponderExcluir
  15. Que inspirações lindas, a gente fica até perdida qual é a mais bonita.
    Big beijos
    www.luluonthesky.com

    ResponderExcluir
  16. Isso de transformar uma rachadura em algo bonito, eu vi nesse vídeo quando a atriz mostrou a casa dela e eu achei genial! Porque cada rachadura, cada pequena coisa tem sua história. Adorei essa ideia dos blocos de concreto, muito boa! Se eu tivesse espaço no meu quarto pra colocar um "criado mudo" assim, faria. Tem até naquele estilo de caixotes né? Também adoro! Isso de colocar uma rede ou balanço dentro de casa é muito bom! Já fui em um apartamento que tinha rede na sala e eu acho muito bom pra relaxar mesmo. Adoro essas varandas decoradas pra um espaço zen, com plantinhas e tudo <3 Eu não consigo me adequar a roupas de frio, porque sempre pareço estar mais estranha que o normal, haha! Não sei se é costume por morar no Rio, mas o inverno comigo é difícil. Adoro ficar confortável e essas roupas demonstram bem isso, essas que você m ostrou eu usaria facilmente, mas é difícil achar por aqui. Não consigo mais ir pra boate/festa de salto também, ainda mais sabendo que vou pra dançar. Agora só vou de tênis, fui de sandália uma vez, mas é porque só tinha ela e usava muito, depois de muito usar... rasgou :( agora to órfã de sandália. Gostei muito dessa que você selecionou pra mostrar. A que era minha paixão era a gladiadora mesmo, saudades dela... Rasgou, colei, descolou, colei de novo, aí desisti, haha! Eu tentei voltar a me adaptar as gargantilhas, mas as que eu tenho aqui não chegam nem perto dessa aí amarrada que eu acho tão bonitinha. O bom é que ela combina com tudo né? Ultimamente eu ando vendo MUITOS vídeos de youtubers de viagem, não sei se você conhece o Vitor Liberato, adoro os vídeos dele mostrando os lugares, to vendo bastante agora. Amo fotografias que capturam um momento que soltam palavras por imagem. Essa foto da Bruna Marquezine super combina com esse poema que escreveu, eu adorei a sintonia da combinação! A solidão as vezes precisa ser sentida né? E sobre essas ilustrações: me emociono e me impressiono com todas. Vi aqui que já estou seguindo a Gabi. Em falar em Pinterest, preciso arrumar minhas pastas que vez ou outra ficam uma confusão e mistura, haha! Adorei o post com suas últimas inspirações!
    Beijos!

    www.likeparadise.com.br

    ResponderExcluir
  17. Eu não conseguiria comentar tudo, mas amei várias dessas inspirações.
    Amei o balanço, a parede de tijolos com tv, a parede de cimento queimado com escada.
    Ahh dá vontade de redecorar tudo aqui em casa. haha
    http://www.pamlepletier.com/

    ResponderExcluir
  18. MEU DEUS! ESSE GIF É TÃO VOCÊ! Só faltava ela está com uma caneta e um chicará nas mãos

    ResponderExcluir
  19. Olá, Vanessa.
    Que postagem enorme hehe. Eu amei as inspirações. Mas sou tão sem criatividade para essas coisas. Queria ter esse dom de criar coisas tão lindas com basicamente uma peça ou algo usado hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  20. Quantas inspirações lindas, amo me inspirar em fotos de decoração, especialmente essas com uma pegada bem Pinterest!

    Beijos
    Mari Dahrug
    https://www.rabiskos.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada por chegar até aqui para deixar a sua opinião. É fundamental para mim. O que dá sentido com ratificação para cada reflexão entre análises, dicas, informações e sentimentos aqui escritos são essas nossas trocas evolutivas de sensações e pitacos.

Não esqueça de clicar em "notifique-me" abaixo do seu comentário para receber por e-mail a resposta dada.

Mais Posts

TRANSBORDOU NESTES?

Direitos Autorais

Todos os escritos aqui postados são de autoria da escritora, poetisa, compositora e blogueira Vanessa Brunt. As crônicas, frases, poesias, análises e os demais diversos escritos, totais ou em fragmentos, podem ser compartilhados em quaisquer locais e sites (quando não para fins lucrativos: criação de produtos para vendas, entre outros), contanto que haja o devido direcionamento dos direitos autorais. Ademais, as imagens utilizadas no blog para as postagens não são, em sua maioria, feitas pela autora. Portanto, para qualquer problema envolvendo os créditos das fotos, basta entrar em contato e o caso será resolvido prontamente.